UM CONVITE PARA QUEM SÓ QUER O EVANGELHO E NADA MAIS


lei1

Leia com tranqüilidade e atenção…

Queridos amigos e irmãos: graça e muita paz nestes dias de dis-solução…

Gostaria de fazer um convite bastante honesto para você que é meu amigo de perto e de longe, mas que de alguma forma está conectado a mim pelo mesmo sentimento e pensamento. Falo a você que carrega no peito o santo anseio de viver o Evangelho com pessoas que queiram o mesmo, ou seja, de viver com simplicidade o Evangelho de Jesus.

Estou falando do Evangelho e não de ser “evangélico”, pois do meio já faz um bom tempo que saí. Hoje, quando me perguntam se sou evangélico, por vezes digo que “sim” e que “não” e na maioria das vezes apenas “não”.

Vou explicar:

SIM, porque creio visceralmente no Evangelho que é, antes de qualquer coisa, Jesus. Ele É e Nele está a BOA NOTÍCIA – pois Evangelho significa boa nova – de que “Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo”.

Assim, o que resta é vivermos em confiança, tendo tomado posse desta feliz verdade para a vida. E, na medida que tal verdade for se
interiorizando como consciência se vai, naturalmente, semeando com a própria vida o significado existencial e espiritual desta maravilhosa mensagem, a saber, que em Cristo estamos reconciliados com Deus e que agora, por sua Graça, é possível desfrutarmos dos benefícios da Cruz.

Aceitar isto pela fé é VIVER sem as amarras das leis religiosas que não forjam homens e mulheres segundo a verdade em amor, amadurecidos espiritualmente, mas meninos e meninas dependentes de um “babá religioso” que diga o tempo todo o que se deve fazer. Neste caso NÃO HÁ CONSCIÊNCIA a ser produzida pelo Espírito conforme o ensino e o poder de Jesus que nos desafia a LEVANTAR e ANDAR (com as próprias pernas, ou seja, assumindo as suas responsabilidades), que nos chama a tomar a decisão de NEGAR-SE A SI MESMO, TOMAR A CRUZ e SEGUÍ-LO.

Então pergunto: quem de fato quer isto?

Em geral entendem que “negar-se” é descaracterizar-se como pessoa e então assumem uma falsa imagem de piedade diante dos outros, sem assumirem o que de fato são para serem o que precisam ser em Cristo; ou que “tomar a cruz” é assumir problemas que foram psicologicamente crônificados como se fossem uma espécie de karma, um modo de purificação imposto por Deus a ser cumprido na existência; ou ainda, que“seguir Jesus” é seguir um pacote de regras e comportamentos religiosos que o próprio Jesus por inúmeras vezes orientou-nos a não seguir. Leia com atenção os evangelhos e confira se de fato não é assim.

E por que digo que NÃO sou “evangélico”?

Já faz tempo que não me designo de evangélico, por uma razão muito simples: porque o que chamam hoje de “evangélico” acabou se tornando a antítese do que de fato venha ser um seguidor de Jesus. A história, a minha experiência enquanto líder comunitário e os ensinos de Jesus confirmam que o que digo é verdade. Entre “evangélicos” há evangélicos genuinos (gente que carrega a qualidade do Evangelho), mas hoje, infelizmente, é uma minoria. Desta forma, não tenho mais tempo e energia a oferecer a qualquer coisa que não tenha para mim a “cara” de Jesus. Não quero e nem sou obrigado a representar algo em que eu não acredito, pois desde muito novo já dizia que Jesus não veio implantar aqui neste mundo qualquer religião, isto inclui a religião cristã de vertente evangélica.

Mediante tudo o que foi posto não tenho mais como identificar-me com o que ficou esvaziado de sentido para a vida, posto que perdeu, infelizmente, a essência (o conteúdo e o espírito das práticas e ensinos de Jesus).

Tornei-me um ecumênico? Não. Apenas creio na comunhão dos que crêem em Jesus conforme Jesus é. Tornei-me um revoltado contra a “igreja evangélica”? Não. Apenas creio cada vez mais numa única Igreja e esta é Evangélica por natureza e vocação, não por usar uma placa e ter um CGC que a designe como tal. Tornei-me um ser anti-institucional? Não. Apenas não sou a favor da institucionalização de corações por ser a favor totalmente do Evangelho e nada mais que isto, pois nada – sejam templos, status e estatutos, ministérios remunerados, dogmas religiosos, cleros, vaidades por pertencimentos, megalomania por números, leis falsamente éticas e etc – pode e deve substituir a simplicidade do Evangelho na vida pessoal de cada individuo e na caminhada comunitária. Tornei-me um ser solitário? Não. Pois o Senhor tem me acrescentado amigos espirituais com os quais tenho caminhado e aos quais tenho servido com amor.  Tornei-me num ser sem causa, deixando a vocação de lado? Não. Apenas assumi-la ainda mais tanto quanto a Causa vai se tornando cada vez maior em mim. Seus desafios são inegáveis e delas não posso fugir.

Aos que têm sido incomodados pelo Espírito nestes dias de tanta dis-solução (de tanta perca dos elementos vitais do coração, dos verdadeiros sentidos, dos valores reais, da solução do ser, das substancias promotoras de saúde para alma), venho fazer este honesto e singelo convite:

Em primeiro lugar, não perca mais tempo. Pare para pensar e busque a Deus de todo o coração. Leia as Escrituras, especialmente o Novo Testamento, a começar dos evangelhos. Leia-os para sua própria vida. Leia, compare e veja que o que Jesus ensinou não tem nada a ver com o espírito religioso dos homens, mas com a reta justiça de Deus, por meio da qual somos justificados pelos méritos do Cordeiro Santo que por nós morreu.

Em segundo lugar, convido você a não caminhar sozinho. Busque pessoas com quem você possa compartilhar a vida, o Evangelho, as orações. Onde estiver dois ou três no nome de Jesus, aí Ele se faz presente, aí está a Igreja. Não fui eu quem ensinou isto. Jesus nunca precisou de grandes estruturas para reunião, de agendas e horas fixas para encontros, de multidões para compartilhar alguma coisa. Multidão era apenas o resultado natural da sua própria fama e, entre os que estavam na multidão, nem todos, de fato, buscavam a Jesus, mas ao que Jesus poderia fazer por eles, como acontece muito hoje. Então, una-se e reúna-se com pessoas e, se você mora em Recife ou área metropolitana, especialmente se você mora nas proximidades do bairro de Casa Amarela, dê-me o prazer de conhecê-lo e vamos caminhar juntos com simplicidade, verdade e amor.

Que fique claro uma coisa: não se trata aqui de tirar ninguém de lugar nenhum, mas apenas um convite para quem não tem outro caminho a fazer que não seja única, exclusiva e simplesmente em Jesus, o único e verdadeiro Caminho. O convite é para quem se cansou da palavra religião, mas que busca relação com Deus e com gente que é gente e que tem as mesmas aspirações. O convite é para quem, de fato, não agüenta mais ficar sem reagir à voz do Espírito Santo que nos convida à liberdade e liberdade das leis religiosas, das cronicidades das enfermidades da alma libertina e dos ambientes institucionais onde ser gente é uma impossibilidade e ser crente é uma chatice.

Neste sentido, a proposta é que caminhemos juntos como gente-crente e como crente que é gente. Aliás, não há outro modo de se seguir a Jesus, pois ser “crente” sem ser gente é tornar-se num religioso insensível e se ser “gente” sem ser crente em Cristo é se tornar no máximo em um humanista, para não dizer num materialista que não consegue ver a vida para além desta vida.

O convite vai ficando por aqui e com ele algumas sugestões/orientações:

1. Dê-me o prazer da sua visita em meu blog, Reflexão & Vida: http://reflexaoevida.wordpress.com.. Sugiro que você passe lá e leia os textos que ali postei e, na medida do possível, dê o seu retorno, como também escreva-nos para compartilhar algo da sua vida se assim você precisar e quiser. Meu E-MAIL é [email protected] e o meu MSN é[email protected], que também tem sido um meio para aconselhamento pastoral aos que nos buscam em confiança para diálogo franco e aberto sobre várias situações vividas na existência. Também podemos conversar pelo skype: samuel.andrade75

2. Querendo entrar em contato conosco pelo FACEBOOK, o nosso perfil é https://www.facebook.com/revsamuelandrade

3. Recomendo que você assista/ouça o vídeo/mensagem A LEITURA DA PALAVRA PARA A VIDA –http://www.vimeo.com/4739589. Trata-se de uma palavra simples e bastante recomendável para os dias de hoje. 

Perdoe-me o tamanho da carta-convite, mas não se trata de um convite para comer um bolinho de aniversário, mas para algo infinitamente mais sério. E, quem sabe, se isto é o que você estava esperando e se isto recebe em você a confirmação do Espírito, então eis aí uma boa oportunidade para que você pense e re-pense em sua caminhada. Digo a SUA, pois nenhuma caminhada comunitária substitui tal dimensão da vida em Cristo, ou seja, a da caminhada individual, conquanto o que se segue daí, na maioria das vezes, seja o caminhar com pessoas no mesmo sentimento e pensamento. No mais tome as decisões que precisam ser tomadas, as suas decisões, pois viver no Evangelho é viver pela fé que se convence na e da Graça, conforme o patriarca Abraão, que em fé decidiu ir, seguir para além das suas próprias fronteiras geográficas, sociais, físicas, emocionais e, sobretudo, espirituais. E assim ele foi, decidindo em Deus ir-seguindo…

Deste modo, a decisão deve ser sua, uma vez que o justo vive pela fé.

Um grande abraço fraterno e minha sincera reverência por sua alma.

No amor e na liberdade de Cristo Jesus,

Samuel Andrade

Apipucos – Recife, PE

Escrita em setembro de 2009 AD

“Mas o que para mim era lucro (precioso, importante), passei a considerar como perda, por causa de Cristo. Mais do que isso, considero tudo como perda, comparado com a suprema grandeza do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor, por quem perdi todas as coisas…”. Fp.3:7-8

____________________________________________



Levany Júnior

Levany Júnior é Advogado e diretor do Blog do Levany Júnior. Blog aborda notícias principalmente de todo estado do Rio Grande do Norte, grande Natal, Alto do Rodrigues, Pendências, Macau, Assú, Mossoró e todo interior do RN. E-mail: [email protected]

Comentários com Facebook




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.