Sessão cine clássicos do Cinemark é neste sábado


144684

 

Desde maio, o público amante da sétima arte está tendo a oportunidade de ver (ou rever), nas telas do Cinemark, obras consagradas do cinema em tecnologia digital. Nesta semana, será exibido o cultuado (e muito polêmico na época em que foi lançado) “Laranja Mecânica”, de 1971. Em Natal, o filme será exibido somente no sábado, às 23h55, e quarta-feira, às 19h30. 

Escrito, produzido e dirigido por Stanley Kubrick, “Laranja Mecânica” é adaptado do romance homônimo de Anthony Burgess, lançado em 1962. O filme emprega imagens violentas e perturbadoras que estão relacionadas à psiquiatria, delinquência juvenil, gangues de jovens e outros assuntos sociais, políticos e econômicos em uma Inglaterra futurista. Alex DeLarge (Malcolm McDowell), o protagonista, é um sociopata carismático cujos interesses incluem música clássica (principalmente Beethoven), estupro e ultraviolência. Ele lidera uma pequena gangue de arruaceiros (Pete, Georgie e Dim), a quem chama de drugues (da palavra russa para “amigo”, “camarada”). O filme narra os terríveis crimes de sua gangue, a captura de Alex e a tentativa de reabilitação através de um controverso condicionamento psicológico. O personagem vira cobaia de experimentos destinados a refrear os impulsos destrutivos do ser humano. No Brasil, o filme entrou na lista de obras proibidas pela censura, fazendo com que os cinéfilos viajassem a países vizinhos, como o Uruguai, para assistir. Quando foi liberado, só conseguiu ser exibido nas salas com ridículas bolinhas pretas sobrepostas nas cenas de nudez (mesmo com classificação para maiores de 18 anos). Em 2011, o filme ganhou uma restauração em digital 4K em comemoração aos seus 40 anos e teve sua primeira exibição pública no Festival de Cannes naquele ano. Desde então, circulou por festivais e ganhou uma edição em Blu-ray. Celebrando a chegada da versão restaurada do filme a São Paulo, o site Omelete publicou, na ocasião, dez curiosidades sobre o longa. Uma delas dá conta de que Anthony Burgess, desesperado por dinheiro, vendeu os direitos da obra para adaptação ao cinema a Mick Jagger por apenas US$ 500. O músico planejava fazer o filme tendo os Rolling Stones como os droogs, mas acabou revendendo os direitos por uma quantia muito maior. Outra curiosidade é sobre a parte em que Alex canta “Singing in the Rain” enquanto ataca o escritor e sua esposa. Segundo o Omelete, a cena não estava no roteiro. Kubrick passou quatro dias experimentando com a cena, pois a julgava muito convencional. Eventualmente, pediu a Malcolm McDowell se ele poderia dançar. Eles fizeram a cena novamente, desta vez com McDowell cantando e dançando a única música que ele conseguira lembrar na hora. Kubrick ficou tão impressionado que logo comprou os direitos do tema de Cantando na Chuva por US$ 10 mil. Quando McDowell encontrou Gene Kelly, anos depois, em uma festa, o ator veterano se retirou indignado. Kelly teria ficado profundamente decepcionado com a forma como sua versão de “Singing in the Rain” foi usada em Laranja Mecânica. O filme de Kubrik é o terceiro filme que o Cinemark exibe. Os dois primeiros foram “Taxi Driver” e “Pulp Fiction – Tempo de Violência”. A primeira temporada do projeto vai até julho e tem na lista, entre outros filmes, “Os embalos de sábado à noite”, “Grease – Nos Tempos da Brilhantina” e “Bonequinha de Luxo”.

Sessão cine clássicos do Cinemark é neste sábado
Avalie esta postagem



Levany Júnior

Levany Júnior é Advogado e diretor do Blog do Levany Júnior. Blog aborda notícias principalmente de todo estado do Rio Grande do Norte, grande Natal, Alto do Rodrigues, Pendências, Macau, Assú, Mossoró e todo interior do RN. E-mail: levanyjunior@blogdolevanyjunior.com

Comentários com Facebook




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *