Olhemos para Jesus!


Olhando para cruz

Leia em sua Bíblia Números 21.4-9 e João 3.14-21

Sofrimento é uma palavra que nos acompanha diariamente. Com certeza ninguém de nós gosta de sofrer, seja física ou emocionalmente, seja qual for a causa do sofrimento. O sofrimento nos cansa e, quando ele dura muito tempo, nossa tendência é reclamar e nos queixar.

 

Assim foi com o povo de Israel depois que saíram da escravidão no Egito, guiados por Moisés. Em sua jornada pelo deserto em direção à terra de Canaã, eles ficaram cansados e desanimados. Os 40 anos de viagem pelo deserto causaram queixas e reclamações contra Moisés e contra Deus.

 

Mas, qual era o verdadeiro problema dos israelitas: desânimo por causa dos sofrimentos no deserto ou falta de confiança nas promessas de Deus?

 

É claro que eles estavam cansados e desanimados. Só que esse desânimo era causado exatamente pela falta de confiança deles nas promessas do Senhor. Vejamos: por que eles tinham que levar 40 anos para fazer uma viagem que normalmente levaria apenas alguns meses, mesmo indo a pé, com seus animais e suas bagagens?

 

Do Egito até Canaã são mais ou menos 600 Km – não é tão longe para ter que andar 40 anos! Esses 40 anos foram um castigo de Deus pelo povo não ter confiado que o Senhor lhes daria a vitória contra os moradores de Canaã, quando Josué, Calebe e outros dez homens foram espionar a terra prometida. Isso está registrado em Nm 14.22,23.

 

O sofrimento então era culpa deles mesmos. Não confiaram no Senhor que já tinha dado tantas provas do seu amor e poder, tirando-os do Egito com grandes sinais e milagres.

 

Na leitura de hoje novamente o povo reclama contra Deus. Reclamam do pão que Deus envia do céu cada dia, de graça. E aí Deus age de novo: assim como tinham enviado o pão para matar a fome deles, agora envia as cobras, não só para castigá-los, mas principalmente para levar o povo ao arrependimento e de volta para perto dele.

 

E o resultado veio: o povo viu seu erro, arrependeu-se do pecado e disse: Nós pecamos, pois falamos contra Deus, o SENHOR. O povo olhou para si mesmo e para suas atitudes e confessou seu pecado.

 

E então Deus tirou as cobras do meio deles? Não! As cobras não eram o seu maior problema, pois na verdade o deserto era o lugar delas. Deus mandou Moisés fazer uma cobra de metal e colocá-la num poste, e então mandou o povo olhar para aquela cobra, para que vissem que a solução vinha dele, curando assim o principal problema deles – a falta de confiança no Senhor.

 

Quem olhava para a cobra de metal era curado, não porque ela tinha algum poder, mas por causa da promessa de Deus: Quem for mordido deverá olhar para ela e assim ficará curado (v.8).

 

Essa história, muito interessante, só vale alguma coisa para nós se vermos o que ela tem a nos dizer hoje, para a nossa vida.

 

Nós, como povo de Deus, também temos problemas e sofrimentos, e muitas vezes desanimamos. Muitas vezes começamos a reclamar e nos queixar e talvez até pensamos que Deus nos abandonou, como o povo de Israel tinha pensado.

 

Deus então age em nossa vida para levar-nos de volta à confiança NEle. Ele não manda cobras para nos castigar, mas Ele permite que em nossa vida aconteçam doenças, problemas financeiros, familiares e emocionais, dificuldades, para fazer-nos refletir sobre nossa vida e nossas ações e levar-nos ao arrependimento, levar-nos a dizer: “nós pecamos!”

 

Pecamos todos os dias, pois o pecado ainda mora dentro de nós. Muitas vezes colocamos outras coisas acima de Deus em nossa vida e confiamos em coisas, em seres ou em nós mesmos e não no Deus verdadeiro. Como o povo de Israel, provocamos a ira de Deus, desafiamos sua vontade e paciência e não damos valor às suas promessas. Nós pecamos e nos afundamos na lama mortífera do pecado.

 

E o que podemos fazer? Nada! Não podemos fazer nada, assim como os israelitas não podiam fazer nada contra as cobras no deserto. Somente Deus pode resolver nossa situação, como resolveu a deles. Lá Ele fez o povo olhar para a cobra de metal, a solução que vinha diretamente dele.

 

Essa cobra de metal, meus irmãos e irmãs, apontava exatamente para a solução de Deus para nós hoje: aponta para Jesus, como ele mesmo diz no evangelho de hoje: LER Jo 3.14.

 

Deus quer que olhemos para Jesus para que todos os que crerem nele tenham a vida eterna (Jo 3.15).

 

Assim, a única solução para nosso pecado e nossa falta de confiança em Deus é esta – olhemos para Jesus! Se você tem sofrido com doença, falta de trabalho ou dinheiro, conflitos familiares, problemas emocionais, falta de amor a Deus e ao próximo, angústia ou desânimo, com o peso do pecado, Deus convida você a olhar para Jesus.

 

Olhemos para Jesus! Olhe para Jesus com o coração – coloque sobre Ele toda sua angústia, dor e fraqueza, deposite nele toda a sua confiança e fé. Em oração nós levamos tudo isso a Deus, através de Cristo, e Ele nos responde com seu Espírito em sua Palavra e Sacramentos e através dos irmãos na fé.

 

Na epístola Paulo nos diz: Pois pela graça de Deus vocês são salvos por meio da fé. Isso não vem de vocês, mas é um presente dado por Deus. A salvação não é o resultado dos esforços de vocês; portanto, ninguém pode se orgulhar de tê-la (Ef 2.8-9).

 

Esta solução de Deus em Cristo é por graça e não podemos nem precisamos fazer algo para tê-la em nossa vida. Precisamos apenas, como os israelitas, reconhecer sinceramente nossos pecados e confiar no perdão, na força e no consolo que vem de Deus, através do Cristo que foi crucificado e levantado por nós e em nosso lugar.

 

Para que você e eu sejamos salvos e tenhamos paz já aqui, mesmo em meio aos sofrimentos, e por toda a eternidade, Deus nos convida para que confiantementeolhemos para Jesus! Ele está conosco em sua Palavra e Santa Ceia e nos concede a vitória sobre as cobras mortíferas do pecado, da morte e do diabo.

 

Olhemos para Jesus! Ele se deu por nós e está sempre pronto a nos ajudar e, principalmente, a nos dar nova vida e vida eterna. Amém.

Postado por Leandro D. Hübn



Levany Júnior

Levany Júnior é Advogado e diretor do Blog do Levany Júnior. Blog aborda notícias principalmente de todo estado do Rio Grande do Norte, grande Natal, Alto do Rodrigues, Pendências, Macau, Assú, Mossoró e todo interior do RN. E-mail: [email protected]

Comentários com Facebook




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.