SÃO GONÇALO DO AMARANTE RN-Preço da carne registra aumento entre 20% e 30% e assusta consumidor do RN Exportações de carne para a China aumentaram e, com isso, preço do produto subiu no mercado interno.


O preço médio da carne bovina teve aumento de 20% a 30% nas últimas semanas para os consumidores potiguares, segundo a Associação dos Supermercados do Rio Grande do Norte (Assurn).

A justificativa para o reajuste, segundo a instituição, é o crescimento das exportações de proteína animal para a China, o que elevou os preços da arroba do boi em todo o País. De acordo com o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), o preço da arroba bovina é negociado hoje por R$ 231,00, uma alta de 35,33% em novembro em relação a outubro.

Uma das explicações para o aumento do consumo chinês da carne brasileira está relacionada com uma crise sanitária enfrentada pelo país do sudeste asiático. O aumento de casos da peste suína, responsável pelo abate de um terço dos rebanhos de porcos daquele país, causou uma corrida dos chineses em busca de outros tipos proteína animal.

Segundo a Assurn, quando são considerados o custo do frete e os impostos, o preço da arroba bovina passa a custar até R$ 250, o que acabou encarecendo o produto nos supermercados potiguares. Atualmente, 80% da carne vendida no Rio Grande do Norte é proveniente de outros estados. Para o consumidor final, o preço médio da proteína bovina teve aumento que varia entre 20% e 30%. Em alguns cortes, como o contrafilé, o reajuste passou dos 50%.

Em todo o Brasil, um levantamento do Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos), de janeiro a novembro, mostra que a carne bovina de primeira manteve alta praticamente constante em 12 capitais, sendo que a pesquisa abrange 17 cidades no total.

Além do aumento da exportação de carne para a China e da consequente elevação no preço da arroba, a alta do dólar também influenciou o aumento no preço da carne para o consumidor final. Além disso, a oferta de bezerros não está acompanhando a demanda, e o preço deles também subiu, assim como o de porcos, frango e ovos, devido à alta na procura.

Os frigoríficos descartam risco de desabastecimento no País.

Publicidade



Comentários com Facebook




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *