A certeza do segundo turno


20140818082601_cv_3

Marqueteiros, publicitários, colunistas da mídia nacional e cientistas políticos atribuíram a boa performance da ex-senadora Marina Silva (PSB) na pesquisa do Datafolha ao impacto da tragédia provocada pela morte do ex-governador Eduardo Campos.

Mas Marina conquistou na eleição passada 20 milhões de votos, fantástico capital eleitoral e antes mesmo de vir a compor a chapa de Eduardo como vice já aparecia bem melhor situada, a única capaz de levar o pleito ao segundo turno. A comoção popular deve ter pesado, claro, porque abalou o País e Marina se apresenta como a sucessora natural de Eduardo.

Marina é o fato novo da corrida presidencial, conta a favor a sua trajetória, a sua origem simples e de família pobre do seringal da Amazônia, e agora o legado de Eduardo dá a ela o tempero emocional de uma campanha que pode mexer com o coração de muita gente.

Como Eduardo, Marina representa a tentativa de quebrar uma velha polarização entre PT e PSDB com a consolidação da chamada terceira via. Diferente de Eduardo, Marina não amplia. Ela tem dificuldades de agregar apoios no campo partidário e em setores importantes do segmento empresarial, como o agronegócio.

Se continuar refratária como se comportou até então, quem deve sair lucrando é o candidato tucano Aécio Neves, que já se compôs com partidos de direita, como o PP, no Rio Grande do Sul. Como sua principal plataforma está sustentada na nova política, não haverá mudanças em sua postura política.

Indo ao segundo turno como mostra o Datafolha, onde já ganha de Dilma, Marina terá que rever conceitos, porque Aécio estará no seu palanque e com ele políticos que Eduardo queria aposentar.

A ESQUECIDA– O ato da Frente Popular, ontem no Recife, o primeiro após a morte do ex-governador Eduardo Campos, foi centrado exclusivamente em cima da necessidade de reforçar a campanha do candidato a governador, o ex-secretário da Fazenda, Paulo Câmara. Por isso, ninguém sequer lembrou-se em tocar no nome de Marina Silva, nem mesmo o presidente nacional da legenda, Roberto Amaral.

Idiotice ou conspiração? – Por mais que diga o contrário, Roberto Amaral, sucessor de Eduardo no comando nacional do PSB, não consegue disfarçar que não morre de amores por Marina. Irritado com as versões de que não deseja Marina no páreo, o que até as paredes da sede do partido em Brasília sabem, Amaral chamou de idiotas os que noticiam que conspira contra Marina.

Em público– No seu primeiro compromisso público, ontem, após a morte do marido, a ex-primeira dama Renata Campos chegou ao local do ato promovido pela Frente Popular acompanhada de um batalhão de jornalistas, mas não deu entrevista. As chances de ela aceitar um desafio para ser a vice de Marina quase não existem, apesar da torcida do cunhado Antônio Campos.

Rejeição baixa– Com 16% dos que disseram que não votariam nela de jeito nenhum, segundo pesquisa do Datafolha, a provável candidata do PSB ao Planalto, Marina Silva, é a menos rejeitada entre os candidatos na disputa presidencial. A campeã é a presidente Dilma com 32%, seguido de Aécio Neves com 26%.

De luto– Candidato a governador pelo bloco da oposição, o senador Armando Monteiro Neto (PTB) respeitou o luto e o clima de comoção no Estado com a morte do ex-governador Eduardo Campos, suspendendo até hoje todos os atos da sua campanha. Só volta às ruas amanhã. Estrategicamente, até o momento Armando tem feito tudo certo, sem tropeços.

 

CURTAS

 

ENTREVISTAS– Depois de suspender a entrevista com Dilma por causa do acidente que provocou a morte de Eduardo, o Jornal Nacional a entrevistou, ontem, e Marina Silva, após ser confirmada a candidata oficial do PSB, também irá à bancada do JN.

COMITÊ– Candidato a deputado federal pelo PSB, o ex-secretário da Casa Civil do Governo Eduardo, Tadeu Alencar, abre seu comitê eleitoral em Afogados da Ingazeira no próximo sábado. Na sexta-feira, um dia antes, participa de uma reunião com aliados na sede social do Banco do Brasil.

Perguntar não ofende: Marina começa oficialmente sua campanha por Pernambuco?

 

‘Como a neve no verão, e como a chuva na sega, assim não fica bem para o tolo a honra’. (Provérbios 26-1)

Escrito por Magno Martins, às 06h00



Levany Júnior

Levany Júnior é Advogado e diretor do Blog do Levany Júnior. Blog aborda notícias principalmente de todo estado do Rio Grande do Norte, grande Natal, Alto do Rodrigues, Pendências, Macau, Assú, Mossoró e todo interior do RN. E-mail: [email protected]

Comentários com Facebook




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.