JOSUÉ – Apresenta Jesus Cristo Capitão da Nossa Salvação


download (2)

Para que entreis a terra que vos dá o Senhor vosso Deus, para a possuirdes (Josué 1.11). Cabe a Deus dar, cabe a nós possuir!
Com o livro de Josué, começamos a segunda divisão do Antigo Testamento, os livros históricos. Nenhum livro inspira mais coragem e dá mais sabedoria ao soldado da cruz do que o livro de Josué. É repleto de verdades espirituais.
Ele relata o estabelecimento dos filhos de Israel em Canaã, como prova da fidelidade de Deus no cumprimento da sua promessa a Abraão. Qual foi essa promessa? (Gênesis 12.1-3).
O livro leva o nome de Josué, o herói dessa grande conquista. Originalmente o nome de Josué era Oséias, que significa “salvação de Deus”, é um equivalentehebraico do grego “Jesus”. Josué é um tipo (ou figura) de Jesus Cristo, pelo fato de introduzir o povo de Deus na terra prometida e conduzi-lo à vitória sobre seus inimigos. Ele é chamado servo de Jeová, aquele por meio de quem Deus transmitiu suas ordens e mediante quem ele realizava seus propósitos – o primeiro ministro de Deus.
Ao estudar o livro de Josué, lembre-se de que Deus dá, mas o homem precisa tomar posse. O livro trata da vitória sobre o inimigo, e da ocupação da terra. Deus diz: “Tomai-a toda.” Ouvimos Deus dizer: Moisés, meu servo, é morto; dispõe-te agora, passa este Jordão (Josué 1.2).
Lembre-se de que Josué foi um dos doze espias mandados a Canaã quarenta anos antes. Agora ele envia dois outros para trazerem um relatório da terra. Os espias despertaram suspeitas, mas Raabe os salvou da morte escondendo-os no forro da sua casa. Leia a história de Raabe e os espias em Josué 2.
MARCHA PARA FRENTE (Josué 3-5)
Encorajados pelo relatório dos espias, os israelitas transferiram seu acampamento de Sitim, para um lugar mais próximo do Jordão. Era a época da cheia do Jordão e o povo de Jericó certamente pensou que era impossível atravessá-lo, do contrário teriam ido lá para impedi-los. Mas Deus tinha um modo de seguirem em frente. Martinho Lutero disse: “Eu não conheço o caminho pelo qual ele me guia, mas conheço muito bem meu Guia.”
Josué disse aos sacerdotes que apanhassem a Arca e entrassem no Jordão, numa época em que as águas transbordavam. Quando a planta dos seus pés tocou as águas do Jordão, estavam pisando em terra seca. E todo o Israel passou a pé enxuto (Josué 3.9-17). Isto é impossível aos homens, mas para Deus tudo é possível (Mateus 19.26). Quando Deus dá uma ordem, ele nos capacita para cumpri-la.
O que era a Arca? O símbolo da presença de Deus. E Cristo é a realidade da presença de Deus. Ele disse: E eis que estou convosco todos os dias (Mateus 28.20). Ele vai à nossa frente e diz: Segui-me, e manda seu Espírito Santo segredar-nos: Este é o caminho, andai nele. A arca viva da aliança ainda é o nosso guia, tanto nas pequenas como nas coisas grandes da vida.
Do leito do rio, do lugar onde os sacerdotes firmaram os pés, foram tiradas doze pedras e empilhadas na outra margem, como marcos memoriais das maravilhas que Deus fizera por eles (Josué 4.3).
A QUEDA DE JERICÓ
As muralhas de Jericó tinham de ruir para que os israelitas pudessem avançar na conquista da terra prometida. As instrumentações de Deus poderiam parecer estranhas aos israelitas, mas eles estavam prontos a executar as ordens de Deus. As sete trombetas, à frente da procissão por sete dias e sete vezes no sétimo dia, mostraram aos israelitas que esse era o plano de Deus para a conquista. É fácil fazer soar uma trombeta, e coisa mínima marchar ao redor de um muro. O difícil é ver o valor disso. Se forem necessários seis dias de canseira rodeando muros, o sétimo dia virá quando os muros vão cair.
A CAMPANHA DE AI     (Josué 7 e 8)  
            Como fizera no caso de Jericó, Josué enviou espias a Ai para se informarem da situação. Confiantes demais, por causa dos seus êxitos recentes, ao regressarem deram um conselho leviano: Não suba todo o povo; subam uns dois ou três mil homens a ferir a Ai; não fatigueis ali a todo o povo; porque são poucos os inimigos. A pequena força foi enviada para subir a encosta, mas quando a guarnição de Ai deu contra ela, os israelitas fugiram sem enfrentá-los. Nesse desastre todos viram a retirada da mão orientadora de Deus e aprenderam que não podiam confiar somente em suas próprias forças.
            O pecado de um homem causou a derrota de Israel. Acã roubou e escondeu uma barra de ouro no meio da sua tenda. Sabei – sabei que o vosso pecado vos há de achar (Números 32.23). Nenhum pecado afeta só o próprio pecador.
CAMPANHA DO SUL    (Josué 10)
            Os israelitas voltaram a atacar Ai. Dessa vez foram vitoriosos. A tomada de Ai revela verdadeira estratégia militar. A fama de Israel começou a espalhar-se por toda a parte.
            Os reis de Canaã formaram aliança contra os invasores. Os gibeonitas enganaram os israelitas e fizeram um tratado com eles. A mentira se tornou um laço para eles. Por causa disso, Josué os condenou a se tornarem rachadores de lenha e tiradores de água (Josué 9.21).
            Leia a respeito da chuva de pedra e como Deus prolongou o dia para ajudar o seu guerreiro (Josué 10.10, 11,13). Josué orou e o sol parou. As coisas comuns se detêm quando Deus está operando.
CAMPANHA DO NORTE     (Josué 11)
            Depois que os israelitas estavam de posse de todo o sul de Canaã, uma nova confederação teve de ser enfrentada e vencida. Os reis do Norte se uniram e tentaram anular o poder dos conquistadores israelitas. Mas com a força divina Josué os desbaratou a todos. As Escrituras dizem que levou muito tempo, mas finalmente a terra descansou da guerra (Josué 11.23).
            Jerusalém é chamada por esse nome aqui pela primeira vez na Bíblia. Desde então ela se tornou possivelmente o lugar mais famoso do mundo! È uma cidade com um grande passado histórico e um brilhante futuro. Nela Cristo irá reinar quando voltar em poder e grande glória (Lucas 21.27).
DIVISÃO DA TERRA (Josué 13-24)
            Josué era agora um ancião de aproximadamente noventa anos, e sabia que a conquista da terra estava longe de ser completada. Eles procuraram determinar a vontade de Deus sobre este assunto.
            Havia ainda Muitíssima terra para se possuir. Para que os filhos de Israel pudessem realizar essa tarefa, Josué dividiu a terra entre eles.
            “Esta é de Judá; esta é de Aser; esta é de Simeão e esta é de Benjamim”, visto que a distribuição foi feita por sorte, ninguém podia ficar com inveja.
Mas aos levitas não tinha dado herança entre seus irmãos (Josué 14.3).
Lembre-se que esta tribo foi separada para o sacerdócio.
A POSSESSÃO DE CALEBE (Josué 14)
            Calebe estava agora com 85 anos. Dentre os espias só ele e Josué ousaram confiar em Deus. Como recompensa por sua obediência, eles foram os únicos da sua geração a quem Deus permitiu entrar em Canaã.
            Calebe pediu a seu amigo Josué as cidades altas e muradas. E acrescentou: O Senhor, porventura, será comigo, para desapossá-los, como prometeu (Josué 14.12). Josué reconheceu pronta e generosamente o direito de escolha do amigo, concedendo-lhe a montanha e o abençoou.
            Calebe disse: Eu perseverei em seguir o Senhor meu Deus (Josué 14.8).
Deus nunca prometeu a seus filhos dias fáceis no seu trabalho. A promessa não é de comodidade e, sim, de vitória.
 
A DESPEDIDA DE JOSUÉ (Josué 24)
            Josué envelhecera. Queria transmitir ao povo algumas palavras finais. Convocou primeiro os dirigentes e depois todo o povo e os admoestou a serem fiéis. Agora, pois, temei ao Senhor e servi-o comintegridade (Josué 24.14). Preveniu-os contra a apostasia. Disse-lhes: Escolhei hoje a quem sirvais: se os deuses a quem serviram vossos pais ou os deuses dos amorreus. E acrescentou: Eu e a minha casa serviremos ao Senhor (Josué 24.15).
            O povo disse naquele dia: Não, antes ao Senhor serviremos (Josué 24.21).
            Precisamos vez por outra reafirmar nossa decisão feita de permanecer na fé e em obediência. A reafirmação de decisões justas, feitas pelo crente, inclui temor ao Senhor, lealdade à verdade, a obediência sincera e renúncia ao pecado. Isso nos serve de alvo na vida.
            Nós, como Israel dos tempos antigos devemos viver segundo os princípios do Novo Concerto que foi estabelecido em Cristo. Hebreus 8.6
JOSUÉ MORRE
            Com cento e dez anos de idade, morreu Josué, o grande homem de Deus. O livro de Josué termina com a sua morte. Aqui está um grande tributo a um grande líder: Serviu, pois, Israel ao Senhor todos os dias de Josué (Josué 24.31).
 
ESTRITAMENTE PESSOAL
            Não ore por uma tarefa fácil. Peça que seja mais forte!
            A grandeza do poder de um homem está na medida da sua submissão. Não se trata de quem você é, ou o que você é, mas se Deus domina a sua vida.
Os fatos não mudam, os sentimentos sim.
Não basta acender um fogo, é preciso alimentá-lo.
VITAMINAS ESPIRITUAIS/DOSES MÍNIMAS DIÁRIAS
Domingo: A COMISSÃO DE JOSUÉ – Josué 1 e 2
Segunda: ATRAVESSANDO O JORDÃO – Josué 3
Terça: A QUEDA DE JERICÓ – Josué 6
Quarta: O PECADO DE ACÃ – Josué 7
Quinta: A OCUPAÇÃO DA TERRA – Josué 11
Sexta: A POSSESSÃO DE CALEBE – Josué 14
Sábado: A DESPEDIDA DE JOSUÉ – Josué 24

Adicionar comentário

Rate this post



Levany Júnior

Levany Júnior é Advogado e diretor do Blog do Levany Júnior. Blog aborda notícias principalmente de todo estado do Rio Grande do Norte, grande Natal, Alto do Rodrigues, Pendências, Macau, Assú, Mossoró e todo interior do RN. E-mail: [email protected]

Comentários com Facebook




Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.