GUAMARÉ RN-Sete em cada dez casas não têm equipamento para evitar vazamento


A Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (CAERN) comunica que, em cada dez casas visitadas pela equipe de vistoria em Mossoró, em sete delas é detectada a inexistência da boia. A Caern explica que o equipamento é recomendado para fechar automaticamente o registro e parar a entrada de água nos reservatórios dos imóveis.

A companhia relata que as pessoas justificam que quando a caixa de água enche, elas desligam, mas é comum denúncia de vizinhos sobre transbordamentos. O investimento em uma boia é essencial para pôr fim ao desperdício. O transbordamento frequente de água da caixa pode gerar contas que chegam a R$ 3 mil em um mês.

De acordo com a Caern, é da cultura do mossoroense ter caixa de água e cisterna. Estes dois locais necessariamente precisam de boias. O órgão lembra que os clientes não fazem uso dos dispositivos corretos por desconhecimento e, por vezes, até para não ter que gastar. “O problema é que eles terminam pagando a mais na conta de água”, ressalta a empresa.

A Caern explica ainda que aquela “gambiarra” na torneira, que o usuário amarra com uma liga de borracha até diminui os pingos, mas tende a esquecer de consertar e a torneira vai continuar pingando. “Uma abertura de 1 milímetro na torneira representa uma perda de 1.280 litros por dia, já uma abertura de 2 milímetros na torneira representa uma perda de mais de 4 mil litros por dia”, diz o comunicado.

A troca da torneira é essencial. A medida acaba de vez com o vazamento. O mesmo, segundo a companhia, serve para o chuveiro. Outra situação que gera desperdício de água e de dinheiro é fazer remendos em mangueiras. Algumas pessoas deixam de consertar a torneira e dobram a mangueira para cessar a passagem da água. Apesar desta medida, toda água que entra na residência, é registrada pelo hidrômetro e será cobrada.

A equipe de vistoria da Caern em Mossoró depara-se com situações que revelam displicência em relação a evitar vazamentos internos no imóvel. “Vivemos um dos verões mais quentes dos últimos anos, mesmo assim, o cuidado com a água nem sempre é prioridade”, lembra.

O gerente da Regional Oeste, Márcio Bruno, explica que é preciso ter atenção dentro de casa para acabar com o desperdício.

“Muitas pessoas esquecem suas atitudes nada sustentáveis e tentam responsabilizar o aparelho que mede água pelo consumo alto. Antes de questionar o aparelho é importante repensar hábitos que muitas vezes são tidos como normais, mas na verdade geram desperdício”, informa Márcio Bruno.

“Quando a equipe da Caern vai ao local fazer vistoria, ela pretende entender a rotina de consumo para chegar as possibilidades de vazamento. Raramente, as pessoas conseguem reconhecer hábitos errados. Ao mesmo tempo que não se reconhece, não se encontra formas de economizar e o problema vira uma bola de neve, em que todos saem perdendo”, continua o comunicado.

VAZAMENTOS INVISÍVEIS

Existem também os vazamentos invisíveis. Estes são mais difíceis de identificar pelos usuários porque, como o próprio nome diz, eles não são identificados facilmente. São vazamentos que descem pela tubulação da descarga e com louças sanitárias brancas passam despercebidos. O mesmo serve para vazamentos em tubulação, dentro da parede.

Em reservatórios elevados ou cisternas também é possível ter rachaduras que nem sempre são facilmente detectáveis. O aumento repentino da conta de água é fator determinante para que o usuário investigue se existe algum problema com vazamentos dentro de casa. A vistoria da Caern é acionada para ajudar o usuário a entender o que ocorre dentro de casa. O serviço de vistoria é cobrado pela Caern e é de responsabilidade do cliente contratar profissional de sua confiança para executar os serviços necessários para acabar com os vazamentos em seu imóvel.

Seis passos para evitar vazamentos de água

Muitos vazamentos em canos e torneiras residenciais podem ser facilmente encontrados. Para isso, especialistas recomendam a adoção de técnicas simples e um pouco de paciência para observação.

Para caçar vazamentos em casa, siga os seis passos seguintes para evitar desperdícios, diminuir o preço da conta e economizar até com serviços de um profissional.

Confira:

1- Feche todas as torneiras, interrompendo o uso da descarga e de todos os aparelhos ou equipamentos que usam água.

2- Leia o relógio (hidrômetro). Sem fechar os registros, anote o número marcado no visor do hidrômetro, esperar uma hora e refazer a leitura. Caso o ponteiro tenha andado e o número no visor sofrido alteração é sinal de vazamento na casa.

3- Nos canos alimentados por caixas d’água, marque o nível da água da caixa e verificar, depois de uma hora se houve alterações. Caso o nível tenha baixado, é sinal de que há vazamentos na tubulação ou sanitários.

4- Nos vasos sanitários com caixa acoplada, retire a tampa da caixa e pingar algumas gotas de corante. Após alguns minutos, observe se o vaso ficou colorido.

5- Nos jardins, note se há áreas com terra mais fofa e úmida ou plantas mais crescidas em uma área do que em outras. Isso pode indicar vazamento.

6- Faça um teste acústico. Dê batidas com a mão fechada na extensão do encanamento que percorre a parede e fique atento para sons diferentes. Vazamentos desse tipo também deixam sinais aparentes nas paredes, como relevos (bolhas) e manchas na pintura.

Informações: www.rotorooter.com.br.

Tags:

casas
Caern
equipamento
boia
vazamento
visitas

VOLTAR

Rate this post



Comentários com Facebook




Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.