SÃO JOSÉ DE MIPIBU RN- OBRAS INACABADAS NA GESTÃO DA EX-PREFEITA NORMA SÃO COBRADAS PELA CAIXXA ECONÔMICA


OBRAS INACABADAS NA GESTÃO DA EX-PREFEITA NORMA SÃO COBRADAS PELA CAIXXA ECONÔMICA

5 junho 2020
INTERINO II

A gerência executiva da Caixa Econômica Federal no Rio Grande do Norte, emitiu no último dia 22, uma notificação de Tomada de Constas Especial -TCE OGU, ao município de São José de Mipibu, com cópia para a Câmara Municipal, estabelecendo o prazo de 45 dias para o Município apresentar justificativas sobre a não funcionalidade nas obras executadas na administração da então prefeita Norma Ferreira, nos anos de 2009, 2010 e 2011, ou devolva o valor de R$ 396.850,31(trezentos e noventa e seis mil, oitocentos e cinquenta reais e trinta e um centavos), referente aos recursos repassados pela União naqueles anos.

Desde que assumiu o município em 2012 o prefeito Arlindo Dantas tem se esforçado para dar funcionalidade às obras inacabadas executadas na gestão da ex- prefeita Norma, entraves que causam prejuízos irreparáveis ao desenvolvimento de São José de Mipibu.

A Praça dos Engenhos, construída pela atual gestão, com o prolongamento do calçadão na avenida Olavo Feliciano, é uma das áreas anteriormente prejudicadas pela gestão da ex-prefeita.

A nova praça e o calçadão deram funcionalidade à população, melhorando a acessibilidade de pessoas ao centro da cidade. Com essa obra o prefeito Arlindo Dantas corrigiu um erro da gestão passada, que poderia punir a ex-prefeita com a devolução dos recursos inicialmente aplicados, além de outras sanções.

De acordo com o setor de engenharia da Prefeitura Municipal, outras obras inacabadas e sem funcionalidade executadas na gestão da ex-prefeita Norma Ferreira dificilmente serão corrigidas, apesar do empenho do prefeito Arlindo Dantas, que tenta dentro do possível evitar que o município e a ex-prefeita sejam executados pela União.

No centro da cidade, o “Sulancão” é um exemplo das obras sem funcionalidade projetadas pela gestão da ex-prefeita. Apesar de a atual gestão ter construído a Praça de Eventos, dando funcionalidade ao espaço, o setor técnico da Caixa Econômica não consegue aceitar a nova praça como sendo uma melhoria do Sulancão, entendimento que prejudica o Município e responsabiliza a ex-prefeita pela não correta aplicação dos recursos públicos.

Além do sulancão, a gestão da ex-prefeita tem problemas com outras obras abandonadas e sem funcionalidade em algumas das comunidades rurais e bairros do município.

Compartilhar em:

Bolsonaro: manifestantes contrários são



Comentários com Facebook




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.