PENDÊNCIAS RN-Redescobrindo o mar e a motivação


162996Fernando Domingo
Repórter

Seis anos depois de sofrer um grave acidente fazendo o que mais gosta – o bodyboarding – a potiguar Débora Nascimento, de 35 anos, não demonstra fraqueza e recuperou tudo que o acaso, momentaneamente, pareceu lhe tirar. Com um enorme espírito de luta e força de vontade, ela superou uma fratura luxação da coluna cervical, readquiriu os movimentos e dois anos depois iniciou, ao lado da amiga e também bodyboarder Aline Mello, o “Projeto Motivar” na Vila de Ponta Negra, zona Sul de Natal, que, através do esporte, vem transformando a realidade social de 21 jovens, entre 9 e 17 anos.

“O acidente foi em Ponta Negra. Era uma quinta-feira e eu resolvi fazer um último treino antes de partir para Salvador, na Bahia, para disputar a segunda etapa do Circuito Mundial de Bodyboard. Na hora não apaguei, mas, pensei que tinha morrido. Senti que perdi os movimentos. O primeiro ano foi bem difícil, fiquei bem mal, mas, com o tempo, fui me recuperando. No segundo ano já estava bem. Hoje, consigo levar uma vida normal, com algumas limitações internas que aprendi a conviver. Mas, ainda não posso trabalhar ou fazer muita força. Por sorte, consigo surfar e me dedicar ao projeto, que foi um grande incentivador”, comentou Débora.

Adriano AbreuA atleta Débora Nascimento (centro/esquerda)  está de volta às ondas de Ponta NegraA atleta Débora Nascimento (centro/esquerda) está de volta às ondas de Ponta Negra

 

A amiga e bodyboarder Aline Mello, 33 anos, além da companhia diária no Projeto Motivar, estava com Débora no dia do acidente e falou com a reportagem da TRIBUNA DO NORTE sobre o assunto. “No dia eu nem tava querendo ir pra praia. Ela chamou e resolvi acompanhar, como sempre. Na hora do acidente, quando eu percebi, um rapaz já tinha entrado no mar para salvá-la. A Débora tava com a cabeça para baixo, como se tivesse tirando a areia dos cabelos, algo comum para nós surfistas, mas, na verdade, ela tinha perdido os movimentos”, recorda Aline, que em 2006 ficou entre as 16 melhores do mundo e nos três anos seguintes (2007, 2008 e 2009) foi Top 3 do circuito brasileiro.

Com a recuperação de Débora e o ideal de Aline, a dupla alugou um casa na Vila de Ponta Negra e deu forma ao Motivar. “Fizemos uma propaganda, divulgamos com carro de som e tivemos uma boa procura já de imediato”, contou Aline. Desde então, elas vem fortalecendo o programa, sempre com novas atividades. “Segunda, quarta e sexta as crianças tem aula de bodyboarder, com a gente. Na terça, uma professora dá aula de yoga e o pessoal da Fatern trabalha fisioterapia. E, agora também vamos começar com aulas de formação política”, disse Débora.

Com a prerrogativa de “não querer formar atletas, mas, cidadãos”, elas utilizam o esporte como ferramenta na educação e na inclusão social. Para aumentar o atendimento, inclusive, a dupla já projeta trabalhar com as mães dos 21 estudantes que integram o grupo atualmente. “Junto ao grupo de voluntários da Petrobras, conseguimos quatro máquinas de costura, para produzir bolsas a partir do material utilizado em banners. Os produtos vão ser comercializados no Praia Shopping, que é um dos nosso apoiadores, e o valor ganho será repartido entre o projeto e as mães. Nossa expectativa é já iniciar isto no próximo mês de agosto”, declarou Débora.

Emanuel AmaralApós acidente, ocorrido há 6 anos, Débora ficou presa a uma camaApós acidente, ocorrido há 6 anos, Débora ficou presa a uma cama

Apesar todo o trabalho bem executado e de resultados, o projeto ainda se mantém através de doações e apoios pontuais, sem um patrocínio master. “Nossa meta é trabalhar com 80 estudantes, todos matriculados na rede pública de ensino e criados aqui na comunidade. Para isso, precisaríamos aumentar a estrutura e ter equipamentos para todos. Mas, falta interesse dos empresários na área social, só visam o lucro. Não temos financiadores, apenas apoios e voluntários. Acredito no que fazemos, já temos as licenças de utilidade pública municipal e estadual. Dei entrada na federal e vamos partir para os editais. O importante é seguir em frente”, afirmou Aline.

Débora sofreu acidente na Praia de Ponta, em 2009

No dia 21 de abril de 2009, Débora Nascimento, então com 29 anos, tragada por uma onda enquanto surfava na praia de Ponta Negra, bateu violentamente a cabeça na areia, sofrendo um forte trauma na coluna cervical. Socorrida por banhistas e amigos, ela foi encaminhada ao Clóvis Sarinho, onde, segundo o neurocirurgião Nilson Pinheiro, em entrevista à TN na época, chegou com incapacidade de movimentar os membros, apenas com um tônus muscular na perna direita, “muito discreto e bem débil”. Quatro dias depois, já internada no Hospital do Coração, foi submetida à uma cirurgia e passou aos cuidados da mãe e irmãs, além do apoio técnico de médicos e enfermeiros. Já o suporte financeiro veio de diversos pontos do país, através de doações. Abecedista de coração, durante a permanência na unidade hospitalar, também recebeu a visita do presidente do clube no período, Judas Tadeu, do técnico Heriberto da Cunha e do goleiro Raniere.

Rate this post



Levany Júnior

Levany Júnior é Advogado e diretor do Blog do Levany Júnior. Blog aborda notícias principalmente de todo estado do Rio Grande do Norte, grande Natal, Alto do Rodrigues, Pendências, Macau, Assú, Mossoró e todo interior do RN. E-mail: [email protected]

Comentários com Facebook




Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.