SÃO GONÇALO DO AMARANTE RN-‘Natal e Região Metropolitana estão com rede de saúde colapsada’, diz governadora do RN Fátima Bezerra (PT) admite que Grande Natal atingiu colapso no sistema de saúde e pede a prefeitos medidas mais duras para evitar cenário em todo o estado.


‘Natal e Região Metropolitana estão com rede de saúde colapsada’, diz governadora do RN

Fátima Bezerra (PT) admite que Grande Natal atingiu colapso no sistema de saúde e pede a prefeitos medidas mais duras para evitar cenário em todo o estado.


Hospital Giselda Trigueiro, em Natal, é um dos hospitais com 100% de ocupação nos leitos críticos — Foto: Sérgio Henrique Santos/Inter TV Cabugi

Hospital Giselda Trigueiro, em Natal, é um dos hospitais com 100% de ocupação nos leitos críticos — Foto: Sérgio Henrique Santos/Inter TV Cabugi

“Natal e a Região Metropolitana estão com a assistência de saúde colapsada e já estamos transferindo doentes para Mossoró, Caicó e Pau dos Ferros. Indago a vocês, vamos deixar o colapso chegar a todo o estado?”. A frase é da governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra (PT), que admitiu nesta quinta-feira (25) que a Grande Natal entrou em colapso no sistema de saúde.

A afirmação foi feita nesta tarde pela gestora durante o encerramento do ciclo de reuniões com os prefeitos e secretários de saúde dos 167 municípios para tratar da efetivação das medidas emergenciais de enfrentamento à Covid-19 e ações do Pacto pela Vida.

Durante essas reuniões, Fátima Bezerra cobrou medidas mais restritivas dos municípios para que o cenário não se repita em todo o estado e afirmou que atual quadro é resultado do comportamento social daqueles que não respeitaram as recomendações sanitárias.

“Agora a conta chegou e estamos articulando os prefeitos para que as medidas sanitárias e protetivas sejam efetivadas, pois são eles que têm a competência legal para disciplinar o funcionamento do comércio e serviços. E o momento exige, com urgência, adoção de medidas mais restritivas”, disse.

A Grande Natal atualmente está com 90% de ocupação dos leitos críticos, segundo a plataforma Regula RN, que monitora as internações em tempo real. O Rio Grande do Norte tem 88% de ocupação. A consulta foi realizada às 17h30 desta quinta-feira (25).

Taxa de ocupação de leitos críticos nesta tarde de quinta-feira (25) no RN — Foto: Sesap/Lais-UFRN

Taxa de ocupação de leitos críticos nesta tarde de quinta-feira (25) no RN — Foto: Sesap/Lais-UFRN

Há atualmente na Grande Natal 27 pessoas na fila no aguardo de leitos semi-intensivos e de UTI, sendo que apenas 19 estão disponíveis.

Durante a reunião desta quinta-feira, a governadora disse ainda que solicitou uma audiência com o ministro da Saúde, Eduardo Pazzuelo, para tratar da abertura de novos leitos de UTI para o combate à pandemia do novo coronavírus no estado.

Apesar disso, reforçou que apenas a abertura de novos leitos não será suficiente. “Vamos continuar expandindo. Mas não vamos iludir a população que salvaremos vidas somente abrindo leitos ou receitando comprimidos que não tem eficácia comprovada”, falou a governadora.

Governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra (PT), admitiu que sistema de saúde na Grande Natal entrou em colapso — Foto: Elisa Elsie/Assecom/Governo do RN

“Só há um jeito de combater a disseminação da Covid-19: pedir à população para não aglomerar e manter o isolamento e o distanciamento social”.

 

O estado bateu novamente nesta quinta-feira o recorde de pacientes em leitos críticos, com 416 pessoas internadas com o agravamento da doença. O número mais alto atingido na primeira onda havia sido de 363 pessoas, em 28 de junho.

Somado com os leitos clínicos, são 741 pacientes internados – também o maior número já visto durante toda a pandemia. Na primeira onda, o máximo atingido foi de 692.

Segundo o boletim epidemiológico da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), 100% dos leitos críticos na rede privada em todo o estado estão ocupados.

Alguns pacientes não têm conseguido sequer ser internados. Nesta quinta-feira, uma idosa de 93 anos precisou ser intubada dentro da ambulância depois de ficar cinco horas sem receber atendimento em um hospital particular.

Hospitais particulares estão lotados em Natal e pacientes esperam por atendimento

00:00/04:25

Hospitais particulares estão lotados em Natal e pacientes esperam por atendimento

Sem vagas na Grande Natal, os pacientes estão sendo transferidos de avião para o interior do estado. Pelo menos sete já foram internados em leitos em Caicó, Mossoró e Pau dos Ferros.

Além disso, há um crescimento de 60% na internação de pessoas abaixo dos 60 anos de idade. Atualmente, quase metade dos internados em leitos críticos não são idosos.

Pacientes estão sendo transportados de avião da Grande Natal — Foto: Divulgação/Sesap

Pacientes estão sendo transportados de avião da Grande Natal — Foto: Divulgação/Sesap

A superlotação dos hospitais na Grande Natal também se reflete nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), que já operam acima dos 100% de ocupação.

UPAs de Natal estão com 100% de leitos ocupados

–:–/–:–

UPAs de Natal estão com 100% de leitos ocupados

Urgência para restrições

 

O procurador do Ministério Público Federal (MPF), Vitor Mariz, cobrou urgência para adoção de medidas das prefeituras e resumiu a atuação situação como perigosa e aflitiva. “Duas novas cepas estão circulando no RN. O cenário é assustador e exige que todos assumam responsabilidades”, disse.

“Pergunto aos prefeitos e secretários: o que vale mais, evitar aglomerações, festas, regulamentar horários de funcionamento de bares e casas de festas, que todo prefeito sabe onde acontecem, aproveitar o apoio que o Governo do Estado proporciona, ou daqui a duas ou três semanas contabilizar mortes e vítimas fechando tudo?”

 

Para a procuradora regional do Trabalho no Rio Grande do Norte (MPT/RN), Ileana Neiva Mousinho, é preciso que as empresas também monitorem e tomem medidas sanitárias necessárias para evitar surtos da doença. “Os serviços médicos das empresas são obrigados a fazer a vigilância epidemiológica junto com os municípios”, disse.

Ela ainda cobrou uma vigilância maior nos municípios, com “tolerância zero com pessoas sem máscara nas ruas”. “Rastrear casos, sua origem, os contatos das pessoas contaminadas, inclusive nas empresas. Mapear o entorno da pessoa que tem ou teve Covid. Isso é determinante para sairmos deste problema enorme que enfrentamos”, falou.

Veja os vídeos mais assistidos da semana no G1 RN

 

Veja também

JA 1ª Edição

Modelo conhecida como ‘Barbie do crime’ é presa, em Goiânia

Justiça decretou prisão após ela descumprir pena por estelionato.

25 de fev de 2021 às 06:00

PróximoGoverno da Bahia anuncia lockdown em 90% das cidades, no fim de semana
Mais do G1



Comentários com Facebook




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.