SÃO GONÇALO DO AMARANTE RN-Governo do RN conclui folha do mês e faz resumo dos atrasados já quitados pela gestão de Fátima Bezerra


O Governo do Rio Grande do Norte quita o salário de junho nesta quarta-feira (30), seguindo o calendário anunciado em janeiro.

Com o depósito de R$ 195 milhões na conta dos servidores, o Estado conclui a folha mensal de R$ 495 milhões.

Os quase 35 mil servidores ativos, inativos e pensionistas que recebem acima de R$ 4 mil (valor bruto) receberão os 70% restantes do salário (os 30% iniciais foram adiantados no último dia 15). E os 23 mil trabalhadores lotados em pastas com recursos próprios receberão o salário integral.

No dia 15 foi pago salário integral a servidores que recebem até R$ 4 mil (valor bruto) e toda a categoria da Segurança Pública, além da parcela de 30% aos trabalhadores que recebem acima de R$ 4 mil.

Histórico dos atrasados

A Secretaria de Planejamento do Estado fez um resumo do que o Governo do Estado teve que pagar…e que teria feito a diferença na gestão atual, se tivesse sido quitado antes da governadora Fátima Bezerra assumir o governo.

Em junho de 2019 o governo Fátima quitou o 13º que encontrou em atraso, referente ao ano de 2017, no valor total de R$ 30 milhões, com recursos próprios oriundos dos royalties.

Ainda em 2019, em agosto, o Estado vendeu a conta da folha dos servidores ao Banco do Brasil, descontando R$ 102 milhões não repassados pela última gestão.

Em fevereiro de 2020 quitou a folha também atrasada de novembro de 2018, no total de R$ 95 milhões, com recursos próprios da arrecadação do ICMS e repasses constitucionais do Fundo de Participação do Estado.

Em janeiro de 2021, usou recursos arrecadados do Super Refis para iniciar o pagamento do 13º também deixado em atraso de 2018, destinando R$ 90 milhões aos servidores que ganham até R$ 3,5 mil líquidos.

No mês de maio receberam os servidores com faixa salarial até R$ 4,5 mil (valor líquido), e os trabalhadores que ganham acima desse valor receberam R$ 2 mil, com o restante a ser quitado até o próximo mês de novembro.

 

30 de junho de 2021 às 4:22

Acordo para regularizar imóveis em Natal começou a ser discutido em Brasília pelos deputados João Maia e Ubaldo Fernandes antes da pandemia[0] Comentários | Deixe seu comentário.

O acordo de cooperação técnica entre o Ministério de Desenvolvimento Regional e a Fundação de Apoio ao IFRN, para regularizar imóveis na zona Leste de Natal, assinado pelo ministro Rogério Marinho começou a ser discutido lááá atrás, quando nem existia pandemia e quando o titular do Ministério ainda nem era Rogério.

A primeira reunião, com presença dos deputados federal João Maia e estadual Ubaldo Fernandes, foi com o então secretário Nacional de Habitação, Celso Matsuda, ainda da equipe do então ministro Gustavo Canuto.

Os imóveis que serão regularizados estão localizados nos bairros de Rocas, Brasília Teimosa, Santos Reis, Praia do Meio e Mãe Luíza.

A assinatura pelo ministro Rogério ocorreu nesta segunda-feira.

Além de João e Ubaldo, Herberth Sena se integrou à luta depois que foi eleito vereador
30 de junho de 2021 às 3:47

Sextou com Lula[0] Comentários | Deixe seu comentário.

Teve reunião política na noite de sexta-feira na casa do senador Jean Paul Prates, em Natal, com presença da governadora Fátima Bezerra.

Como gosta de dizer a governadora…’sextou’.

O ‘sextou’ teve a presença do ex-presidente Lula, que participou de forma remota da reunião.

30 de junho de 2021 às 3:47

Solidariedade com Fátima[0] Comentários | Deixe seu comentário.

Nos bastidores da política se dá como certo o apoio do partido Solidariedade ao projeto de reeleição da governadora Fátima Bezerra.

A fonte não falou em nomes do Solidariedade, falou apenas do partido.

30 de junho de 2021 às 3:46

Prefeitos do MDB discutem aliança com Fátima em 2022 e acatam nome de Garibaldi para indicação na chapa[0] Comentários | Deixe seu comentário.

E o MDB já é apontado como partido aliado da governadora Fátima Bezerra no projeto de reeleição.

Presidente do partido, Walter Alves já conversou com os prefeitos – o MDB tem 39 – e beeeem poucos foram reticentes.

Mas…no MDB foi unanimidade o nome do ex-senador Garibaldi Filho como o queridinho para ser indicado vice de Fátima.

Ou senador do grupo.

Walter e Fátima ainda não conversaram.

O deputado Walter e o senador Jean Paul têm conversado.

30 de junho de 2021 às 3:44

Projeto de Walter Alves que prevê maior participação de Estados e Municípios em pacto federativo é aprovado em comissão da Câmara[0] Comentários | Deixe seu comentário.

E a Comissão de Finanças e Tributação da Câmara Federal aprovou o Projeto de Lei Complementar de autoria do deputado Walter Alves, que prevê a participação, no âmbito do Poder Executivo, de representantes dos Estados na elaboração da legislação orçamentária federal.

Em seu projeto o parlamentar do Rio Grande do Norte defende um novo pacto federativo, com maior participação de Estados e Municípios nas ações decisivas para o país e redistribuição de renda.

“É um passo importante na nossa luta em defesa do novo pacto federativo. Essa matéria é fundamental porque são os Estados os destinatários e principais afetados pelas medidas incluídas nas peças orçamentárias”, explicou Walter sobre o primeiro passo para o projeto chegar a plenário.

O PLP recebeu parecer favorável do relator na comissão, o deputado federal Newton Cardoso Jr (MDB-MG).

A proposta ainda será analisada pelas Comissões de Constituição e Justiça e de Cidadania.

30 de junho de 2021 às 2:25

Comentário do jornalista natalense Jacson Damasceno rebatendo homofóbico bolsonarista viraliza e repercute na mídia nacional[0] Comentários | Deixe seu comentário.

Viralizou o vídeo com o comentário do jornalista Jacson Damasceno, na Band Natal, rebatendo uma declaração homofóbica de um apresentador bolsonarista, que tem recebido pautas do Ministério das Comunicações para, lá de Manaus, onde ele atua, falar mal da governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra.

O vídeo de Jacson foi reencaminhado pelo Brasil afora e no twitter foi repostado até pelo youtuber Felipe Neto, que na plataforma tem mais de 13 milhões e meio de seguidores:

O colunista de Televisão do UOL, Daniel Castro, também repercutiu o vídeo de Jacson. Ele postou o vídeo e reproduziu o texto do apresentador da Band.

Confira o comentário no ponto do apresentador natalense:

29 de junho de 2021 às 23:38

Governo Bolsonaro: 1 dólar de propina por cada uma das 400 milhões de doses de vacina[0] Comentários | Deixe seu comentário.

Da Folha…sobre um governo que jurou acabar com a corrupção no Brasil.

Constança Rezende

BRASÍLIA

O representante de uma vendedora de vacinas afirmou em entrevista à Folha que recebeu pedido de propina de US$ 1 por dose em troca de fechar contrato com o Ministério da Saúde.

Luiz Paulo Dominguetti Pereira, que se apresenta como representante da empresa Davati Medical Supply, disse que o diretor de Logística do Ministério da Saúde, Roberto Ferreira Dias, cobrou a propina em um jantar no restaurante Vasto, no Brasília Shopping, região central da capital federal, no dia 25 de fevereiro.

Roberto Dias foi indicado ao cargo pelo líder do governo de Jair Bolsonaro na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR). Sua nomeação ocorreu em 8 de janeiro de 2019, na gestão do ex-ministro Luiz Henrique Mandetta (DEM). A Folha tentou, sem sucesso, contato com Dias na noite desta terça-feira (29). Ele não atendeu as ligações.

A empresa Davati buscou a pasta para negociar 400 milhões de doses da vacina da AstraZeneca com uma proposta feita de US$ 3,5 por cada (depois disso passou a US$ 15,5). “O caminho do que aconteceu nesses bastidores com o Roberto Dias foi uma coisa muito tenebrosa, muito asquerosa”, disse Dominguetti.

A Folha chegou a Dominguetti por meio de Cristiano Alberto Carvalho, que se apresenta como procurador da empresa no Brasil e também aparece nas negociações com o ministério. Segundo Cristiano, Dominguetti representa a empresa desde janeiro.

“Eu falei que nós tínhamos a vacina, que a empresa era uma empresa forte, a Davati. E aí ele falou: ‘Olha, para trabalhar dentro do ministério, tem que compor com o grupo’. E eu falei: ‘Mas como compor com o grupo? Que composição que seria essa?’”, contou Dominguetti.

“Aí ele me disse que não avançava dentro do ministério se a gente não compusesse com o grupo, que existe um grupo que só trabalhava dentro do ministério, se a gente conseguisse algo a mais tinha que majorar o valor da vacina, que a vacina teria que ter um valor diferente do que a proposta que a gente estava propondo”, afirmou à Folha o representante da empresa.

Dominguetti deu mais detalhes: “Aí eu falei que não tinha como, não fazia, mesmo porque a vacina vinha lá de fora e que eles não faziam, não operavam daquela forma. Ele me disse: ‘Pensa direitinho, se você quiser vender vacina no ministério tem que ser dessa forma”.

A Folha perguntou então qual seria essa “forma”. “Acrescentar 1 dólar”, respondeu. Segundo ele, US$ 1 por dose. “Dariam 200 milhões de doses de propina que eles queriam, com R$ 1 bilhão.”

“E, olha, foi uma coisa estranha porque não estava só eu, estavam ele [Dias] e mais dois. Era um militar do Exército e um empresário lá de Brasília”, ressaltou Dominguetti.

Questionado se teria certeza que o encontro foi com o diretor de Logística do ministério, Dominguetti respondeu: “Claro, tenho certeza. Se pegar a telemetria do meu celular, as câmeras do shopping, do restaurante, qualquer coisa, vai ver que eu estava lá com ele e era ele mesmo”.

“Ele [Dias] ainda pegou uma taça de chope e falou: ‘Vamos aos negócios’. Desse jeito. Aí eu olhei aquilo, era surreal, né, o que estava acontecendo.”

“Eu estive no ministério, com Elcio [Franco, ex-secretário-executivo do ministério], com o Roberto, ofertando uma oferta legítima de vacinas, não comprou porque não quis. Eles validaram que a vacina estava disponível.”

Segundo Dominguetti, o jantar ocorreu na noite do dia 25 de fevereiro, na véspera de uma agenda oficial com Roberto Dias no Ministério da Saúde e um dia após o país ter atingido a marca de 250 mil mortos pela pandemia do coronavírus.

“Fui levado com a proposta para o ministério e chegando lá, faltando um dia antes de eu vir embora, recebi o contato de que o Roberto Dias tinha interesse em conversar comigo sobre aquisição de vacinas”, disse.

“Quando foi umas 17h, 18h [do dia 25], meu telefone tocou. Me surpreendi que a gente ia jantar. Fui surpreendido com a ligação de que iríamos encontrar no Vasto, no shopping. Cheguei lá, foi onde conheci pessoalmente o Roberto Dias”, afirmou.

Dominguetti disse que recusou o pedido de propina feito pelo diretor da Saúde.

“Aí eu falei que não fazia, que não tinha como, que a vacina teria que ser daquela forma mesmo, pelo preço que estava sendo ofertado, que era aquele e que a gente não fazia, que não tinha como. Aí ele falou que era para pensar direitinho e que ia colocar meu nome na agenda do ministério, que naquela noite que eu pensasse e que no outro dia iria me chamar.”

Dominguetti continuou então o relato daqueles dois dias. “Aí eu cheguei no ministério para encontrar com ele [Dias], ele me pediu as documentações. Eu disse para ele que teriam que colocar uma proposta de compra do ministério para enviar as documentações, as certificações da vacina, mas que algumas documentações da vacina eu conseguiria adiantar”, afirmou.

Segundo ele, o encontro na Saúde não evoluiu. “Aí ele [Dias] me disse: ‘Fica numa sala ali’. E me colocou numa sala do lado ali. Ele me falou que tinha uma reunião. Disso, eu recebi uma ligação perguntando se ia ter o acerto. Aí eu falei que não, que não tinha como.”

“Isso, dentro do ministério. Aí me chamaram, disseram que ia entrar em contato com a Davati para tentar fazer a vacina e depois nunca mais. Aí depois nós tentamos por outras vias, tentamos conversar com o Élcio Franco, explicamos para ele a situação também, não adiantou nada. Ninguém queria vacina”, afirmou.

Segundo ele, Roberto Dias afirmou que “tinha um grupo, que tinha que atender a um grupo, que esse grupo operava dentro do ministério, e que se não agradasse esse grupo a gente não conseguiria vender”.

Questionado pela Folha sobre que “grupo” seria esse, ele respondeu: “Não sei. Não sei quem que eram os personagens. Quando ele começou com essa conversa, eu já não dei mais seguimento porque eu já sabia que o trem não era bom”.

“A Davati começou a operar nessas vendas de insumos pro Covid. A Davati era uma empresa muito séria e aí me ofereceram a parceria de trabalhar com ela, de apresentar os produtos. E quando a Davati teve acesso a vacina, né, que realmente se concretizou que tinha acesso aos donos da vacina, aos investidores, me veio a proposta no sentido de tentar colocar a vacina no Brasil”, afirmou Dominguetti.

“Era um sonho, na verdade era um sonho nosso. É uma realização até pessoal porque se a gente pegar um valor da vacina que ela tá sendo vendida lá fora e que ia ser colocado no Brasil era o mesmo. Não existia aquele negócio de majorar, de ganhar, era mais um sonho, a gente sonhava com isso. Fazia parte do processo, entrar na história como alguém que ajudou”, disse.

O deputado Ricardo Barros negou, em rede social, ter indicado Roberto Dias para o cargo no Ministério da Saúde.

“Em relação à matéria da Folha, reitero que Roberto Ferreira Dias teve sua nomeação no Ministério da Saúde no início da atual gestão presidencial, em 2019, quando não estava alinhado ao governo. Assim, repito, não é minha indicação. Desconheço totalmente a denúncia da Davati.”

A suspeita sobre a compra de vacinas veio à tona em torno da compra da vacina indiana Covaxin, quando a Folha revelou no último dia 18 o teor do depoimento sigiloso do servidor do Ministério da Saúde Luis Ricardo Miranda ao Ministério Público Federal, que relatou pressão “atípica” para liberar a importação da Covaxin.

Desde então, o caso virou prioridade da CPI da Covid no Senado. A comissão suspeita do contrato para a aquisição da imunização, por ter sido fechado em tempo recorde, em um momento em que o imunizante ainda não tinha tido todos os dados divulgados, e prever o maior valor por dose, em torno de R$ 80 (ou US$ 15 a dose).

Meses antes, o ministério já tinha negado propostas de vacinas mais baratas do que a Covaxin e já aprovadas em outros países, como a Pfizer (que custava US$ 10).

A crise chegou ao Palácio do Planalto após o deputado federal Luis Miranda (DEM-DF), irmão do servidor da Saúde, relatar que o presidente havia sido alertado por eles em março sobre as irregularidades. Bolsonaro teria respondido, segundo o parlamentar, que iria acionar a Polícia Federal para que abrisse uma investigação.

A CPI, no entanto, averiguou e constatou que não houve solicitações nesse sentido para a PF. Ao se manifestar sobre o assunto, Bolsonaro primeiro disse que a Polícia Federal agora vai abrir inquérito para apurar as suspeitas e depois afirmou que não tem “como saber o que acontece nos ministérios”.

Nesta terça, o Ministério da Saúde decidiu suspender o contrato com a Precisa Medicamentos para obter 20 milhões de doses da Covaxin. Segundo membros da pasta, a decisão atual é pela suspensão até que haja novo parecer sobre o caso. A pasta, porém, já avalia a possibilidade de cancelar o contrato.

Já nesta segunda-feira (28) a Folha também revelou que o advogado do deputado Ricardo Barros atuou como representante legal da vacina chinesa Convidecia no Brasil, participando inclusive de reunião com a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

Sócio do genro de Barros até março deste ano, o advogado Flávio Pansieri participou de reunião com a Anvisa no último dia 30 de abril. Segundo o site da agência, a pauta da reunião referia-se às “atualizações sobre a desenvolvimento da vacina do IVB [Instituto Vital Brazil] & Belcher & CanSinoBio a ser submetida a uso emergencial para a Anvisa”.

Integrantes da CPI da Covid querem apurar a negociação da Convidecia com o Ministério da Saúde. A empresa Belcher Farmacêutica, com sede em Maringá (PR), atuou como representante no país do laboratório CanSino Biologics no Brasil, responsável pelo imunizante.

No último domingo (27), Barros divulgou nota por ter sido citado pelo deputado Luis Miranda (DEM-DF) em depoimento à CPI da Covid como parlamentar que atuou em favor da aquisição de vacinas superfaturadas. Para se defender, o líder do governo apresentou a íntegra da defesa preliminar enviada à Justiça Federal. O documento é assinado por Pansieri.

O advogado também assumiu a defesa de Barros no STF (Supremo Tribunal Federal), após o deputado ter sido delatado por executivos da construtora Galvão Engenharia.

Além de atuar na defesa de Barros, Pansieri acompanhou o líder do governo durante encontro com o presidente Jair Bolsonaro no Palácio do Planalto no dia 24 de fevereiro, durante a posse do deputado do centrão João Roma (Republicanos-BA) como ministro da Cidadania.

29 de junho de 2021 às 23:11

Ministro não chamou atenção no município de pouco mais de 5 mil habitantes[0] Comentários | Deixe seu comentário.

Morador do município de Encanto, no Oeste do Rio Grande do Norte, um leitor do Blog liga para falar sobre a presença do ministro Fábio Faria na cidade.

Foi logo depois do evento com o presidente Bolsonaro em Pau dos Ferros.

Fábio estava na pizzaria com o prefeito Alberone (DEM).

“O povo passava caminhando e ninguém encostava”, disse o leitor, afirmando que a presença do ministro não chamou atenção de ninguém no município de 5.231 habitantes.

29 de junho de 2021 às 21:04

Desejo de Álvaro de votar em Rogério para o governo não significa que o ministro potiguar seja candidato a governador[0] Comentários | Deixe seu comentário.

A declaração do prefeito Álvaro Dias sobre a preferência do nome do ministro Rogério Marinho na disputa pelo governo do Rio Grande do Norte, causou movimento em várias prefeituras…

Ao Blog, três gestores do interior disseram a mesma coisa: o ministro tem prometido, mas não tem chegado.

Um declarou que o ministro tem posado para fotos para impressionar o presidente Bolsonaro.

Rogério quer ser senador e trabalha para isso.

Álvaro quer votar nele para governo, o que não significa que ele será candidato a governador.

29 de junho de 2021 às 19:35

Prefeito Álvaro Dias: “Meu candidato a governador é Rogério Marinho”[1] Comentários | Deixe seu comentário.

O prefeito de Natal, Álvaro Dias, disse ao Blog nesta terça-feira:

“Meu candidato a governador em 2022 é Rogério Marinho”.

Em entrevistas, Álvaro até twm levantado outros nomes como prováveis candidatos majoritários, mas ao Blog ele foi decisivo: Rogério Marinho.

E justificou que o atual ministro do Desenvolvimento Regional tem viabilizado obras no Rio Grande do Norte como a conclusão da barragem Oiticica.

“Ele tem ajudado muito a Natal e tem muitas obras a apresentar”, afirmou Álvaro.

Questionado sobre seu candidato a senador, Álvaro foi contundente: “Meu candidato a governador é Rogério”.

Álvaro cumpriu agenda administrativa com Rogério na zona Norte de Natal nesta segunda-feira, e os dois almoçaram juntos no restaurante Buongustaio. Sem testemunhas, como o Blog informou.

29 de junho de 2021 às 17:12

Com campanha do Detran agência Execom ganha mais uma vez ‘selo de melhores do mundo’ de portal internacional de publicidade[0] Comentários | Deixe seu comentário.

Com a campanha do Detran do Rio Grande do Norte, a agência Execom, dos publicitários Odemar Neto e Erick Gurgel, ganha mais uma vez o selo de “Best of the week” na categoria Print do portal internacional Best Ads On Tv.

A plataforma seleciona semanalmente as melhores peças do mundo, e premia com um selo de destaque divulgado em seu site.

CLIQUE AQUI PARA CONFERIR A PUBLICAÇÃO

29 de junho de 2021 às 16:55

Potigás: como trocar o caro botijão pelo gás canalizado[0] Comentários | Deixe seu comentário.

Com os frequentes resjustes nos preços do gás de cozinha, a Potigás tem aumentado cada vez mais a clientela em busca do gás canalizado.

Mais de mil e 500 clientes foram interligados à rede de gasodutos da Potigás nos primeiros cinco meses de 2021. Esse incremento no número de usuários fez com que a concessionária estadual atingisse, em abril, a marca de 30 mil clientes atendidos nos segmentos comercial, residencial, industrial e veicular.

A Potigás tem investido na ampliação da rede de gasodutos, o que tem gsrantido o crescimento.

Mesmo no cenário de pandemia, a Potigás investiu mais de R$ 5 milhões na extensão da rede de gasodutos em 2020, ampliando em mais de 17 mil metros, beneficiando a Grande Natal e Mossoró.

Atualmente são mais de 460 mil metros de extensão de rede em Natal, Mossoró, Parnamirim, São Gonçalo do Amarante, Macaíba e Goianinha, atendendo a condomínios, academias, bares, cafeterias, churrascarias, escolas, hospitais, hotéis, laboratórios, lanchonetes, lavanderias, padarias, pizzarias, restaurantes, shoppings, supermercados…

Além de ter um combustível mais barato do que os outros, a Potigás trabalha para adquirir o gás natural a preços ainda mais competitivos.

A diretora presidente da Potigás, Larissa Dantas explica que o contrato com a Petrobras, supridora atual da concessionária, vence em janeiro de 2022 e a Companhia já negocia com duas empresas que foram habilitadas em uma chamada pública para aquisição de gás.

“O acesso à Unidade de Processamento de Gás Natural (UPGN) em Guamaré já foi liberado através de uma negociação liderada pelo Governo do Estado e nossa expectativa é comprar o gás natural de produtores locais a preços mais baixos, beneficiando diretamente o consumidor final”, explica Larissa.

O gás natural é mais prático porque chega aos usuários durante as 24 horas do dia, sem necessidade de estocagem em cilindros e transporte em caminhões, o que significa mais segurança energética para os estabelecimentos.

USO COMERCIAL

Estabelecimentos comerciais diversos podem utilizar o gás natural canalizado em aplicações como fritadeiras, máquinas de absorção, caldeiras, fornos, fogões, aquecedores de água, geradores de energia elétrica, ar-condicionado e refrigeradores com motores a gás.

USO RESIDENCIAL

Nos condomínios, o gás pode ser utilizado tanto nos apartamentos como na área de lazer. Nas unidades residenciais, seu uso vai desde a cozinha, com a cocção de alimentos, até o banheiro e área de serviço, com o aquecimento da água. Já na área de lazer, pode ser o combustível de churrasqueiras e ainda aquecer piscina e sauna.

USO VEICULAR

A Potigás atende 51 postos que comercializam o Gás Natural Veicular (GNV) para uma frota de quase 51 mil veículos no Rio Grande do Norte.

USO INDUSTRIAL

O gás natural pode substituir os combustíveis nas indústrias dos mais diversos segmentos. Pelo seu grau de pureza, controle de pressão e regulagem da chama, é um diferencial competitivo e determina a qualidade final dos produtos.

29 de junho de 2021 às 16:40

Prefeitura de Natal amplia convênio para projeto que vai urbanizar 334 ruas na zona Norte[0] Comentários | Deixe seu comentário.

A realidade das comunidades de Nordelândia, Boa Esperança, Cidade Praia, Parque Industrial, Bom Jesus e Câmara Cascudo, na Zona Norte de Natal, está sendo modificada com a execução das obras de saneamento integrado executadas pela Prefeitura. Ao todo, são 334 ruas drenadas e pavimentadas, além da construção de cinco lagoas de captação. Nesta segunda-feira (28), o prefeito Álvaro Dias e o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, assinaram um novo convênio com a previsão de mais R$ 5 milhões em repasses para concluir os trabalhos.

 

Os serviços já alcançaram 85% do cronograma e contam com investimentos de mais de R$ 130 milhões, realizados em uma parceria entre a Prefeitura e o governo federal. O projeto de saneamento integrado da Zona Norte vai beneficiar mais de 250 mil pessoas que residem na região, acabando com os alagamentos em períodos chuvosos e ampliando a infraestrutura das comunidades atendidas, possibilitando a ampliação dos serviços públicos como saúde, educação e transporte, bem como gera valorização dos imóveis locais.

 

“Esse é um dos projetos mais relevantes e significativos da nossa gestão. É o nosso trabalho gerando progresso e desenvolvimento. Sempre que venho aqui, escuto o testemunho dos moradores sobre como era a vida deles antes e depois das obras do saneamento integrado. Eles contam orgulhosos que agora moram uma região digna, estruturada e os transtornos enfrentados com os alagamentos e a situação precária antiga já são parte do passado”, relatou o prefeito Álvaro Dias, em pronunciamento na solenidade promovida no loteamento Nordelândia.

 

Na sequência, o prefeito enalteceu a parceria entre a gestão municipal e o Ministério do Desenvolvimento Regional que tem permitido a realização de obras e projetos em toda Natal. “O governo federal não tem se furtado em atender às nossas demandas, assim como o ministro Rogério Marinho, a quem reconheço o empenho e a atenção que recebemos para os projetos que contemplam Natal. Com o apoio recebido, estamos transformando Natal em um grande canteiro de obras. Não somente com o saneamento integrado na Zona Norte, mas com serviços como a drenagem e pavimentação do bairro Planalto, o túnel de Macrodrenagem da Zona Oeste, o empreendimento Village de Prata, a urbanização do Maruim, o complexo Turístico da Redinha e a engorda da Praia de Ponta Negra. Vamos seguir nesse ritmo de trabalho para fazer de Natal uma cidade cada vez mais próspera e melhor de se viver”, apontou o prefeito.

 

De acordo com Rogério Marinho, o volume de recursos investidos pelo governo federal em obras e programas é um recorde na história da capital potiguar. “A obra do saneamento integrado representa muito para os moradores da Zona Norte. Quero parabenizá-lo pela administração que vem realizando e dizer que seguiremos juntos e firmes sempre em busca da melhoria da qualidade de vida da população”, elogiou o ministro do Desenvolvimento Regional.



Comentários com Facebook




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.