SAÚDE-Veja como evitar os casos mais graves de diabetes e como tratar a doença


A cada cinco segundos, uma pessoa morre de diabetes no mundo. São cerca de 537 milhões de pacientes, entre 20 e 79 anos, diagnosticados com a doença. No Brasil, apenas em 2021, foram registrados cerca de 214 mil óbitos com alguma relação com a diabetes. Os dados alarmantes são da Federação Internacional de Diabetes, sediada na Bélgica. A mais comum é a diabetes do Tipo 2, uma forma crônica não-transmissível causada principalmente por fatores como excesso de peso, sedentarismo e outros maus hábitos que podem ser evitados ou tratados a tempo. Já o Tipo 1 não é evitável; é uma doença autoimune mas é tratada por meio de injeções de insulina.

Entendendo a Diabetes

 

Huiara da Silva é enfermeira do trabalho do SESI Ceará  — Foto: arquivo pessoal

Huiara da Silva é enfermeira do trabalho do SESI Ceará — Foto: arquivo pessoal

Segundo a enfermeira do trabalho do SESI Ceará Huiara da Silva, registro Coren/CE nº 224.784, a diabetes é uma doença crônica na qual o corpo não produz insulina ou não consegue empregar adequadamente a insulina, ocasionando altas taxas de açúcar no sangue (hiperglicemia) de forma permanente; também é conhecida como diabetes mellitus. “A insulina é um hormônio fundamental para a vida, produzida pelo pâncreas, que permite que a glicose presente na circulação (glicemia) seja utilizada pelas células do corpo. Ao entrar nas células, a glicose pode ser usada como energia ou ser armazenada para uso posterior”, explica.

No Tipo 1, ocorre a destruição das células do pâncreas e a produção de insulina é afetada. O diagnóstico mais comum acontece em crianças, adolescentes e, em alguns casos, em adultos jovens.

Já o Tipo 2, mais frequente, pode ser causado até por fatores genéticos, além dos já citados – como maus hábitos e sobrepeso -, e corresponde a até 95% dos casos, em adultos de jovens.

“Outra condição, que também chama atenção, é o Diabetes Gestacional, diminuição da tolerância à glicose, diagnosticada pela primeira vez na gestação, podendo ou não persistir após o parto”, complementa Huiara.

A importância do diagnóstico precoce

 

Ficar atento a sintomas que podem indicar precocemente a diabetes pode ser determinante para evitar a evolução da doença. Os sinais mais comuns são:

  • Urinar excessivamente, inclusive acordar várias vezes durante a noite para urinar;
  • Sede excessiva;
  • Aumento do apetite;
  • Perda de peso, mesmo comendo de maneira excessiva;
  • Cansaço;
  • Vista embaçada ou turvação visual;
  • Infecções frequentes, sendo mais comuns as infecções de pele.

 

Os fatores de risco para o desenvolvimento do diabetes estão relacionados a:

  • Histórico Familiar, se algum parente próximo (pais, filhos e irmãos) teve ou tem diabetes, maior é a probabilidade de desenvolver esta doença;
  • Sobrepeso e Obesidade, devido ao acúmulo de gordura corporal que aumenta a chance do desenvolvimento de um quadro de diabetes, por causar resistência à insulina.
  • Idade, pois com o avanço da idade e as mudanças no nosso metabolismo, a tendência de desenvolvermos algumas doenças crônicas aumenta.
  • Colesterol, triglicérides e pressão alta ocasionando um comprometimento circulatório.
  • Maus hábitos de vida, considerando que a má alimentação, o sedentarismo e um alto consumo de produtos nocivos à saúde, como álcool e cigarro, contribuem, e muito, para o desenvolvimento da diabetes, assim como uma série de outras doenças.

 

Normalmente, três exames são realizados para detectar a doença: o teste de glicemia em jejum; o exame de hemoglobina glicada; e o de curva glicêmica. Todos eles podem ser feitos nas Clínicas SESI Ceará, em Fortaleza, Maracanaú, Sobral e Juazeiro do Norte.

Como é o tratamento?

Se a diabetes não for tratada de forma adequada, podem surgir complicações, como neuropatia diabética, problemas arteriais e amputações, doença renal, pé diabético (feridas nos pés), problemas nos olhos (glaucoma, catarata, retinopatia), entre outros.

O tratamento para diabetes tem como objetivo controlar a glicose presente no sangue, evitando que a concentração de açúcar apresente picos ou quedas ao longo do dia. Dessa forma, é possível aliviar os sintomas, melhorar a qualidade de vida e evitar complicações mais graves. “Incluir a realização de atividade física regular ajuda a manter os níveis de açúcar no sangue controlados. Também é necessário melhorar a alimentação com a redução do consumo de alimentos açucarados e carboidratos, bem como verificar a glicemia periodicamente e utilizar medicamentos e insulina, de acordo com a prescrição médica”, explica a enfermeira.

É importante saber que a diabetes não tem cura. Entretanto, pode ser controlada através do tratamento adequado. Para manter a saúde em primeiro plano, basta seguir os seguintes passos:

  1. Tenha uma alimentação saudável;
  2. Pratique exercícios físicos regularmente;
  3. Controle o peso;
  4. Evite o consumo de bebidas alcoólicas e cigarro;
  5. Visite um médico regularmente e faça os exames preventivos.

 

Para agendar seus exames preventivos, basta entrar em contato com SESI Ceará, através do telefone (85) 4009-6300.

Veja os nossos endereços:

 

FORTALEZA
📍 Centro – Av. Padre Ibiapina, 1449
📍 Parangaba – Av. João Pessoa, 6754

MARACANAÚ
📍 Distrito Industrial – Av. do Contorno, 1103

SOBRAL
📍 Campos Velhos – Av. Dr. Arimatéia Monte e Silva, 1003

JUAZEIRO DO NORTE
📍 Pirajá – Rua José Marrocos, 2265 | Telefone: (88) 2101-8400

FIEC - Federação das Indústrias do Estado do Ceará
Rate this post



Comentários com Facebook




Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.