fotos imagens-Polícia prende segundo suspeito de envolvimento no acidente que matou trabalhador na BR-277, em Curitiba


 


Carro Volvo do suspeito foi apreendido, nesta terça-feira, em Curitiba — Foto: Murilo Souza/RPC

Carro Volvo do suspeito foi apreendido, nesta terça-feira, em Curitiba — Foto: Murilo Souza/RPC

Ulisses Misina Ribeiro foi o segundo preso suspeito de estar envolvido no acidente que matou o trabalhador, Marcelo da Trindade, em 13 de julho, na BR-277, em Curitiba, segundo a Polícia Civil. A prisão ocorreu na casa do suspeito, nesta terça-feira (4), em Curitiba.

Segundo o delegado Edgar Santana, a princípio, o suspeito responde por homicídio com dolo eventual, com pena prevista de até 20 anos de prisão, e competição automobilística não autorizada, com pena de até 3 anos. A prisão temporária tem duração de cinco dias.

Ribeiro dirigia um carro Volvo no dia do acidente, que também foi apreendido nesta terça-feira. O suspeito foi interrogado e disse à polícia que não participou de racha e que não percebeu se ultrapassou a velocidade permitida no trecho no dia do acidente.

“Estamos com o laudo pericial, elaborado pela criminalística, que nos informou que em determinado trecho, antes do acidente, o veículo Volvo atingiu a velocidade de 179 km/h, e o veículo BMW atingiu a velocidade de 160 km/h. O laudo ainda afirma que há, possivelmente, a prática do crime de racha dois quilômetros antes do momento do acidente”, disse o delegado.

De acordo com o advogado de Ribeiro, Juliano Breda, as testemunhas ouvidas informaram que não houve qualquer responsabilidade do motorista do carro Volvo na perda de controle da direção da BMW, que capotou e atropelou a vítima.

BMW capotou e matou um funcionário terceirizado da concessionária, que fazia a limpeza do canteiro central da BR-277 — Foto: Jurandir Chaves/RPC

BMW capotou e matou um funcionário terceirizado da concessionária, que fazia a limpeza do canteiro central da BR-277 — Foto: Jurandir Chaves/RPC

O delegado destaca ainda que a perícia analisou três trechos, onde a velocidade máxima permitida é de 80 km/h.

“O interrogatório do acusado há contradições com as provas que foram levantadas até o presente momento, principalmente, com as testemunhas presenciais do fato, que nos afirmaram que os veículos se encontraram em alta velocidade, praticando o crime de racha”, afirmou Santana.

Acidente

O acidente aconteceu na tarde 13 de julho. Um motorista capotou uma BMW e atropelou o trabalhador enquanto ele realizava o trabalho na rodovia, conforme a Polícia Rodoviária Federal (PRF).

De acordo com a concessionária RodoNorte, o motorista invadiu o sentido contrário da BR-277 após o capotamento e atingiu o trabalhador na outra pista.

Marcelo estava trabalhando no canteiro central da BR-277, em Curitiba, quando foi atingido pelo carro — Foto: Arquivo pessoal

Marcelo estava trabalhando no canteiro central da BR-277, em Curitiba, quando foi atingido pelo carro — Foto: Arquivo pessoal

Motorista da BMW

No dia do acidente, o motorista da BMW, Silvio Eduardo de Alencar, foi encaminhado ao Hospital Evangélico Mackenzie, com ferimentos leves. Após receber alta, ele foi preso suspeito de homicídio doloso e por suspeita de praticar racha.

De acordo o delegado Santana, após a prisão, Alencar recebeu liberdade provisoria sem fiança. A polícia investiga o caso e analisa se será pedida uma medida cautelar.

Os advogados de Silvio Eduardo de Alencar, informaram que o motorista foi ultrapassado ilegalmente por um outro veículo, o que fez com que ele perdesse a estabilidade, caindo no canteiro central da rodovia e capotando.

Ainda de acordo com a defesa, o motorista do carro que capotou não conhecia o veículo que fez a ultrapassagem.

Veja mais notícias do estado no G1 Paraná.



Comentários com Facebook




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.