A PALAVRA DO DIA- DEUS NOS SALVA DE TODAS AS NOSSAS TRIBULAÇÕES


0

Salmo 107: 1-43 – DEUS NOS SALVA DE TODAS AS NOSSAS TRIBULAÇÕES

Gostei tanto deste salmo, em especial. Ele nos parece ser algo preparado para ser uma grande lição de Jeová para nós, do Espírito Santo, para nós em todos os tempos, desde quando foi escrito e disponibilizado a todos em todo o mundo.

Tudo começa com render graças! E devemos render graças porque o Senhor é bom e porque a sua misericórdia dura para sempre. Isto quer dizer que ele tem cuidado de nós e nos dado em justa medida de tudo o que necessitamos para nossa vida ter evolução.

É um salmo que fala de Deus como soberano sobre todas as coisas. No seu governo, no entanto, não está o anular de nossas vontades. Não somos bonecos de marionete em suas mãos, sem vontades e sem responsabilidades. Por isso nos metemos em tantas confusões e em nossas angústias, clamamos a Deus que nos livra e nos coloca em lugar seguro.

Neste salmo há 5 repetições, envolvendo 5 situações em que por causa de nossas vontades nos metemos em confusões, precisando assim do socorro do Senhor e da sua ajuda. O salmista explora cada uma delas e faz análise em simples palavras que envolvem a alção de Deus e a ação dos homens.

Os que aceitam a repreensão do Senhor serão curados, mas os que se endurecem, apesar da graça e da misericórdia de Deus ainda permitir a eles vida, serão preservados, mas não para a salvação. Deus não admite que o homem o rejeite!

Eu entendo assim. É como se Deus falasse para mim. Filho, eu existo. Eu criei todas as coisas. Eu governo todas as coisas. Eu não preciso da sua ajuda em nada. Você tem recebido, todos os dias de minha graça e misericórdia. Portanto, não admito que rejeites o meu conhecimento.

Se eu não o rejeito, irei fazer o quê? Como diz este salmo: render-lhe graças porque ele é bom e a sua misericórdia dura para sempre. Se o rejeito? Ele simplesmente me entrega a mim mesmo para eu “ser livre” para fazer o que quiser. Ele continuará me dando de sua graça e misericórdia, mas… as consequências serão terríveis.

Calvino, em seu comentário, na sua introdução, fala sobre o que este salmo nos ensina que nossos destinos não são determinados pela sorte, mas é Deus quem está no controle de tudo.

O salmista nos ensina, em primeiro lugar, que os assuntos humanos não são regulados pela roda inconstante e incansável da fortuna, mas que devemos observar os julgamentos de Deus nas diferentes vicissitudes que ocorrem no mundo e que os homens imaginam acontecer por acaso. Por conseguinte, a adversidade e todos os males que a humanidade sofre, como naufrágios, fome, destruição, doenças e desastres na guerra, devem ser considerados como tantos tokens do desagrado de Deus, pelo qual ele os convoca, por causa de seus pecados, antes seu trono judicial. Mas a prosperidade e a questão feliz dos acontecimentos também devem ser atribuídos à sua graça, para que ele sempre receba o louvor que ele merece, o de ser um Pai misericordioso e um juiz imparcial. Sobre o fim do salmo, ele fala daqueles homens ímpios que não reconhecerão a mão de Deus, em meio a demonstrações tão palpáveis de sua providência.

Sl 107:1 Rendei graças ao SENHOR,

porque ele é bom,

e a sua misericórdia dura para sempre.

Sl 107:2 Digam-no os remidos do SENHOR,

os que ele resgatou da mão do inimigo

Sl 107:3 e congregou de entre as terras,

do Oriente e do Ocidente, do Norte e do mar.

Sl 107:4 Andaram errantes pelo deserto,

por ermos caminhos,

sem achar cidade em que hab



Levany Júnior

Levany Júnior é Advogado e diretor do Blog do Levany Júnior. Blog aborda notícias principalmente de todo estado do Rio Grande do Norte, grande Natal, Alto do Rodrigues, Pendências, Macau, Assú, Mossoró e todo interior do RN. E-mail: [email protected]

Comentários com Facebook




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.