PENDÊNCIAS RN-Emparn prevê chuvas dentro da média no Rio Grande do Norte em 2021


 


Previsão para 2021 é de chuvas dentro da média

–:–/–:–

Previsão para 2021 é de chuvas dentro da média

A Empresa de Pesquisa Agropecuária (Emparn) prevê um ano de 2021 com chuvas dentro da média no Rio Grande do Norte e com a possibilidade de ficar um pouco acima em alguns trechos do interior do estado.

A previsão foi divulgada na terça-feira (12) durante a apresentação das perspectivas climáticas para o ano atual. O trabalho também fez um balanço de 2020.

Segundo o meteorologista Gilmar Bistrot, a tendência é que o ano de 2021 apresente características climáticas no estado semelhantes a anos anteriores que apresentaram boas chuvas.

“Esse ano, é importante dizer, que a atividade solar está em fase com a La Niña em seu mínimo. E quando isso acontece, a gente sempre tem bons anos de chuvas, como aconteceu em 2008, 2009 e 2011. Então é uma coisa parecida com esses anos”, explicou.

“Então, esse ano provavelmente teremos uma situação de normal a um pouquinho acima do normal no interior do estado”.

 

A previsão climática é de que o inverno tenha início no estado entre o fim de fevereiro e o início de março.

Para a estação pré-chuvosa, a expectativa é de ocorrência de chuvas dentro da média histórica, de acordo com a análise da Unidade Instrumental de Meteorologia da Emparn.

“Estamos muito felizes com as boas previsões, com à possibilidade de termos um inverno acima da normalidade. As chuvas se iniciando agora no final do mês de janeiro, inverno se consolidado a partir da segunda quinzena de fevereiro, estamos atentos a tudo isso”, explicou o secretário da Agricultura, da Pecuária e da Pesca, Guilherme Saldanha.

Chuva em Natal — Foto: Pedro Vitorino/Cedida

Chuva em Natal — Foto: Pedro Vitorino/Cedida

A região Oeste tem a maior estimativa de volume pluviométrico médio para 2021, com 315 milímetros (mm) para os meses de janeiro, fevereiro e março.

As regiões Leste e Central têm, cada uma, previsão de 250mm e o Agreste, 188mm.

As boas chuvas devem ocorrer em função do fenômeno La Niña. “Desde meados de 2020 estamos presenciando a atuação do fenômeno La Niña. O fenômeno, em oposição ao El Niño, ocasiona o resfriamento da temperatura média das águas superficiais na faixa equatorial do oceano Pacífico, aumentando os ventos alísios de leste na superfície inibindo a formação de nuvens”, explicou o meteorologista Gilmar Bistrot.

“Com esse cenário espera-se um quantitativo normal de chuvas no RN, porém com de grande variabilidade temporal e espacial, característica inerente ao clima semiárido”.

Balanço de 2020

 

O balanço sobre as chuvas de 2020 mostrou que o Rio Grande do Norte apresentou chuvas entre as categorias de normal a acima do normal com volume médio de 910,1 mm, superando os volumes esperados nas regiões Oeste, Leste e Agreste.

Evento para apresentar previsão de chuvas para 2021 aconteceu na terça-feira (12) — Foto: Sara Cardoso/Inter TV Cabugi

Evento para apresentar previsão de chuvas para 2021 aconteceu na terça-feira (12) — Foto: Sara Cardoso/Inter TV Cabugi

A região Leste foi a que registrou o maior volume acumulado médio observado, com 1.313,3 mm, enquanto que o esperado era de 1.252,1mm.

A região Oeste está logo atrás, com 919,7mm, enquanto 790,6 era o esperado. O Agreste acumulou 710mm e o esperado era de 714,5mm. E a região Central acumulou 697,1mm e o esperado era de 627,7mm.

A cidade de Mossoró foi quem bateu o recorde de chuva diária, com 176,4 mm ocorrida em 29 de fevereiro, sendo este o maior volume diário dos últimos 63 anos.

Já Natal registrou, em maio, volumes com 426,1 mm, sendo seu segundo maior índice pluviométrico desde 1963. O primeiro ocorreu em 2011 com 447,4 mm.

200 vídeos

Vídeo mostra assassinato de operador de caixa dentro de supermercado no RN

Vídeo mostra 'mini tornado' em município do interior do RNCarro para em cima de linha férrea e trem precisa frear para evitar acidente na Grande Nat

Veja também

SP1

Obra da CET para organizar trânsito já causou 20 acidentes na Liberdade

Motoristas e moradores da região reclamam da falta de sinalização e orientação dos agentes da CET.

13 de jan de 2021 às 12:20

PróximoDaniel Vilela posta foto em despedida do pai, Maguito
Mais do G1



Comentários com Facebook




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.