Filho de delegado detido suspeito de extorsão é preso em Campina Grande


download (2)

02/09/2014 08h59 – Atualizado em 02/09/2014 08h59

Filho de delegado detido suspeito de extorsão é preso em Campina Grande

Filho é apontado pela polícia como cúmplice do delegado, preso em agosto.
Dupla exigia dinheiro para não apreender veículo de comerciantes.

Do G1 PB

Foi preso na noite da segunda-feira (1º), em Campina Grande, o filho do delegado da Polícia Civil que havia sido preso no dia 23 de agosto suspeito do crime de ‘concussão’, conhecido popularmente como extorsão. De acordo com o delegado e superintendente da Polícia Civil de Campina Grande, Marcos Paulo Vilela, o filho do delegado foi apontado pela polícia como cúmplice nas extorsões.

O delegado foi preso em flagrante no ato do recebimento de uma quantia de R$ 1.400. Segundo investigações da Polícia Civil de Campina Grande, o delegado ao perceber pendências administrativas do proprietário de um veículo junto ao Departamento Estadual de Trânsito (Detran), ameaçou apreender o automóvel. O superintendente da Polícia Civil de Campina Grande explicou que a extorsão vinha ocorrendo desde o dia 16 de agosto.

Marcos Paulo explica que a prisão preventiva do jovem já havia sido solicitada um dia depois que o pai dele foi preso. “O filho se fingia de policial civil. Era coautor das extorsões que o pai fazia. Acreditamos que com essa divulgação outras pessoas que foram lesadas procurem a polícia para relatar extorsões praticadas pela dupla”, disse.

A prisão aconteceu por volta das 18h, em um motel no bairro do Distrito Industrial. O homem foi levado para a Central de Polícia Civil, no bairro do Catolé. Segundo Marcos Paulo, o suspeito será ouvido na manhã desta terça-feira (2) e em seguida encaminhado para o presídio ou para a sede do 2º Batalhão de Polícia Militar. “Ele afirmou que possui curso superior e estamos investigando a informação. Dependendo da confirmação, ou não, é que saberemos o local onde ele ficará preso”, explicou.

Entenda o esquema
Segundo ele, o delegado e o filho interceptaram um veículo dirigido por um funcionário dos empresários extorquidos. “Eles pediram inicialmente o pagamento de R$ 10 mil e o comerciante ficou com medo do empregado dele fosse preso, então, o delegado o acompanhou até uma agência da Caixa Econômico, onde foi feito um saque de mil reais. Durante a semana ele voltou a procurar os comerciantes exigindo mais dinheiro, o que ocasionou no flagrante que fizemos”, frisou. Os dois serão processados por extorsão com base no artigo 316 do Código Penal e a punição varia de dois a oito anos de reclusão.

tópicos:

Rate this post



Levany Júnior

Levany Júnior é Advogado e diretor do Blog do Levany Júnior. Blog aborda notícias principalmente de todo estado do Rio Grande do Norte, grande Natal, Alto do Rodrigues, Pendências, Macau, Assú, Mossoró e todo interior do RN. E-mail: [email protected]

Comentários com Facebook




Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.