RECIFE PE-Psiquiatra fala sobre importância da rede de apoio para adolescentes em processo depressivo


Por Bianka Carvalho, TV Globo

 


00:00/00:00

Erro ao carregar o recurso de vídeo.

Ocorreu um problema ao tentar carregar o vídeo. Atualize a sua página para tentar novamente.

Acesso gratuito

Faça seu login grátis e tenha acesso ilimitado às exclusividades G1

Psiquiatra fala sobre importância da conversa com pessoas em processo depressivo

Psiquiatra fala sobre importância da conversa com pessoas em processo depressivo

No mês da prevenção do suicídio, o psiquiatra Dennys Lapena faz um alerta sobre a importância de conversar com os adolescentes que estão desenvolvendo um processo depressivo. De acordo com o médico, familiares, amigos e professores são instrumentos fundamentais no tratamento (veja vídeo acima).

(Nesta quinta-feira (26), os telejornais Bom Dia PENE1 NE2, da TV Globo em Pernambuco, exibem entrevistas e reportagens especiais para chamar a atenção sobre a depressão.)

“Falar sobre isso é importante para desmistificar esse tema [depressão]. O professor é um instrumento muito importante no processo, os colegas de sala, os parentes, é importantíssimo para melhorar o quadro”, afirmou o psiquiatra.

Essa rede de apoio ajuda a identificar os sinais de depressão e auxiliar a pessoa a procurar ajuda. Foi assim que o pedagogo Luciano Pereira conseguiu oferecer ajuda aos jovens da escola em que atua: olhos e ouvidos atentos.

“Alguns colegas chegavam para me mostrar que outros estudantes estavam se auto mutilando. Os casos chamaram minha atenção. Fizemos uma pesquisa na escola para, com o resultado, buscar ajuda psicológica, orientação e auxilio para os alunos”, explicou.

De acordo com o psiquiatra, atualmente, até 10% dos jovens apresentam um quadro depressivo. “Os sintomas são visíveis, como falta de interesse de participar de atividades, falta de metas, isolamento, alteração no sono, no apetite, choros involuntários”, disse.

Ainda que a rede de apoio seja importante no tratamento, o médico lembrou que a busca por uma ajuda profissional. “É importante ir a um psicólogo, um psiquiatra ou qualquer outro médico que possa orientar o paciente a buscar uma ajuda mais específica”, afirmou.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Veja também



Comentários com Facebook




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.