SÃO GONÇALO DO AMARANTE RN-O Conceito da Bíblia A superstição é compatível com o que a Bíblia ensina?


CERTO jornalista ficou um ano sem viajar de avião porque um adivinho havia predito que ele morreria num acidente aéreo. Pessoas de todas as rodas da vida, como políticos, empresários, atores, atletas e estudantes universitários recorrem a vários costumes supersticiosos. Quando passam por momentos de incerteza, tensão ou ansiedade, eles acham que esses costumes os protegem contra perigos ou os ajudam a atingir seus objetivos.

A superstição, em suas muitas formas, é encarada como tradição antiga ou fonte inofensiva de apoio psicológico. A falecida antropóloga Margaret Mead comentou: “As superstições refletem nosso forte desejo de que algo se torne realidade ou de evitar que algo de mau aconteça. Por não acreditarmos nem desacreditarmos por completo nas superstições, temos benefícios psicológicos e ao mesmo tempo não nos tornamos escravos delas.” Mas se realmente quisermos agradar a Deus, devemos nos perguntar: ‘A superstição é compatível com o que a Bíblia ensina?’

A origem da superstição

A humanidade em geral tem sido atormentada pelo medo da morte, do desconhecido e do que muitos chamam de vida após a morte, para mencionar apenas alguns exemplos. Satanás, o rebelde opositor de Deus, está decidido a escravizar as pessoas e alimenta esses medos com mentiras maliciosas. (João 8:44; Revelação [Apocalipse] 12:9) Satanás não está sozinho em seus esforços para induzir as pessoas a se afastar de Deus. Na Bíblia, Satanás é chamado de “o governante dos demônios”. (Mateus 12:24-27) Quem são os demônios? Nos dias de Noé, vários anjos se juntaram a Satanás em sua rebelião contra Deus e se tornaram demônios. Desde então, eles tentam influenciar a mente das pessoas. A superstição se tornou um de seus artifícios. — Gênesis 6:1, 2; Lucas 8:2, 30; Judas 6.

Uma das mentiras de Satanás deu origem a superstições. É a crença de que uma entidade invisível sobrevive à morte do corpo e pode voltar para afetar os vivos. Mas a Bíblia diz: “Os mortos . . . não estão cônscios de absolutamente nada.” Ela também diz que “não há trabalho, nem planejamento, nem conhecimento, nem sabedoria” após a morte. — Eclesiastes 9:5, 10.

“Algo detestável para Jeová”

Muitas pessoas escolheram acreditar nas mentiras de Satanás. No entanto, muito tempo atrás, Deus forneceu instruções claras sobre esse assunto ao seu povo, os israelitas: “Não se deve achar em ti alguém . . . que empregue adivinhação, algum praticante de magia ou quem procure presságios, ou um feiticeiro, ou alguém que prenda outros com encantamento, ou alguém que vá consultar um médium espírita, ou um prognosticador profissional de eventos, ou alguém que consulte os mortos. Pois, todo aquele que faz tais coisas é algo detestável para Jeová.” — Deuteronômio 18:10-12.

Infelizmente, os israelitas nem sempre acatavam esse aviso. Por exemplo, nos dias do profeta Isaías, alguns acreditavam que uma safra produtiva dependia de se apaziguar “o deus da Boa Sorte” — uma crença supersticiosa que trouxe terríveis conseqüências. Eles perderam o favor e as bênçãos de Jeová. — Isaías 65:11, 12.

A atitude de Jeová com relação à superstição não mudou com o surgimento do cristianismo. O apóstolo Paulo disse que as pessoas supersticiosas da cidade de Listra deviam ‘se desviar daquelas coisas vãs para o Deus vivente, que fez o céu e a Terra, e o mar, e todas as coisas neles’. — Atos 14:15.

Como se libertar da superstição

Há inúmeras superstições e todas elas têm algo em comum — a falta de uma explicação lógica. A superstição pode, entre outras coisas, levar as pessoas a atribuir seus problemas ao azar em vez de assumir a responsabilidade por suas ações.

Felizmente, muitos já se libertaram da superstição. Jesus disse: “Conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.” (João 8:32) Clementina, uma brasileira que foi vidente por 25 anos, disse: “A adivinhação era minha única fonte de renda. Mas a verdade da Bíblia me libertou da superstição.” De fato, o estudo regular da Bíblia e as orações sinceras a Jeová nos ajudam a desenvolver força interior, que pode estabilizar e equilibrar nossos pensamentos. Esse equilíbrio, por sua vez, nos ajuda a tomar boas decisões que evitam problemas graves e aliviam a ansiedade. — Filipenses 4:6, 7, 13.

A Bíblia pergunta: “Que parceria tem a luz com a escuridão? Além disso, que harmonia há entre Cristo e Belial [Satanás]?” Por isso, os cristãos verdadeiros devem ficar longe da superstição. — 2 Coríntios 6:14-16.

JÁ SE PERGUNTOU?

◼ Em vez de confiar em Deus, em quem os israelitas supersticiosos confiavam nos dias de Isaías? — Isaías 65:11, 12.

◼ O que o apóstolo Paulo disse que as pessoas supersticiosas de Listra deviam fazer? — Atos 14:15.

◼ A superstição é compatível com o cristianismo verdadeiro? — 2 Coríntios 6:14-16.

[Fotos na página 10]

A superstição leva as pessoas a ter um falso senso de segurança

Rate this post



Comentários com Facebook




Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.