A PALAVRA DO DIA-OS OPOSTOS SE ATRAEM


Por Tim Lahaye

“Afinal, o que faz com que pessoas como nós se casem? “, perguntou uma senhora crente, depois de treze anos de casada. “Nós temos um irremediável conflito de personalidades! Ambos podemos ficar à von­tade e ser corteses quando outros nos cercam, mas quando estamos juntos, parece que expressamos o pior de cada um de nós”. Embora este exemplo seja mais extremo do que a maioria dos casais crentes que tenho aconselhado, venho percebendo há anos que persona­lidades opostas se atraem mutuamente.

Para entender por que essa atração é verdadeira, precisaríamos conhecer o que torna diferentes as pessoas. Muitas sugestões têm sido dadas: bagagem cultural, treinamento, nacionalidade, educação, etc. Essas coisas se relacionam com nossas diferenças, mas também com o temperamento que herdamos. Em meu livro, Tempe­ramento Controlado pelo Espirito, apresento os quatro temperamentos básicos das pessoas e discuto minucio­samente os seus pontos fortes e as suas fraquezas. Meu propósito é mostrar que o Espírito Santo, operando na vida de um crente, é capaz de ajudá-lo a vencer suas fraquezas. Apresentarei aqui uma descrição con­densada dos quatro temperamentos, para mostrar por­que os opostos se atraem.

O temperamento humano é um estudo fascinante! Temperamento inclui a combinação de características inatas que, subconscientemente, afetam o comporta­mento de uma pessoa. Essas características, trazidas pelos genes, incluem inteligência, raça, sexo e muitos outros fatores. As características do temperamento derivam-se de quatro tipos básicos. A maioria de nós é uma mistura de temperamentos, representando as características de pais e avós. Geralmente, um tipo de temperamento predomina num indivíduo; todavia, traços de um ou dois dos outros tipos serão sempre encontrados. Os extrovertidos têm uma predominância sangüínea ou colérica no seu temperamento, enquanto que os introvertidos são, de maneira geral, melancólicos ou fleumáticos.

O Temperamento Sangüíneo

O indivíduo com o temperamento sangüíneo é afe­tuoso, alegre e animado. É naturalmente acolhedor, e as impressões externas o afetam com facilidade. Toma a maior parte de suas decisões baseado mais nas emoções do que no raciocínio.

Ele gosta de gente, não aprecia a solidão, e se sente no auge quando está rodeado de amigos, onde é a “vida da festa”. Tem um repertório sem fim de histórias interessantes, as quais conta de maneira dramática, e tanto as crianças quanto os adultos gostam dele, sendo sempre bem-vindo às festas e reuniões sociais.

O Sr. Sangüíneo nunca se embaraça com as palavras; quase sempre fala antes de pensar, mas sua sinceridade aberta tem o efeito de desarmar muitos dos seus ou­vintes, fazendo-os reagir ao seu bom humor. Sua forma de vida exuberante, aparentemente excitada e extro­vertida, transforma-o em objeto de inveja dos tipos mais tímidos de temperamento.

Suas maneiras ruidosas, tempestuosas e amistosas fazem-no parecer mais confiante em si mesmo do que realmente é, mas sua energia e adorável disposição ajudam-no a atravessar as asperezas da vida. Os outros tendem por desculpar as suas fraquezas, dizendo: “Ele é assim mesmo”

O mundo é enriquecido por esses sangüíneos joviais e simpáticos. Eles se tornam bons vendedores, funcio­nários de hospitais, professores, conversadores, atores, oradores e líderes.

O Sr. Sangüíneo geralmente é eleito como “O Homem Indicado para Vencer”; porém, com freqüência, essa predição é falha no tocante a ele. Sua vontade fraca pode torná-lo deficiente e inconstante. Ele tende a ser emocionalmente inquieto; indisciplinado, egoísta e ex­plosivo.

O Temperamento Colérico

O temperamento colérico é encontrado no indivíduo explosivo, vivo, ativo, prático e decidido, que tende a ser auto-suficiente, independente, decisivo e de opinião forte, achando fácil fazer decisões por si mesmo, bem como por outros.

O Sr. Colérico gosta de atividade. De fato, para ele vida é atividade. Não precisa ser estimulado, mas, ao contrário, estimula seu ambiente com as suas idéias, planos e ambições inesgotáveis. A sua contínua ati­vidade não é sem objetivo, visto que tem a mente aguçada e prática, capaz de tomar decisões rápidas e de planejar a longo alcance projetos importantes. Ele não vacila sob a pressão do que os outros pensam. Toma uma posição definida sobre os assuntos e, com fre­qüência, pode ser encontrado lutando por alguma grande causa social.

O colérico raramente se deixa amedrontar por adver-sidades; na verdade, tendem por encorajá-lo. Possui uma determinação obstinada e freqüentemente acontece ser bem sucedido onde outros falham, não porque os seus planos sejam melhores, mas porque se mantém impul­sionado para a frente, ainda depois de outros terem desanimado e abandonado a luta. Se há alguma verdade no ditado que “líderes nascem e não são feitos”, então ele nasceu líder.

A natureza emocional do Sr. Colérico é a parte menos desenvolvida do seu temperamento. Ele não simpatiza facilmente com os outros, e nem mostra ou exprime compaixão natural. Na realidade, sempre se embaraça ou se desgosta com as lágrimas de alguém. Aprecia pouco as belas-artes, pois que o seu primeiro interesse está nos valores utilitários da vida.

Reconhece com facilidade as oportunidades, reagindo da mesma forma ao diagnosticar qual o melhor meio de fazer uso delas. Ainda que tenha a mente bem organizada, os detalhes comumente o aborrecem. Não é dado à análise; ao contrário disso, tende a uma avaliação quase que intuitiva. Por conseguinte, se inclina por olhar fixamente para o objetivo para o qual está ele trabalhando, sem enxergar as possíveis armadilhas e obstáculos no caminho. Uma vez que tenha tomado a direção do seu objetivo, tratará sem consideração a quem postar-se no seu caminho.

Tende a ser dominador, e é constantemente consi­derado um oportunista.

Muitos dos grandes generais e líderes do mundo têm sido coléricos. São bons administradores, homens do­tados de idéias, produtores, ditadores ou criminosos, dependendo do seu modelo de moral. Tal como o Sr. Sangüíneo, o indivíduo colérico é extrovertido, posto que um tanto menos intensamente.

Suas fraquezas usualmente fazem dele uma pessoa difícil de se conviver com ela, pois pode ser de tempe­ramento impulsivo, cruel, impetuoso e auto-suficiente. A pessoa com esse temperamento com freqüência é melhor apreciada por amigos e companheiros do que pelos membros de sua própria família.

O Temperamento Melancólico

O “temperamento negro ou sombrio” geralmente caracteriza o indivíduomelancólico. O melancólico é analítico, abnegado e um perfeccionista dotado de natureza emocional extremamente sensível. Ninguém aprecia melhor as belas-artes do que o melancólico.

Por natureza, é propenso a ser introvertido, mas, por se deixar dominar pelas emoções, possui humor variável.

Em algumas ocasiões, esse humor o elevará a um estado de êxtase, que o fará agir da maneira mais extrovertida. Contudo, em outros momentos, tornar-se-á tristonho e deprimido, e, durante esses períodos, se retrai, po­dendo ser até mesmo hostil.

O Sr. Melancólico é amigo de confiança, mas, ao contrário do Sr. Sangüíneo, não faz amizades facil­mente.- Não se esforçará para travar relações com as pessoas; antes, esperará que estas venham a ele. Talvez seja o mais fiel dos temperamentos, pois suas tendências perfeccionistas não lhe permitem ser um relapso ou abandonar as pessoas que dele dependem.

A sua natural relutância em se pôr em evidência não indica que não goste das pessoas, pois, como todos nós, não somente gosta delas como tem forte desejo de ser amado por elas. As decepções tornam-no relu­tante em aceitar as pessoas como elas parecem ser, e, por isso, desconfia quando o procuram ou lhe dão muita atenção.

Sua excepcional capacidade de análise faz com que possua um diagnóstico profundo dos obstáculos e peri­gos de qualquer projeto que ajude a planejar. Essa previsão contrasta de modo acentuado com o tempe­ramento colérico, que raramente prevê os problemas ou dificuldades, mas antes, julga-se capaz de arrostar qualquer situação que surja. Essa característica faz com que o melancólico hesite a iniciar algum projeto novo ou entre em conflito com aqueles que desejam iniciá-lo. Ocasionalmente, quando está em um de seus estados emocionais de êxtase ou inspiração, pode produzir grande obra de arte. Essas realizações, via de regra, são acompanhadas de períodos de grande depressão.

O Sr. Melancólico geralmente encontra seu maior significado na vida através do sacrifício pessoal. Parece ter vontade de sofrer, e buscará uma vocação difícil, que envolva grande sacrifício pessoal. Uma vez que a sua decisão tenha sido tomada, tende a ser muito meticuloso e persistente em alcançar seu objetivo, e provavelmente realizará um grande bem.

O melancólico é dono de grande potencial natural, quando impulsionado pelo Espírito Santo. Muitos dos maiores artistas, músicos, inventores, filósofos, educa­dores e teóricos são de temperamento melancólico.

As fraquezas do indivíduo melancólico são nume­rosas: ele tende a ser egocêntrico, sensível, pessimista, crítico, mal humorado e vingativo. Esse temperamento tem produzido a maior parte dos gênios do mundo e grande parte dos homens imprestáveis, dependendo de a pessoa ter dado ênfase aos seus pontos fortes, ou ter sido vencida por suas fraquezas.

Os melancólicos, geralmente, têm mais problema em fazer um ajustamento emocional com a vida do que outros e, quando esmagados por suas fraquezas, são consumidos por complexos de perseguição, excessivos complexos de culpa, depressão, hipocondria, medos infundados e hostilidade.

O Temperamento Fleumático

O temperamento fleumático é calmo, frio, vagaroso, fácil de tratar e bem equilibrado. Para o fleumático, a vida é uma experiência feliz, tranqüila e agradável, na qual ele evita, o mais que puder, o envolvimento com os outros.

O Sr. Fleumático raras vezes se deixa perturbar, e raras vezes dá expressão á irritação ou ao riso. É o tipo de temperamento equilibradamente coerente. Sob uma personalidade fria, reticente, quase tímida, o Sr. Fleu­mático tem uma boa combinação de capacidades. Sente muito mais emoção do que aparenta e tem uma grande capacidade de apreciar as belas artes e as melhores coisas da vida.

Por gostar das pessoas, não faltam amigos a ele. Tem um senso de humor seco, capaz de levar a multidão às gargalhadas, enquanto que ele não esboça um sorriso. Tem a capacidade singular de ver coisas engraçadas nos outros e nas coisas que fazem. Sua capacidade mental de reter as coisas faz dele um bom imitador — e ele se diverte ao provocar ou fazer troça dos outros tipos de temperamento. Aborrecido pelo entusiasmo sem objetivo e inquieto do sangüíneo, muitas vezes expõe a futi­lidade de sua atitude. Irritado pelos estados de depressão do melancólico, tende a ridicularizá-lo. Gosta de atirar água fria nos explosivos planos e ambições do colérico.

Tende a ser na vida um espectador e procura não se envolver demasiado com as atividades dos outros. Na verdade, normalmente, é com grande relutância que se sente motivado a qualquer forma de atividade além de sua rotina diária. Isto não significa, porém, que não possa avaliar a necessidade de ação ou as dificuldades dos outros. Ele e o Sr. Colérico podem ver as mesmas injustiças sociais, mas a reação deles é inteiramente diferente. 0 espírito de luta do colérico o levará a dizer: “Vamos organizar uma comissão e fazer uma campanha para dar solução ao problema”. Já o Sr. Fleumático provavelmente reagirá por dizer o seguinte: “Essas con­dições são terríveis! Por que alguém não faz alga a respeito? ”

O Sr. Fleumático é constantemente bondoso e com­preensivo, mas raras vezes demonstra seus verdadeiros sentimentos. Não procurará ser líder, mas, quando for colocado em tal papel, provará ser capaz, porque tem um efeito conciliador nos outros e é um pacifista natural.

O mundo tem sido muito beneficiado pela natureza benévola do eficiente fleumático. Ele fica bem como diplomata, contador, professor, líder, cientista, ou outro tipo meticuloso de profissional.

A principal fraqueza do fleumático, e a que o impede de desenvolver seu potencial, é a falta de motivação, ou preguiça. Satisfeito em apenas olhar os outros parti­ciparem do jogo da vida, faz caçoada deles como uma maneira de proteger-se ou de conservar suas energias. Além do mais, é teimoso, indeciso e medroso.

Geralmente, é fácil de se conviver com ele, mas sua forma descuidada e vagarosa de viver pode ser uma fonte de irritação para um parceiro agressivo. Fleumáticos quase sempre são boa companhia para seus filhos; é mais fácil para eles parar o que estão fazendo e brincar com as crianças do que para os temperamentos ativistas. Muito marido de disposição enérgico dirá de sua esposa fleumática: “Ela é uma esplêndida mulher e mãe, mas não é boa dona de casa”. Inversamente, a ótima dona de casa pode ser mãe ineficiente. Ela gostaria de parar e brincar com os filhos, mas o chão precisa ser limpo, as roupas precisam ser lavadas, e. . . Essas reações subconscientes a situações da vida, fazem parte de nossos temperamentos.

O temperamento é uma questão de importância neste estudo sobre “a felicidade conjugal, porque ajuda a esclarecer por qual motivo as pessoas são tão dife­rentes! E também oferece uma chave para o porquê da atração entre os opostos.

Porque os Opostos se Atraem

O subconsciente tem sobre nós uma influência bem maior do que a maioria das pessoas pode perceber. Isso pode ser visto claramente na maneira como em geral selecionamos nossos amigos — e, particularmente, na escolha do companheiro da nossa vida. O espalhafatoso, gregário e extrovertido sangüíneo, subconscientemente desejaria possuir um maior controle sobre si mesmo. Quando retorna de uma festa, com freqüência se sente embaraçado, no seu íntimo, devido à sua tagarelice e por haver dominado as conversas. Já o suave e quieto fleumático, ou o melancólico, subconscientemente me­ditam: “Eu gostaria de ser mais sociável e expressivo”. É bastante fácil perceber por qual motivo esses tipos contrastantes se sentirão grandemente interessados um pelo outro, quando se encontrarem. Ele é tudo aquilo que ela gostaria de ser, e ela é justamente o que ele, secretamente, gostaria de ser; por conseguinte, é na­tural que pareçam se completar um ao outro. Esse princípio opera subconscientemente quase todo o tempo em que uma pessoa escolhe aquele com quem deseja casar-se. Na verdade, nenhum temperamento, subcons­cientemente, é barreira para uma pessoa, a não ser o seu próprio. E o que não se deve perder de vista, pois é  o que importa, é que as pessoas são atraídas umas pelas outras, com base em suas virtudes, embora a cada virtude corresponda uma fraqueza.

As Fraquezas Surgem mais Tarde

Muitos casais estão tão apaixonados que, antes do casamento, vêem somente os pontos fortes da outra pessoa. Depois que passa a novidade do casamento, en­tretanto, as fraquezas de cada parceiro (e todo ser hu­mano as tem) começam a aparecer. Essas fraquezas exigem ajustamento — aprender a conviver com as fraquezas do parceiro. É importante que um casal tenha a ajuda do Espírito Santo para que possa revelar “bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio”, en­quanto vai se ajustando a essas fraquezas. O Espírito Santo também ajuda a transformar fraquezas em atri­butos positivos. Gaiatas 5:22,23 aponta nove caracte­rísticas disponíveis ao cristão cheio do Espírito:! uma força para cada fraqueza natural. Um cristão cheio do Espírito alcança maior alegria em seu casamento, porque se utiliza da ajuda do Espírito Santo para vencer suas fraquezas, e assim se torna menos censurável aos olhos do seu parceiro. Além disso, o Espírito Santo lhe dá á graça de tolerar e viver alegremente com as fraquezas do companheiro.

Conflitos de Personalidade

Conflitos de personalidade são, realmente, fraquezas conflitantes, e poderiam ser chamados conflitos de tem­peramento. São fraquezas de um companheiro que irritam as fraquezas do outro. Eis aqui alguns exemplos que tenho achado no meu aconselhamento.

A falta de cuidado e os projetos inacabados do Sr. Sangüíneo criam um grande conflito para as ten­dências melancólicas e perfeccionistas da esposa. Quando ele se atrasa devido a uma reunião de vendas e a esposa o espera duas horas para o jantar, ela tem muitas dificul­dades em “perdoar e esquecer” o seu descuido. Após alguns anos ela se cansa de suas histórias exageradas e do uso inconseqüente da verdade. A história que ela conta não é tão interessante como a dele — “mas pelo menos é a verdade!”

O Sr. Colérico se dedica inteiramente aos seus negó­cios e a esposa se sente abandonada. Ela não percebe que antes do casamento ele se havia dado 100%, como ele comumente faz, para alcançar seu objetivo de desposá-la. Agora que o “projeto do casamento” já se realizou, ele se preocupa com o próximo passo, susten­tá-la. Se ela é desleixada, ele pode ficar muito irritado com a sua desorganização e vir a reprová-la com palavras cruéis e sarcásticas. Ele agora vê suas maneiras gentis e calmas — como as via antes do casamento — como “preguiça e falta de motivação”

A Sra. Melancólica freqüentemente cai em depressão pouco depois de casada. O alívio natural que vem após a tensão excitante das vésperas do casamento pode levá-la a um período de depressão. Se o marido é impa­ciente e fica frustrado, ela pode ficar em silêncio, em estado de hipocondria, ou chorar. Sua super-sensibilidade pode fazê-la suspeitar que “ele não me ama mais”.

O perfeccionismo dela, quando dirigido para o tra­balho doméstico, pode criar uma casa impecavelmente cuidada, na qual o marido raras vezes poderá se sentir à vontade.

Ela pode se perturbar se ele põe os pés sobre a mesa ou não apanha as meias do chão. Uma de suas maiores tentações é manter todas as suas frustrações armazenadas dentro de si mesma, onde elas, finalmente, “explodem” ou causam nervosismo, úlcera ou outros males.

A falta de motivação do Sr. Fleumático torna-se exaustiva para a sua companheira. Sendo um tipo que gosta de “ficar em casa”, ele pode se tornar enfadonho, a menos que faça um esforço só por amor à compa­nheira, descobrindo depois, que ele mesmo se divertiu. Ele faz bem os serviços de reparo da casa — se ela puder conseguir que ele os faça. Certa mãe colérica que co­nheço deu à sua filha colérica, casada com um marido fleumático, este sábio conselho: “Shirley, quando você conseguir que ele se levante, mantenha-o em atividade”.

Um companheiro fleumático é menos inclinado a ser generoso do que um sangüíneo, e esse fator, acrescido de uma silenciosa teimosia, pode causar grande ressenti­mento e frustração.

Resolva seus Conflitos

As diferenças entre casais não precisam ter conse­qüências desastrosas. Nenhuma divergência é ameaça para um casamento; a atitude do casal para com as di­vergências é que vai determinar o sucesso ou a ruína de um casamento. Muitos dos casamentos estáveis de agora, um dia experimentaram fortes conflitos de tem­peramento.

As sugestões que seguem são dadas para ajudá-lo a fazer os necessários ajustamentos de um modo acertado.

*  Quando você sente frustração, ressentimento ou qualquer outra forma de hostilidade, pare e olhe obje­tivamente para aquilo que os causa.

*  Ore sobre isso. Primeiro, confesse seu pecado de entristecer o Espírito Santo (Efésios 4:30-32). Sua paz de espírito não depende do comportamento de seu companheiro. Depois que você encarar como pecado sua hostilidade interior e raiva, e confessá-los (I João 1:9), peça a Deus para enchê-lo com seu Espírito (Lucas 11:13) e depois ande no Espírito (Gaiatas 5:16). Em segundo lugar, ore a respeito das ações de seu companheiro, pedindo a Deus que o ajude a enxergar suas falhas e levá-lo a discutir o assunto com você.

*  Fale com seu companheiro sobre a falha dele. Isso deverá ser sempre feito “em amor” (Efésios 4:15). Aproveite um momento apropriado, quando você pode compartilhar objetivamente seus sentimentos sem se emocionar demais. Nunca fale com raiva, e sempre lhe dê tempo para pensar sobre o que você disse. Então, deixe o assunto a cargo do Espírito Santo.

*  Peça a Deus, o doador do amor, para enchê-lo de amor por Ele e pelo seu companheiro, de tal forma que você possa amá-lo verdadeiramente, apesar de suas fraquezas. Olhe para as virtudes dele e agradeça a Deus por elas (I Tessalonicenses 5:18).

*  Esqueça os erros e pecados passados! “Esquecendo-me das coisas que atrás ficam, e avançando para as que estão adiante, prossigo para o alvo pelo prêmio da vocação celestial de Deus em Cristo Jesus” (Fili-penses 3:13,14).

Seguindo repetidamente este procedimento, você saberá que sua reação para com as ações do seu com­panheiro será dirigida pelo Espírito Santo e seu amor aumentará de tal maneira que cobrirá uma infinidade de fraquezas.

Fonte: Casados Mais Felizes, Tim Lahaye – Editora Fiel Ltda.

Postado por IPB Esperança

A PALAVRA DO DIA-OS OPOSTOS SE ATRAEM
Avalie esta postagem



Levany Júnior

Levany Júnior é Advogado e diretor do Blog do Levany Júnior. Blog aborda notícias principalmente de todo estado do Rio Grande do Norte, grande Natal, Alto do Rodrigues, Pendências, Macau, Assú, Mossoró e todo interior do RN. E-mail: levanyjunior@blogdolevanyjunior.com

Comentários com Facebook




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *