Sobe número de presos mortos em rebelião na Penitenciária de Cascavel


imageimage (1)

24/08/2014 19h25 – Atualizado em 24/08/2014 20h09

 

Sobe número de presos mortos em rebelião na Penitenciária de Cascavel

Depen informou quatro mortes; dois decapitados e dois atirados do telhado.
Rebelião começou por volta das 6h30 da manhã deste domingo (24).

 

 

Do G1 PR, em Cascavel

 

 

Presos reclamam da estrutura, alimentação e higiene da unidade (Foto: Reprodução RPC TV)Presos reclamam da estrutura, alimentação e higiene da
unidade (Foto: Reprodução RPC TV)

O Departamento Penitenciário do Paraná (Depen) informou que pelo menos quatro detentos morreram durante uma rebelião na Penitenciária Estadual de Cascavel (PEC), no oeste do Paraná. Dois deles foram decapitados, e outros dois morreram após serem atirados de cima do telhado na PEC. Há relatos de mais feridos, mas o número não foi confirmado pelo Depen.

O Depen e a polícia negociam o fim da rebelião, mas não havia previsão de término até a publicação desta reportagem. Ainda conforme o Depen, dois agentes penitenciários continuam sendo feitos reféns pelo detentos.

Negociação
Uma comisão formada pela secretária de Justiça do Paraná, Maria Tereza Uillie Gomes, pelo diretor do Depen, Cezinando Paredes, pelo comandante do Batalhão de Choque da Polícia Militar, Cícero Tenório, e pelo Juiz da Vara de Execuções penais, Paulo Damas, negociam com os presos.

Segundo o Depen, os rebelados pedem relaxamento nas visitas, mais diálogo com a direção da unidade e refeições melhores. A água e a luz foram cortadas na peniteciária desde o começo da tarde.

Durante o dia, 75 presos foram transferidos para a Penitenciária Industrial de Cascavel (PIC), que fica próxima a PEC. O grupo era formado por detentos que estavam sendo ameaçados pelo rebelados. Outros 68 serão encaminhados para a Penitenciária de Francisco Beltrão, no sudoeste do estado, e mais seis vão ser transferidos para a penitenciária de Maringá, na região norte do Paraná.

Rebelião
De acordo com o advogado dos agentes penitenciários, Jairo Ferreira, a rebelião teve início no momento em que um agente foi entregar o café da manhã aos detentos. O trinco da grade estava serrado, o que permitiu aos presos puxarem o agente para dentro e darem início à rebelião. Ainda segundo o advogado, apenas dez agentes estavam de plantão no presídio que é ocupado por mais de mil presos.

Os detentos invadiram o telhado da penitenciária, queimaram colchões e hastearam bandeira de uma facção criminosa que atua dentro e fora dos presídios no país. Conforme Ferreira, cerca de 80% da unidade está destruída.

Familiares dos presos chegaram a fechar a BR-277, de acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF). As duas pistas da rodovia ficaram bloqueadas por 40 minutos no km 579, próximo ao trevo de acesso à penitenciária. Filas de veículos se formaram nos dois sentidos.

 

tópicos:

 

veja também

Revolta teve início na manhã deste domingo no Oeste do Paraná

24/08/2014 | 16h48
Dois presos são decapitados durante rebelião em presídio do Paraná Adelmo Lima/CGN

Detentos em cima do telhado durante a rebeliãoFoto: Adelmo Lima / CGN

Dois presos foram decapitados durante rebelião na Penitenciária Estadual de Cascavel, no oeste do Paraná, informou o Departamento Penitenciário do Paraná (Depen).

Quatro detentos foram espancados, amarrados e arremessados do telhado da penitenciária. Eles caíram de uma altura de 15 metros. Os feridos permaneceram no local por várias horas até que a equipe de socorristas do Siate do Corpo de Bombeiros teve acesso para atendê-los.

De acordo com a PM, o motim começou por volta das 6h, quando os agentes penitenciários se preparavam para servir o café da manhã. Os dois agentes penitenciários feitos reféns ainda seguem nas mãos dos presos. A Polícia Militar cercou o presídio e está negociando com participação de representantes do governo do estado e da Vara de Execução Penal.

Entre os presos mortos pode estar um ex-policial civil preso na delegacia de Cascavel, suspeito de furtar peças de veículos apreendidos e vender. De acordo com o Depen, o ex-policial estava entre os reféns, mas ainda não foi confirmado se ele foi um dos decapitados.

O Depen ainda está tentando descobrir o motivo da rebelião. Uma suspeita é briga entre facções, mas os presos também fazem reclamações sobre visitas, alimentação e relação com a direção do presídio. Os presos, em sua maioria, cobriam os rostos e exibiam uma bandeira do PCC (Primeiro Comando da Capital), uma facção criminosa que comanda presídios em vários estados brasileiros, sobretudo em São Paulo.

De acordo com o Depen, o presídio foi depredado e houve queima de colchões, mas ainda não é possível avaliar a extensão dos estragos. Ainda segundo o Depen, o presídio tem capacidade para 1.182 presos e abriga 1.040.

*Agência Brasil e Agência Estado

16819454

image (2)



Levany Júnior

Levany Júnior é Advogado e diretor do Blog do Levany Júnior. Blog aborda notícias principalmente de todo estado do Rio Grande do Norte, grande Natal, Alto do Rodrigues, Pendências, Macau, Assú, Mossoró e todo interior do RN. E-mail: [email protected]

Comentários com Facebook




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.