FOTOS IMAGENS-‘Guerra será sem trégua’, escreveu comandante de batalhão onde PM morto trabalhava


comandante de batalhão onde PM morto trabalhava

Comandante determinou buscas “em qualquer buraco, viela, casa”
Comandante determinou buscas “em qualquer buraco, viela, casa” Foto: AFP PHOTO / MAURO PIMENTEL
Rafael Soares
Tamanho do texto A A A

O assassinato de um oficial da PM desencadeou uma onda de violência que resultou outras quatro mortes. Abordado por dois bandidos na esquina da Estrada do Capenha com a Avenida Geremário Dantas, no Pechincha, o capitão Stefan Cruz Contreiras, chefe do Serviço Reservado do 18º BPM (Jacarepaguá), não esboçou reação e entregou sua motocicleta. Mas, ao ser revistado por um dos ladrões, tentou correr e acabou sendo atingido por mais de dez disparos. O crime levou o comandante do batalhão, coronel Marcos Netto, a convocar sua tropa para uma “guerra sem trégua”, conforme escreveu em um aplicativo de troca de mensagens. Em seguida, os policiais partiram em peso para a Cidade de Deus.

Loading...

A operação terminou com quatro mortos e fechou, por duas horas, a Linha Amarela, umas das vias expressas mais importantes da cidade. “Quero pedir a todos vocês que se empenhem ao máximo, buscando quem quer que seja, em qualquer buraco, viela, casa, seja lá onde for, os assassinos do Contreiras”, escreveu o comandante do 18º BPM por WhatsApp.

O capitão Contreras
O capitão Contreras Foto: Reprodução

A operação na Cidade de Deus contou com a participação de equipes do Comando de Operações Especiais (COE) e da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) e foi planejada às pressas após a morte do oficial. Segundo a PM, os quatro mortos durante a ação são traficantes que entraram em confronto com policiais.

Dois deles foram feridos e socorridos por agentes do Bope; outro foi levado ao Hospital municipal Lourenço Jorge por PMs do Batalhão de Choque; um quarto foi baleado num confronto com o Batalhão de Ações com Cães. Todas as vítimas foram removidas do local do crime pela PM e já chegaram mortas à unidade de saúde. Até a noite de ontem, os mortos não haviam sido identificados.

Coronel Marcos Netto
Coronel Marcos Netto Foto: Letícia Pontual

Ao todo, de acordo com o balanço divulgado pela PM, oito pessoas foram presas na ação. Dois fuzis, quatro pistolas e drogas que ainda serão contabilizadas foram apreendidos. Na ação, três pessoas ficaram feridas, entre elas um PM do Bope, que foi atendido no Lourenço Jorge e, posteriormente, transferido para o Hospital Central da PM, no Estácio. Um vídeo flagrou o momento em que o agente foi socorrido na favela.

Por causa da ação policial, a Linha Amarela foi fechada dos dois sentidos. Motoristas que passavam pela via expressa entraram em pânico. Alguns deixaram seus carros para trás e fugiram a pé. Outros se agacharam para se proteger atrás das muretas que separam a via da favela. Ninguém foi atingido na Linha Amarela.

FOTOS IMAGENS-‘Guerra será sem trégua’, escreveu comandante de batalhão onde PM morto trabalhava
Avalie esta postagem



Loading...

Comentários com Facebook




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *