A PALAVRA DO DIA-DEUS CONDENA AS RIQUEZAS MAL ADQUIRIDAS E MAL EMPREGADAS


“Atendei, agora, ricos, chorai lamentando, por causa das vossas desventuras, que vos sobrevirão. As vossas riquezas estão corruptas, e as vossas roupagens, comidas de traça; o vosso ouro e a vossa prata foram gastos de ferrugem, e a sua ferrugem há de ser por testemunho contra vós mesmos e há de devorar como fogo, as vossas carbes. Tesouros acumulastes nos últimos dias.”

“Eis que os salários dos trabalhadores que ceifaram os vossos pastos e por vós foi retido com fraude está clamando; e os clamores dos ceifeiros penetraram até os ouvidos do Senhor dos Exércitos.”

“Tendes vivido regaladamente sobre a terra; tendes vivido nos prazeres; tendes engordado o vosso coração em dia de matança; tendes condenado e matado o justo sem que ele vos faça resistência”. (Tg 5: 1-6)

Esse texto é um trecho retirado da Bíblia Sagrada da Epístola (carta) de Tiago. É um texto profético, fala das riquezas dos últimos dias. São riquezas mal adquiridas e mal empregadas.

Sou evangélico desde novo e não me recordo de ter ouvido um pastor pregar de fato sobre esta passagem bíblica. Mas por quê? Qual será o motivo de ser este texto, na prática, censurado do Novo Testamento?

Mas antes de nos atermos as estas questões iniciais vamos fazer uma “interpretação” do texto. Em verdade vamos facilitar a leitura deste.

Tiago é um dos apóstolos de Cristo. Apóstolo quer dizer discípulo. Discípulo é o “aprendiz” ou aluno, mas também pode ser um seguidor. Em outras palavras, Tiago era uma pessoa muito próxima, muito íntima de Jesus. Isso falo para lhes tornar mais familiar o autor desta epístola.

Tiago inicia o capítulo cinco chamando pelos ricos. Faz ameaças. Ordena que se lamentem, pois Deus está bravo. Tiago usa a expressão “Senhor dos Exércitos”, que nós podemos traduzir, para uma melhor compreensão, como “Deus de Guerra”. Ele não está para brincadeiras.

Tiago faz graves acusações. Em primeiro lugar acusa os ricos de acumularem riquezas sem necessidade, pois deixam o ouro e a prata enferrujar em seus cofres (enquanto isso muitos passam fome). Os acusa de corrupção. Faz uma acusação gravíssima: vocês enriqueceram a custa dos trabalhadores, vocês sugam o sangue de seus ceifeiros [os que colhem], são ricos porque são ladrões e trapaceiros.

Continua acusando os ricos de preguiçosos, glutões, incontinentes, luxuriosos, voluptuosos.

Ainda faz uma ultima e terrível acusação: vocês, ricos, matam o homem justo.

Mas Tiago é enfático. Os clamores dos pobres, dos trabalhadores, dos injustiçados, dos ceifeiros, chegaram aos ouvidos de Deus, e Deus não os abandonou. Deus fará justiça. E os ricos chorarão e se lamentarão.

Vemos que se cumpre a profecia. Os ricos de nossos tempos são a imagem dos ricos que se fala na carta de Tiago. Eles são ricos por serem trapaceiros, eles roubam os pobres, roubam nos salários, se apropriam de uma riqueza que não é de fato deles, se apropriam do trabalho do operário. Eles vivem regaladamente na preguiça e na luxúria, acumulam ouro e prata enquanto milhões passam fome, e nada fazem para mudar esta situação, pois se beneficiam com a pobreza dos trabalhadores.

Mas você, leitor, pode estar se perguntando “como é que os ricos roubam meu salário se eu sempre faço as contas no fim do mês e sempre está em minha conta bancária a quantia certa de meu salário?”

É chegada a hora de definirmos. Os ricos são trapaceiros. Rico é o burguês. Burguês quer dizer capitalista. E o que é capitalista? É o dono dos meios de produção, é o que tem a capacidade de capitalizar, de acumular dinheiro e riquezas através da força de trabalho do operário, de enriquecer as custas do trabalhador. “Rico” é o seu empregador, ou os empregadores de um modo geral.

Todos os ricos são burgueses? Sim, em nosso país todo rico é burguês. Estamos definindo o rico como o capitalista ou o empregador, o dono de um estabelecimento comercial, industrial ou financeiro. Pouco importa se este “rico” é detentor apenas de um mercadinho ou se é o detentor de um banco internacional. No fim das contas eles fazem a mesma coisa. Se apropriam de sua força de trabalho. Ou seja, extorquem a sua vida. Eles te matam!

Karl Marx faz uma longa exposição deste assunto no livro “O Capital”. Em resumo ele conclui que o burguês enriquece as custas do trabalho que usurpa do trabalhador. O salário é a trapaça. Marx conclui que se um burguês te paga uma salário “X” isso indica que a “mais valia” (o lucro sobre o trabalhador) foi de 3X ou até 4X! Em outras palavras, você recebe de volta apenas um terço ou um quarto do que produz! É aí que está a trapaça. A trapaça é o salário retido de que falava Tiago em sua epístola quase dois mil anos antes das conclusões de Karl Marx.

Recentemente encontrei na revista “FÓRUM” uma matéria que falava sobre o trabalho no canavial no estado de São Paulo, vou transcrever as falas do entrevistado Francisco Alves, professor de Engenharia de Produção da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar): “Se na década de 1960 aprodutividade do trabalho era, em média, de três toneladas de cana por dia de trabalho, na década de 1980 a produtividade média passa para seis toneladas por dia por homem ocupado e, no final da década de 1990 e início da presente, atinge 12 toneladas”, esclarece Alves. O salário segundo Alves, foi reduzido pela metade. É o aumento da produtividade com os salários mais baixos que retém a amplificação da mecanização. “Esses dados os usineiros omitem, os trabalhadores morrem por excesso de trabalho”. “Não sou de chorar trabalho ruim, e o presidente Lula já teve de ouvir poucas e boas, porque o mundo não quer comprar o álcool que mata trabalhadores”, conclui Francisco Alves.

Deus não é cego. Ele está vendo tudo que acontece na terra. Está vendo os ricos enganarem os pobres. Está vendo o cortador de cana de nossa cidade morrendo dia após dia debaixo do sol intenso do meio dia. Deus está vendo o cortador de cana ter sua vida roubada pelo burguês que é dono do canavial. O sangue desses homens humildes e de seus filhos está clamando e o seu clamor chegou aos ouvidos do Senhor dos Exércitos.

Votando às questões iniciais. Nossos líderes espirituais (não todos) fecharam os olhos perante esta dura realidade, em sua maioria são parte do problema. São pastores que se apascentam a si mesmos. Não querem tocar no assunto, fazem de conta que este texto bíblico de Tiago não existe, fazem de conta que pregar a Palavra é não tocar nos assuntos da elite rica e corrupta. Como Pilatos, eles preferem lavar as mãos. Não somente os pastores da igreja se apascentam a si mesmos. Nossos políticos também são ministros enviados por Deus para manterem a ordem e a paz entre os homens, ou seja, para apascentar o povo. Os maus políticos são pastores que se apascentam a si mesmos.

Depois desta exposição você pode ainda não está convencido. Mas é isso que faz, em ultima instância, a profecia ser verdadeira! “tendes condenado e matado o justo sem que ele vos faça resistência” é a ultima frase de Tiago sobre o assunto. É exatamente isso que acontece. O rico te rouba, te rouba uma parte de sua força vital, seu trabalho, ele rouba a sua própria vida e você não percebe! E você não resiste!

Até quando?

POSTADO POR DR. SEWARD ÀS 09:49  

NENHUM COMENTÁRIO:

Postar um comentário



Levany Júnior

Levany Júnior é Advogado e diretor do Blog do Levany Júnior. Blog aborda notícias principalmente de todo estado do Rio Grande do Norte, grande Natal, Alto do Rodrigues, Pendências, Macau, Assú, Mossoró e todo interior do RN. E-mail: [email protected]

Comentários com Facebook




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.