FOTOS IMAGENS-Polícia faz buscas por imagens em praça de pedágio para descobrir onde caravana de Lula foi atingida por tiros


Ônibus da caravana de Lula foram atingidos por tiros durante a passagem pelo Paraná (Foto: PT/Divulgação)

Na tentativa de descobrir em qual parte da estrada do interior do Paraná foram disparados os tiros contra os ônibus da caravana do ex-presidente Lula, a Polícia Civil dará continuidade à busca por imagens. Nesta Sexta-feira Santa (30), as equipes vão até a praça de pedágio que fica entre Quedas do Iguaçu e Laranjeiras do Sul.

Os três tiros foram disparados em um trecho de 70 quilômetros entre as duas cidades paranaenses. As diligências estão sendo feitas desde quinta-feira (29) nesse trecho.

O caso está sendo tratado pela Polícia Civil como disparo de arma de fogo com dano provocado. O laudo, segundo a Secretaria de Segurança Pública do Paraná (Sesp-PR) deve sair na semana que vem. Até agora, ninguém foi preso. Também não houve vítimas no momento dos disparos.

A Policia Civil informou que quer mapear o roteiro por onde a caravana passou pra tentar identificar em que momento as marcas de tiros aparecem nos ônibus.

Nesta quinta, os policiais reuniram fotografias e vídeos, cedidos por moradores, feitos antes da partida dos ônibus de Quedas do Iguaçu para Laranjeiras do Sul.

As imagens, dos moradores e das câmeras, podem ajudar a confirmar se os ônibus já estavam ou não com as marcas encontradas na lataria. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) informou à TV Globo que não havia marcas de tiros nos veículos na saída de Quedas do Iguaçu.

Além disso, a PRF confirmou que percebeu que os ônibus da caravana fizeram uma parada na BR-277, próximo à Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), em Laranjeiras do Sul, mas que não sabe o motivo.

Conforme testemunhas, os veículos pararam para averiguar um pneu furado. Durante essa parada, ainda conforme as testemunhas, os passageiros perceberam as marcas dos tiros.

Na quarta (28), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva encerrou a caravana pelos estados do Sul do Brasil.

Relatório

Em um relatório feito pela PRF na quarta-feira (28), que a TV Globo teve acesso, não consta o momento descrito pelas testemunhas da parada da comitiva.

A TV Globo procurou a PRF para entender por que o relatório não faz menção à informação. A PRF afirmou que os policiais que acompanharam o comboio notaram que houve uma parada da comitiva, a cerca de dois quilômetros da entrada da universidade em que Lula faria uma palestra.

Porém, acrescentou a PRF, que a equipe permaneceu a cerca de 200 metros e não avaliou que essa parada tenha sido causada por um motivo relevante. Por isso, nada a respeito desse momento específico do trajeto foi descrito no relatório.

Entenda o caso

Na terça, dois ônibus da caravana foram atingidos por três tiros. Um dos veículos levava convidados, e outro transportava jornalistas do Brasil e do exterior.

Lula estava em um terceiro ônibus, o primeiro do comboio. A informação inicial era de que, no momento dos disparos, o ex-presidente estava na Universidade Federal da Fronteira Sul (UFSS), em Laranjeiras do Sul, mas o PT informou posteriormente que ele estava em um dos veículos.

O Ministério Público do Paraná (MP-PR) também está investigando o caso, com o apoio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e da 2ª Promotoria de Justiça de Quedas do Iguaçu, e recebeu denúncia do Partido dos Trabalhadores com ameaças à caravana que foram compartilhadas em grupos de trocas de mensagem.

O governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), declarou que todo o policiamento e a segurança foram assegurados à caravana e ao ex-presidente Lula. Ele disse ainda que a Polícia Civil do Paraná vai continuar conduzindo as investigações sobre o possível atantado a tiros com serenidade e toda qualificação técnica necessária.

Veja mais notícias da região no G1 Paraná.

MAIS DO G1
FOTOS IMAGENS-Polícia faz buscas por imagens em praça de pedágio para descobrir onde caravana de Lula foi atingida por tiros
Avalie esta postagem



Comentários com Facebook




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *