Henrique Alves já arrecadou R$ 2 milhões a mais que todos os seus adversários juntos


5_158

Ciro Marques

Repórter de Política

O candidato do PMDB ao Governo do RN, Henrique Eduardo Alves, tem liderado não apenas as pesquisas de intenção de voto (apesar da última ter dado empate técnico). O atual presidente da Câmara Federal lidera, também, o ranking de doações de campanha. São mais de R$ 3 milhões doados para a candidatura do peemedebista, o que supera em quase R$ 2 milhões a soma de todos os valores arrecadados pelos quatro concorrentes de Henrique: Robinson Faria (PSD), Araken Farias (PSL), Robério Paulino (PSOL) e Simone Dutra (PSTU).

O detalhe é que, segundo o Tribunal Regional Eleitoral (TRE), responsável pela divulgação da informação sobre a arrecadação das campanhas, o dinheiro que o PMDB gastará na disputa veio, principalmente, de empresas ligadas a engenharia e construção civil. Foram elas que doaram os recursos para a Direção Estadual do partido (presidido por Henrique) e, de lá, a verba chegou a campanha.

Entre as empresas doadoras, destaque para a Telemont Engenharia e Telecomunicações, responsável por doar R$ 2,03 milhões para que Henrique seja eleito governador. A construtora OAS, responsável por construir a Arena das Dunas, doou outros R$ 150 mil para a campanha do peemdebista. O escritório Rossiter Rocha e Capistrano Advogados, com R$ 100 mil; a Arosuco Aromas e Sucos, com R$ 500 mil; e a Amil Assistencia Médica, com R$ 200 mil, completam a lista de “grandes doadores”. Além deles, aparecem na relação, também, a Grafica Santa Marta, que fez várias “pequenas” doações, que se aproxima dos R$ 40 mil.

Principais doações feitas para Henrique foram repassadas pela Direção do PMDB, mas foram feitas por empresas privadas. Foto: Reprodução
Principais doações feitas para Henrique foram repassadas pela Direção do PMDB, mas foram feitas por empresas privadas. Foto: Reprodução

ADVERSÁRIOS

Principal adversário de Henrique, o vice-governador aparece em segundo também na relação de arrecadação de recursos para a campanha. Nessa “disputa”, no entanto, ele não está nem perto de um empate técnico. Afinal, arrecadou “apenas” R$ 1,035 milhão até o momento. E desse montante, R$ 1 milhão veio da JBS. Foi do próprio bolso que Robinson doou os outros R$ 35 mil.

E apesar de estar distante financeiramente de Henrique, Robinson Faria ainda tem muito mais dinheiro para gastar que os outros três adversários: Araken Farias, Simone Dutra e Robério Paulino.

O nome do PSOL recebeu R$ 3,5 mil, aproximadamente, para a campanha, tendo sido R$ 2,7 mil dele mesmo. Simone Dutra recebeu mais: R$ 4,6 mil. Tudo recurso do Comitê Financeiro Único. Araken, até o momento, não arrecadou qualquer valor.

PRESTAÇÃO DE CONTAS

De acordo com a Lei nº 9.504/1997 (Lei das Eleições), a primeira parcial da prestação de contas deve ser entregue à Justiça Eleitoral entre os dias 28 de julho e 2 de agosto do ano da eleição. A segunda parcial deve ser entregue entre 28 de agosto e 2 de setembro. A divulgação ocorre nos dias 6 de agosto e 6 de setembro, respectivamente. A norma também prevê que a ausência de prestação de contas parcial caracteriza grave omissão de informação, que poderá repercutir na regularidade das contas finais.

Já a prestação de contas final deve ser entregue até o dia 4 de novembro, 30 dias após as eleições. Para os candidatos que concorrerem ao segundo turno, a prestação de contas referente aos dois turnos deverá ser entregue até o dia 25 de novembro.



Levany Júnior

Levany Júnior é Advogado e diretor do Blog do Levany Júnior. Blog aborda notícias principalmente de todo estado do Rio Grande do Norte, grande Natal, Alto do Rodrigues, Pendências, Macau, Assú, Mossoró e todo interior do RN. E-mail: [email protected]

Comentários com Facebook




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.