SÃO GONÇALO DO AMARANTE RN-Pacientes com doenças cardiorrespiratórias recorrem à reabilitação cardiopulmonar


Práticas simples do dia a dia se tornam grandes desafios para quem possui problemas cardíacos ou pulmonares. O cansaço decorrente dessas condições dificulta a realização das atividades diárias por conta deficiência no funcionamento destes dois órgãos juntos. Para além do uso de medicamentos, os exercícios fisioterapêuticos são importantes agentes no tratamento de doenças pulmonares e cardíacas, principalmente no que diz respeito às sequelas pós Covid-19. É a chamada reabilitação cardiopulmonar. Um tratamento com o objetivo de trazer melhorias à saúde e bem-estar das pessoas acometidas destas doenças. Segundo a fisioterapeuta Gerlane Cristina, o método é pouco invasivo e age com o intuito de aperfeiçoar a funcionalidade do coração. Pacientes com doenças cardiovasculares como hipertensão, insuficiência cardíaca; doenças e infecções pulmonares; e outras comorbidades como, obesidade, diabetes, se beneficiam do tratamento. A maior parte das pessoas que foram acometidas e se recuperaram da Covid-19 também precisam desta reabilitação. “Após a contaminação pelo novo coronavírus, ou qualquer outra doença respiratória, muitas pessoas relatam grande dificuldade em fazer coisas básicas como respirar”, conta a profissional. Pesquisadores da USP observaram ser alta a ocorrência de sintomas após a alta hospitalar. Com seis meses de análise, 89,3% dos que tiveram alta apresentaram sintomas persistentes, como cansaço, dores pelo corpo e dispneia. A equipe está monitorando pacientes recuperados da Covid-19 que estiveram internados no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HC-FM-USP). “Depois do tempo de isolamento para a recuperação da doença, o indicado é que o paciente passe por uma avaliação com o cardiologista, pneumologista e fisioterapeuta para serem identificadas possíveis sequelas ou implicações no organismo necessitadas de melhoramentos. A partir disso, os profissionais devem planejar uma reabilitação personalizada, conforme a necessidade do paciente”, explica a fisioterapeuta. Demais especialistas como nutricionista, psicólogo e educador físico também podem contribuir nesta reabilitação. Gerlane explica que, como parte da reabilitação cardiorrespiratória, estão envolvidos treinos aeróbicos, exercícios de fortalecimento muscular, de equilíbrio e da musculatura respiratória. O resultado é um fortalecimento da capacidade respiratória e condicionamento físico, aumento da massa muscular, além de melhoria na saúde mental, emocional e social. “Semanas após dado início à reabilitação já percebemos uma significativa melhora na qualidade de vida do paciente”, relata.

Saiba mais em: https://agorarn.com.br/ultimas/pacientes-com-doencas-cardiorrespiratorias-recorrem-a-reabilitacao-cardiopulmonar/ | Agora RN



Comentários com Facebook




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.