Salmo 1 – Bem-aventurança


salmo-1_210_120

Os ímpios perecem, mas não em consequência de terem se assentado a beira de uma mesa de um bar cercado por beberrões de vinho. O que caracteriza a roda dos escarnecedores não são as anedotas que contam. Não é em função de frequentarem lugares reprováveis pela moral humana que os ímpios perecem. Mesmo assentado em uma instituição religiosa, moralista, legalista, ritualista, a exemplo dos escribas e fariseus, os homens permanecem ímpios e perecem. O apóstolo João evidencia esta verdade: “Quem tem o Filho tem a vida, mas quem não tem o Filho de Deus não tem vida” ( 1Jo 4:12 ). Para ser salvo é necessário ter Cristo, pois boas ações e uma vida regrada não salva o homem. Mesmo quem possuiu uma conduta ilibada na sociedade necessita de Cristo, visto que ainda não tem vida em si mesmo.

1- Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores.
2 – Antes tem o seu prazer na lei do SENHOR, e na sua lei medita de dia e de noite.
3 – Pois será como a árvore plantada junto a ribeiros de águas, a qual dá o seu fruto no seu tempo; as suas folhas não cairão, e tudo quanto fizer prosperará.
4 – Não são assim os ímpios; mas são como a moinha que o vento espalha.
5 – Por isso os ímpios não subsistirão no juízo, nem os pecadores na congregação dos justos.
6 – Porque o SENHOR conhece o caminho dos justos; porém o caminho dos ímpios perecerá.

 

As profecias

Este salmo é a primeira profecia que compõe os salmos.

Antes de se lançar a recitar este cântico hebraico é bom considerar que os salmos são composições proféticas. Para analisa-lo e compreende-lo, se faz necessário considerar também que, quando o rei e profeta Davi separou alguns homens para o ministério dos cânticos, os designou para profetizarem ao som de instrumentos musicais ( 1Cr 25:1 -3).

O rei Davi era profeta ( At 2:30 ), e grande parte das suas previsões tinha por tema o Cristo ( At 2:31 ). As previsões de Davi e dos seus ministros abordaram vários aspectos da vida de Cristo. Os salmos apresentam Cristo em seus vários aspectos: o filho do homem, o filho de Davi, o Senhor que criou os céus e a terra, o servo do Senhor, o Grande Rei, etc.

A leitura dos salmos, se feita meticulosamente comparando coisas espirituais com as espirituais, nos leva a uma interpretação segura como a que os apóstolos apresentam em suas exposições em todo o Novo Testamento.

Salmo Primeiro

O salmo primeiro é o salmo da bem-aventurança. É o salmo da alegria, do regozijo, da felicidade.

Porém, chama-nos a atenção o fato de o salmo apresentar a bem-aventurança invocando um único homem: “Bem-aventurado o homem…” (v. 1).

Por que o salmista não disse ‘bem-aventurados os homens’? Ora, nas escrituras temos várias passagens que enfatizam a bem-aventurança de todos quantos confiam em Deus. Ex: “Beijai o Filho, para que se não ire, e pereçais no caminho, quando em breve se acender a sua ira; bem-aventurados todos aqueles que nele confiam” ( Sl 2:12 ); “Bem-aventurados os que guardam os seus testemunhos, e que o buscam com todo o coração” ( Sl 119:2 ).

O que distingue o homem do salmo primeiro, verso 1, dos homens do verso 12, do salmo segundo? A distinção está no fato de o homem ditoso (bem-aventurado) não andar segundo o conselho dos ímpios.

Qual é o conselho dos ímpios? Ora, o conselho dos ímpios é formado com o engano, com a mentira, com a falsidade, e não com a palavra de Deus “Os pensamentos dos justos são retos, mas os conselhos dos ímpios, engano” ( Pv 12:5 ).

O conselho dos ímpios é formado por homens religiosos, que usam a lei por pretexto, porém seguiam os desvarios dos seus corações enganosos. Diz de homens que honram a Deus com os lábios, mas o coração estava longe de Deus ( Is 29:13 ).

O salmo 12 apresenta a essência do conselho dos ímpios: “Cada um fala com falsidade ao seu próximo; falam com lábios lisonjeiros e coração dobrado. O SENHOR cortará todos os lábios lisonjeiros e a língua que fala soberbamente. Pois dizem: Com a nossa língua prevaleceremos; são nossos os lábios; quem é SENHOR sobre nós?” ( Sl 12:2 -4). Com coração enganoso, os fariseus falavam entre si e, diante do Cristo, o enviado de Deus, declaravam: Quem é o Senhor sobre nós?

Cristo não entrou pelo conselho dos ímpios porque obedeceu a palavra de Deus em verdade “Quanto ao trato dos homens, pela palavra dos teus lábios me guardei das veredas do destruidor” ( Sl 17:4 ).

A impiedade é condição que decorre de nascimento, e não de comportamento. Os homens alienam-se de Deus desde o ventre, e no ventre se tornam ímpios em função da condenação ocorrida no Éden ( Sl 58:3 ).

Porém, o salmo 1 apresenta o conselho formado por ímpios, homens oriundos e um geração má e que nunca se lavaram da imundície herdade de Adão ( Pv 30:11 -12). Os ímpios falam mentiras desde que nascem, porém, há o conselho dos ímpios: homens que se organizam entorno de uma doutrina, um pensamento, uma religiosidade, e impõe-na aos outros.

A mentira do conselho dos ímpios procede do coração enganoso que receberam quando do nascimento natural ( Jr 17:9 ). É em função deste coração enganoso que Jesus alertou os escribas e fariseus, dizendo: “Raça de víboras, como podeis vós dizer boas coisas, sendo maus? Pois do que há em abundância no coração, disso fala a boca” ( Mt 12:34 ).

É por causa desta mentira que o apóstolo Paulo diz: “De maneira nenhuma; sempre seja Deus verdadeiro, e todo o homem mentiroso; como está escrito: Para que sejas justificado em tuas palavras, E venças quando fores julgado” ( Rm 3:4 ).

De todos os homens que vieram ao mundo, Cristo é o bem-aventurado de Deus, pois nunca se achou engano na sua boca, pois somente Ele não foi gerado segundo a carne, o sangue e a vontade do varão ( Jo 1:12 -13 ; 1Pe  2:22 ).

Dele disse Davi: “JULGA-ME, SENHOR, pois tenho andado em minha sinceridade (…) Mas eu ando na minha sinceridade” ( Sl 26:1 e 11).

Ora, todos os outros homens quando nasceram, nasceram proferindo mentiras; alienam-se desde o ventre da mãe “Porque não há retidão na boca deles; as suas entranhas são verdadeiras maldades, a sua garganta é um sepulcro aberto; lisonjeiam com a sua língua” ( Sl 5:9 ; Sl 51:5 ; Sl 58:3 : Sl 53:3 ; Is 48:8 ). Porém, com Cristo isto não ocorreu, pois Ele foi lançado na madre por Deus, e não por um homem, como ocorre com toda a humanidade ( Sl 22:10 ).

No salmo 38 o salmista descreve a ação do conselho dos ímpios: “Também os que buscam a minha vida me armam laços e os que procuram o meu mal falam coisas que danificam, e imaginam astúcias todo o dia. Mas eu, como surdo, não ouvia, e era como mudo, que não abre a boca. Assim eu sou como homem que não ouve, e em cuja boca não há reprovação” ( Sl 38:12 – 14).

Quando entrou no mundo, Cristo não seguiu o ‘conselho’ vão dos ímpios “Não me tenho assentado com homens vãos, nem converso com os homens dissimulados. Tenho odiado a congregação de malfeitores; nem me ajunto com os ímpios” ( Sl 26: 4- 5). Jesus não se assentou com os escribas e fariseus para compartilhar do pão que se alimentavam “Então compreenderam que não dissera que se guardassem do fermento do pão, mas da doutrina dos fariseus” ( Mt 16:12 ).

Cristo é o rebento da casa de Davi, o renovo justo, a verdade que brotou “PORQUE brotará um rebento do tronco de Jessé, e das suas raízes um renovo frutificará” ( Is 11:1 ); “Eis que vêm dias, diz o SENHOR, em que levantarei a Davi um Renovo justo; e, sendo rei, reinará e agirá sabiamente, e praticará o juízo e a justiça na terra” ( Jr 23:5 ); “A verdade brotará da terra, e a justiça olhará desde os céus” ( Sl 85:11 ).

O caminho dos pecadores é pertinente a todos os homens gerados da carne de Adão, porém, dentre os pecadores há os ímpios e os escarnecedores. Os ímpios são aqueles que tropeçam na pedra eleita e preciosa, que é Cristo “O caminho dos ímpios é como a escuridão; nem sabem em que tropeçam” ( Pv  4:19 ). Os escarnecedores, por sua vez, são aqueles que, apesar do alerta das Escrituras, nem mesmo investigam a possibilidade o Cristo ser o servo do Senhor.

O caminho dos pecadores decorre da porta larga por onde todos os homens entram ao ‘abrir’ a madre. É na madre que todos os homens juntamente se desviam e alienam-se de Deus ( Sl 58:3 ; Sl 53:3 ). É na madre que todos os homens juntamente se desviam, aliena-se e tornam-se imundos!

Os ímpios que compõe o conselho do verso 1 são os loucos, os néscios, os filhos de Jacó, homens a que a palavra de Deus lhes foi confiado, que honram a Deus com a boca, porém, o coração está longe de Deus. Tudo o que dizem reflete impiedade e o desvairo de seus corações impenitentes. Os ímpios são aqueles que tomam o nome de Deus em vão, que o invocam, mas não em justiça e nem em verdade ( Rm 3:2 ; Rm 2:20 ; Is 48:1 ; Sl 139:19 -20).

Os ímpios são homens de violência, ou seja, que não confiam em Deus, antes confiam na força dos seus braços, confiam na carne, pois se declaram filhos de Deus por serem descendentes da carne de Abraão.

Os salmos geralmente vaticinam que os ímpios são homens maus, violentos, e o conselho deles continuamente são de guerra, pois haveriam de espreitar o Ungido de Deus com suas línguas afiadas e, continuamente, espreitariam o Cristo para verem se o pegavam nalguma contradição “Aguçaram as línguas como a serpente; o veneno das víboras está debaixo dos seus lábios. (Selá.) Guarda-me, ó SENHOR, das mãos do ímpio; guarda-me do homem violento; os quais se propuseram transtornar os meus passos. Os soberbos armaram-me laços e cordas; estenderam a rede ao lado do caminho; armaram-me laços corrediços” ( Sl 140:2- 5).

Rate this post



Levany Júnior

Levany Júnior é Advogado e diretor do Blog do Levany Júnior. Blog aborda notícias principalmente de todo estado do Rio Grande do Norte, grande Natal, Alto do Rodrigues, Pendências, Macau, Assú, Mossoró e todo interior do RN. E-mail: [email protected]

Comentários com Facebook




Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.