A PALAVRA DO DIA- Cessado o tumultuo, Paulo mandou chamar os discípulos


ATOS DOS APÓSTOLOS / CAP. 20

De novo, Paulo visita a Macedônia e a Grécia

Leia os comentários seguindo a sequência dos textos, conferindo versículos por versículos.       
Obs. Os textos bíblicos é o que edifica.

Atos 20: 1— Cessado o tumultuo, Paulo mandou chamar os discípulos, e, tendo- os confortado, despediu- se, e partiu para a Macedônia.

Paulo seguindo um aviso do homem (Jó 33: 14; I Co 2: 15; Jo 4: 24; Ap 3: 6), não foi ao teatro (Atos 19: 31; Jo 13: 7; Atos 21: 7- 14; Atos 9: 10- 16). Depois que cessou o tumultuo os dois discipulos foram soltos e Paulo os mandou chamar. Todo tipo de alvoroço como: Perseguição, difamação, contenda, divisão e rebelião causam um grande desanimo nos crentes (Js 1: 9; Atos 18: 9- 10). A igreja sofre, enfraquece, corre o risco até de ter as suas portas fechadas (Lm 1: 16; Zc 13: 7; Is 26: 20). Para animar os crentes e fortalecer a igreja somente pelo poder de Deus na atuação do Espírito Santo (Is 35: 3; Jó 4: 3- 4; Atos 9: 31). Paulo era experimentado nas prisões (II Co 11: 23- 28; Atos 16: 19- 23), mas os macedônios Gaio e Aristarco não (Atos 19: 23- 29). Não podemos dizer corretamente quantos anos eles tinham de caminhada com o Senhor (Atos 18: 1- 7; Rm 16: 23; Hb 13: 2), mas com certeza Deus os estava preparando para coisas maiores (Rm 8: 28; I Jo 1; Cl 4: 10).

Depois de ter fortalecido os discipulos, mostrando a eles a importância de permanecerem na fé, e que era necessário passar por muitas tribulações para entrar no reino de Deus, Paulo despediu- se, e partiu para a Macedônia (Mq 2: 10a; Ed 10: 4; Atos 14: 22). Glória, honra, poder, perseguições e prisões esperam por aqueles que são chamados para serem discipulos de Cristo (Mc 10: 28- 30; Mt 19: 27- 29). Você foi chamado para ser um (a) discípulo (a) de Cristo (Jo 15: 16; Dt 32: 10) e não simplesmente um crente de banco (Ef 5: 14; Mt 8: 18- 22). O que você esta esperando para experimentar a glória de Deus? (Is 60: 1; Atos 6: 15; Ap 2: 4). O que você esta esperando para experimentar a honra que vem de Cristo? (Ef 4: 7- 11; I Tm 3: 1; I Co 12: 31; I Co 13: 1- 7; Sl 27: 14). O que você esta esperando para experimentar o poder de Deus? (Atos 1: 8; Ef 1: 13; Ef 5: 18; Atos 4: 8; Atos 13: 9; I Co 4: 20). Prepare-se também para sofrer perseguições e prisões por causa de Cristo (II Tm 3: 12; Rm 8: 31- 39; Mt 7: 13- 14).

Atos 20: 2— Atravessando aquelas regiões, fortalecia os discípulos com muitas exortações, e logo chegou à Grécia.

Nenhuma cidade entre Éfeso na Síria e a Grécia (Ap 2: 1, 8, 12, 18; Atos 16: 14; Ap 3: 17; 14), são mencionadas no texto (Dt 29: 29; Atos 1: 6- 7; Mt 24: 36). Mas com certeza já havia igreja nesse caminho (Rm 16: 3- 5; I Co 16: 19; Atos 18: 1- 19). Paulo fortalecia os discipulos. Fortalecer a igreja é obra do Espírito Santo (Jo 14: 26; Ef 6: 10; II Pd 1: 20- 21). O Espírito Santo fortalece a igreja; exortando-a (Rm 12: 1- 8; Hb 10: 19- 31; Hb 12: 1- 8). A exortação não tem como objetivo colocar o crente para baixo (Is 35: 3; Jó 4: 3- 4; Pv 15: 30; Is 35: 5- 7). A exortação põe o crente no caminho da santidade (Is 35: 8; I Pd 1: 16; Lv 20: 7 e 23- 24). Paulo exortava os discipulos a suportar provas e a permanecer na fé (Is 35: 4; II Co 5: 7; II Co 4: 18). Os discipulos de Cristo são homens e combatem contra espíritos malignos (Atos 19: 13- 15; Atos 16: 16- 18). A luta é contra o invisível (Ef 4: 27; Jó 4: 15; Jo 13: 21- 27; Jó 1: 6- 7; I Pd 5: 8). Paulo conhecia o nível do combate (I Ts 2: 17- 18; II Co 2: 5- 11), mas os discipulos das igrejas por onde ele passava não (Ef 6: 12; Is 58: 11- 12; Is 54: 2- 3). A igreja estava no inicio e ela não tinha o conhecimento que nós temos hoje (Lc 10: 24; Os 4: 6a; Os 6: 3; II Pd 3: 18). Paulo por onde passava ele procurava elevar o nível de conhecimento da igreja (Ef 1: 3; Ef 3: 8- 10; Ef 6: 10- 17). O conhecimento de Paulo era elevado de mais para a igreja da época (II Pd 3: 15- 16; I Co 2: 6- 7; Ef 3: 8- 10; Cl 2: 2- 3). A profundidade de Deus é elevada de mais para qualquer um (Rm 11: 33- 36; Sl 139: 6- 17; Is 40: 12- 28). Devido ao conhecimento, e o poder de Deus que se manifestava em sua vida (Rm 15: 18- 19; Atos 19: 11- 12; Atos 20: 7- 12), Paulo era sempre esperado pelas igrejas (Atos 13: 44- 48; Atos 14: 12). O texto não diz a que cidade da Grécia Paulo chegou, mas acreditamos que a cidade em que Paulo chegou foi Corinto. Gaio acompanhava Paulo (Atos 19: 23- 29; Atos 20: 4). Era justamente ele o anfitrião da igreja de Cristo em Corinto (Atos 18: 1- 8; Atos 19: 4; Rm 16: 23; I Co 1: 10- 14; Atos 18: 7- 8).

Atos 20: 3— Tendo ali permanecido por três meses, houve uma conspiração dos judeus contra ele, quando estava para embarcar rumo à Síria; por isso decidiu voltara pela Macedônia.

Acredita- se que nestes três meses que Paulo passou em Corinto ele escreveu a carta aos Romanos (Rm 16: 1- 23; Rm 1: 18- 23a; Is 40: 18; I Jo 5: 21). A igreja de Corinto se fortalecia no poder que a pregação de Paulo trazia (I Co 4: 20; Mq 3: 8; Ef 5: 18; Jó 40: 23; Sl 45: 1; Ec 12: 10- 11). O poder do nome de Jesus (I Co 1: 18- 24; Cl 2: 2- 3; Ef 3: 8- 10) enchia o coração de cada um dos crentes de Corinto (I Co 2: 1- 5; II Co 4: 6- 7; II Co 10: 4- 5; I Co 3: 10- 11; Sl 118: 20- 22; Is 28: 16; Mt 21: 33- 42; Rm 9: 33; Atos 4: 11; Ef 2: 20; I Pd 2: 3- 10). Dons do Espírito Santo eram derramados (I Co 1: 4- 7; I Co 12: 1- 31; I Co 13: 1- 7; I Co 14: 1- 40). Isto foi notório na cidade, e encheu de inveja os judeus da sinagoga (Pv 14: 30; Pv 27: 4; Atos 13: 45; Atos 17: 1- 5). Movidos pelo espírito homicida eles conspiraram para matar o apóstolo Paulo (Sl 83: 3; Jo 8: 44; Jo 10: 10a). Planejaram matar o apóstolo no momento em que ele fosse embarcar rumo à Síria (Rm 8: 35- 36; Sl 44: 22; I Co 15: 30- 31; II Co 4: 11). Os inimigos de Deus são instrumentos do próprio Deus para fazer com que as coisas aconteçam com forme seus planos (Rm 8: 28; Lc 22: 31- 32; Is 48: 10; Lc 22: 54- 62). Deus queria que a igreja alcançasse os confins da terra (Mt 24: 14; Atos 1: 8). O que ele fez? Permitiu que o inimigo lançasse uma grande perseguição sobre ela (Atos 8: 1; Atos 9: 1- 2; Atos 11: 19- 21). Deus queria o apóstolo Paulo pregando aos gentios (Is 49: 6; Mt 12: 15- 21; Atos 4: 12; Fp 2: 9- 11); o que ele fez? Levantou perseguições sobre ele (Atos 13: 44-48). Deus queria Paulo pregando na Macedônia e não na Síria; o que ele fez? Permitiu que o inimigo se levantasse em perseguição (II Co 1: 8- 9; Atos 19: 23- 31; Atos 20: 16) e com isso ele voltasse pela Macedônia (Jo 3: 8; Atos 8: 26- 40; Atos 16: 6- 10). Cabe a nós fazer planos, mas não cabe a nós realizar (Pv 16: 1; II Sm 7: 1- 13; Jr 10: 23- 24). Entender a vontade de Deus em nossa vida é fundamental para se viver da forma que Deus deseja (Jo 4: 23- 24; Sl 101: 6; Atos 13: 22; I Co 2: 15).

Atos 20: 4— Acompanharam- no (até a Ásia) Sópatro, de Beréia, filho de Pirro, Aristarco e Secundo, de Tessalônica, Gaio, de Derbe, e Timóteo, alem de Tíquico e Trófimo, da Ásia.

Paulo tinha uma grande unção (II Co 1: 21; II Co 3: 5; Gl 1: 11- 12); conhecimento e sabedoria (I Co 2: 6- 7; Ef 3: 8- 10; Cl 2: 2- 3); fazia sinais e prodígios (Rm 15: 18- 19; Atos 14: 8- 11; Atos 19: 11- 12), mas tinha por trás de si uma grande equipe que o acompanhava (Cl 4: 7- 15; Atos 13: 1- 4; Atos 15: 36- 40; Atos 16: 1- 3; Atos 18: 1- 3; Rm 16: 3- 23). Ninguém faz a obra sozinho (Pv 11: 14; Ex 18: 1- 26; Lc 10: 1). Paulo precisava de cada um deles (I Co 12: 18- 26; Rm 12: 15). Paulo precisava de Sópatro de Beréia: Os bereanos não engoliam tudo que ouviam (Atos 17: 10- 11; Sl 119: 105; Sl 36: 9). Paulo precisava de Aristarco e Secundo, de Tessalônica: Foi na Tessalônica que Jasom foi preso junto com alguns irmãos por hospedar Paulo (Atos 17: 1- 7; Ap 19: 11- 16; Dn 2: 44). O interessante que algo semelhante aconteceu com Aristarco que também era da Tessalônica. Aristarco foi preso em lugar de Paulo em Éfeso (Atos 19: 26- 29; Atos 17: 29; Is 40: 18- 19; I Co 10: 14; I Jo 5: 21). Paulo precisava de Gaio de Derbe: Gaio era um homem bom, foi batizado por Paulo (I Co 1: 11- 14; Atos 18: 8; Jo 4: 1- 2).  Gaio era de Derbe (Atos 19: 1) e Paulo costumava hospedar em sua casa em Corinto, onde a igreja de Cristo se reunia (Rm 16: 23; Atos 18: 7- 11). Paulo precisava de Timóteo: Embora na equipe de Paulo Timóteo cumprisse a função de auxiliar (Atos 16: 1- 3), Timóteo era um grande evangelista (II Tm 4: 1- 5; II Tm 1: 6- 7; I Tm 4: 14). Paulo precisava de Tíquico e Trófimo, da Ásia (Ef 6: 21- 22; II Tm 4: 12): Foi na Ásia que alguns amigos e irmãos asiáticos foram usados por Deus, e impediram Paulo de ser preso em Éfeso (Atos 19: 26- 31; Pv 14:16; Pv 22: 3). A igreja é um corpo e Paulo ensinava isso (I Co 12: 12; Rm 12: 4- 5; I Co 10: 17- 21; II Co 6: 14- 16). Paulo, Sópatro, Aristarco, Secundo, Gaio, Timóteo, Tíquico, Trófimo todos eram membros deste corpo (I Co 6: 15a; I Co 12: 13- 27). Uns com mais talento que outros (Mt 25: 14- 28; Ef 4: 7- 8; I Co 12: 4), mas todos com mesma importância (I Co 12: 25 e 31; I Co 13: 1- 7; I Jo 3: 16- 18; Atos 2: 42- 45; Atos 4: 32- 34; Rm 13: 8).

Atos 20: 5— Estes foram na frente, esperando-nos em Trôade.

Paulo, junto com sua equipe por terra visitou as igrejas da Macedônia (Sl 1: 1- 2; Atos 16: 9- 15; Fp 1: 3- 10; Fp 2: 1- 8; Fp 3: 1- 3; Fp 4: 14- 16). Tíquico e Trófimo foram à frente para preparar a estadia de Paulo em Trôade (II Tm 4: 13; Atos 16: 6- 8). Paulo enviou em sua frente homens de sua confiança, Tíquico e Sópatro. De Sópatro não temos informação nenhuma, mas Tíquico era um discípulo com mistério e sempre representava Paulo em algumas igrejas (II Tm 4: 12; Ef 6: 21- 22; Cl 4: 7; Tt 3: 12).  O objetivo do iniciante na fé: Tem que ser alcançar graça diante de Deus (Gn 6: 8; Atos 13: 22; I Sm 17: 34- 36). Com isso alcançar um posto de importância na igreja de Cristo (Sl 101: 6; Jo 4: 23; Sl 94: 9). Paulo só escolhia para fazer parte de sua equipe, crentes que tinham objetivo de crescer (Atos 16: 1- 3; Ef 4: 1; II Tm 1: 7). Depois da salvação; a missão é do salvo? (Jr 33: 3; Jr 29: 13; Atos 17: 24- 27; Mt 28: 19- 20; Mt 18: 20; Lc 24: 13- 32). A missão de Deus é salvar o crente através de seu Filho (Rm 10: 8- 13; Atos 4: 12; Atos 16: 31). Mas depois de salvo é o crente que tem a missão (Jo 15: 16; Pv 11: 30; Tg 5: 20; Lc 15: 1- 7). O crente pode escolher: Ser ativo (Rm 12: 11- 13) ou passivo (Pv 6: 9- 11), útil ou inútil (Lc 17: 5- 10), ovelha ou bode (Mt 25: 31- 46), ser crente de banco (I Co 4: 6- 8) ou de púlpito (I Co 4: 9- 14); ter um relacionamento profundo com Deus ou não (Ap 3: 20; Pv 23: 26; Jo 2: 1- 2). Paulo e sua equipe viveram em um tempo que falar de Jesus significava assinar a própria sentença de morte (Rm 8: 35- 36; I Co 15: 31- 32; II Co 1: 8- 9; Atos 19: 23- 31). Eles não se calaram (Lc 19: 40; Atos 18: 9- 10; II Tm 4: 2). Se o crente não tiver está mesma visão certamente ele é um religioso (Is 29: 13; Mt 15: 7- 9; Jr 2: 12- 13) e não discípulo de Cristo (Jo 14: 24; Jo 7: 16- 17; Mt 7: 24- 27). A missão de cada um que aceita Jesus, é dar continuidade na sua obra (Mc 16: 15; Jo 14: 12). Você pode dizer: “Eu não tenho sabedoria nenhuma (I Co 1: 26), sou fraco sem força alguma (I Co 1: 27; Ap 3: 8) e todos me desprezam I Co 1: 28; Is 49: 15- 16)”.  Deus capacita o novo crente e o velho crente depende da vontade da cada um (II Co 1: 21; Fp 2: 13; I Co 12: 1- 1).

Paulo em Trôade

Atos 20: 6— Depois dos dias de pães ázimos, navegamos de Filipos e, em cinco dias nos encontramos com eles naquele porto, onde passamos uma semana

As festas dos pães ázimos era umas das festas onde os judeus comemoram a saída do Egito (Ex 23: 14- 15; Lv 23: 6; Ex 12: 1- 8), neste dia os pães que os judeus comem não contem fermento (Ex 12: 14- 19; Dt 16: 1- 3; Mt 16: 6; I Co 5: 7). A igreja de Filipos, assim como a igreja de Corinto foi fundada pelo apóstolo Paulo em sua segunda viagem missionária (Atos 16: 6- 40).  Foi em Filipos que Paulo iniciou o seu ministério na Europa (Rm 15: 24- 28; Atos 17: 1- 15; Is 2: 8; Atos 17: 16- 29; Atos 19: 23- 26; Is 40: 18- 20; Is 44: 13- 20; I Jo 5: 21; Is 2: 18). Um coração se abriu em Filipos (Atos 16: 13- 14; Jl 2: 13; Is 1: 10- 19); e o Reino de Deus foi estalado na Macedônia (Atos 16: 15; Ag 2: 6; Atos 16: 25- 33; Atos 8: 29- 38; Atos 10: 19- 48). Paulo e sua equipe passam a festa de pães ázimos em Filipos na Macedônia (Sl 1: 1- 2; Atos 16: 11- 12; I Co 8: 1; Atos 17: 11; I Ts 2: 1- 6). Podemos entender que o Espírito Santo nesta terceira viagem missionária estava levando Paulo a despedir- se dos seus filhos na fé (Atos 20: 22- 23; I Co 12: 14; I Ts 2: 7-11; Jo 13: 7; Atos 21: 8- 11; Amós 3: 7; Atos 11: 27- 28; Atos 21: 12- 34). Depois de passar alguns dias de festas em Filipos, Paulo e sua equipe partem por pelo mar em uma viagem de cinco dias até Trôade, onde Tíquico e Trófimo os esperavam (Atos 20: 5). Paulo tinha um amigo e irmão em Trôade (II Tm 4: 13). Trôade era um dos lugares preferidos por Paulo (Atos 16: 6- 8; II Co 2: 12; Atos 16: 9- 10; II Co 2: 13). Este quando queria descansar (Tt 3: 12; I Co 16: 1- 6). Todos têm o direito de descansar: Deus descansou (Gn 2: 1- 2), Jesus descansou (Mt 8: 23- 24), os apóstolos descansaram (Mc 6: 30- 31). Eu, você, nós todos podemos descansar, mas não por muito tempo (Mq 2: 10a; Ed 10: 4), lembramos: O diabo não descansa (Jó 1: 6- 7; Ef 4: 27; I Pd 5: 8).

Uma noite inesquecível

Atos 20: 7— No primeiro dia da semana quando estávamos reunidos para partir o pão, Paulo, que devia seguir viagem no dia seguinte exortava- os, e prolongou o discurso até a meia- noite.

Lucas narra o culto de despedida do apóstolo Paulo depois de passar uma semana em Trôade (Atos 20: 5- 6; Atos16: 6- 8; II Co 2: 12; Atos 16: 9- 10). O culto foi e realizado na casa de um discípulo chamado Carpo (II Tm 4: 13; Sl 122: 1; Sl 133: 1). No inicio a igreja se reunia em casas. Em Trôade a igreja se reunia na casa de Carpo (Atos 1: 13- 14; Atos 2: 46; Atos 12: 5 e 11: 12; Atos 18: 7- 11). Era domingo e a casa estava lotada (Mt 28: 1; Mc 16: 1- 6; Ap 1: 17- 18). Todas as noites daquela semana foram inesquecíveis para Carpo e para todos daquela igreja (Is 35: 1- 8; Hc 3: 2; I Co 2: 9). Durante a semana em que eles passaram Trôade os companheiros de Paulo aproveitaram para desenvolver o talento que estava sobre cada um deles (Mt 25: 14- 29; Ef 4: 7- 8; I Co 12: 4; Ef 4: 1; Ef 1: 13; I Co 3: 16). Todos os dias em que Paulo passou em Trôade houve cultos e festas (Ef 18- 19; Sl 100: 1- 2; Na 1: 15). Os discipulos que faziam parte da equipe que acompanhava Paulo (Atos 20: 4; Pv 11: 14; Ex 18: 1- 26;), louvaram, profetizaram, pregaram e ensinaram (Ef 4: 11; Sl 149: 6; Is 55: 2a; Lc 22: 35- 36; Hb 4: 12).

Mas, como tudo tem um fim: Tinha chegado o ultima noite de Paulo e sua equipe em Trôade. O culto de despedida de Paulo se encerraria com celebração da santa ceia (I Co 11: 23- 26; Lc 22: 7- 20; Jo 6: 22- 57; Jo 15: 1- 5). Aquela também marcava a despedida do apóstolo Paulo. Todos os dias da semana, Paulo pregou e ensinou em Trôade; mas, esta noite era especial: Era noite de celebração da santa ceia (I Co 11: 23- 26; Lc 22: 7- 20; Jo 6: 1- 56) e sua ultima noite com aqueles irmãos (Atos 20: 22- 23; II Co 5: 1- 8; Fp 1: 20- 24). Paulo prolongou o discurso até a meia- noite (Mt 25: 6; Atos 16: 25- 26; Sl 119: 62; Mc 13: 35). Paulo estava cheio do Espírito Santo (Atos 9: 17; Atos 13: 9; Ef 5: 18; Jó 40: 23). A palavra que saia da sua boca edificava os irmãos (Sl 45: 1; Atos 14: 22; Jó 4: 3- 4; Is 35: 3- 8). Ninguém queria ir embora da casa (Sl 97: 6; Sl 26: 8; Ex 40: 34; Nm 9: 15; Sl 96: 1- 8). Quando é Deus quem esta falando (II Sm 23: 2- 4); o espírito do crente está se deliciando (II Sm 23: 5; Is 58: 11- 12; Is 54: 2- 3).

Atos 20: 8—Havia muitas lâmpadas no cenáculo onde estavam reunidos.

É preciso haver luz (Sl 119: 105), sem luz ás trevas predominam (Sl 119: 11; Sl 1: 1- 2; Cl 3: 1- 2). A parte superior da casa estava lotada (Jl 3: 13a – 14; Atos 10: 1- 27; Atos 13: 44) e bem iluminada (I Co 14: 40; Mt 5: 14; Ef 5: 1- 8). Havia um manancial jorrando em Trôades (Sl 36: 9a; Jo 7: 37- 39; Jo 4: 1- 14) e nesse manancial eles encontraram a luz (Sl 36: 9b; Jo 8: 12; Jo 5: 39). A luz que o povo encontrou estava iluminando o caminho de cada um deles (Sl 119: 105; Is 45: 2- 3; Is 43: 2- 3). Iluminada pela palavra de Deus aquela igreja brilhava no mais alto monte daquela cidade (Pv 6: 23; Mt 5: 15; Js 1: 8). A quantidade de lâmpadas no cenáculo impressionava (Mt 25: 6- 7; Atos 20: 9- 10; Jo 11: 40; Atos 20: 12). O crente é lâmpada pela qual a luz de Cristo brilha nesse mundo (Ap 12: 1; Ml 4: 2; Is 60: 1- 2). O crente é a luz que ilumina o caminho para a salvação (Gn 6: 11- 19; Lc 17: 22- 27; Mt 25: 1- 13; I Ts 4: 13- 17). Existem lâmpadas de todas ás qualidades (I Pd 1: 16) , capacidades (II Co 1: 21), e força (Jo 15: 5). Existem lâmpadas de boas qualidades (Fp 2: 13) e más qualidades (Jo 8: 43). Quais são as boas e quais são as más?  Lâmpadas de boa qualidade são lâmpadas que iluminam grandes áreas, ou seja, alcançam maior distancia (Atos 8: 5- 8; II Tm 4: 2; Dn 12: 3). As lâmpadas de má qualidade são lâmpadas de iluminação fraca, que não iluminam com qualidade (Mt 6: 23b; I Co 3: 3; I Co 11: 18- 19). Queimam com facilidade e não são resistentes (Jr 12: 5; Is 29: 13). Existem as lâmpadas que suportam grande carga de energia (Pv 20: 27; I Pd 4: 12- 18; Tg 1: 2- 4), são lâmpadas que não suportam e queimam (II Tm 4: 10a; Mt 13: 1- 21; Lc 14: 28- 30; II Pd 2: 20- 22; Pv 23: 29- 35). Lembre se você é uma lâmpada na igreja: Agora cabe a você julgar a você mesmo (I Co 11: 31). E fazer está pergunta: “De que qualidade, capacidade e força eu sou”? (II Co 13: 5; Jo 8: 36; II Co 13: 8).

Atos 20: 9— Um jovem chamado Êutico, que estava sentado numa janela, adormeceu profundamente durante o prolongado discurso de Paulo e, vencido pelo sono, do terceiro andar ao chão. Quando o levaram estava morto.

Por volta da meia noite Paulo ainda pregava quando algo inesperado aconteceu: Entre aquela multidão que se apinhava no terceiro andar da casa (Atos 20: 8; Mc 14: 12- 15; Atos 1: 10- 13) estava um jovem de nome Êutico (Pv 22: 1; Atos 20: 12). Este, não encontrando um lugar entre aqueles que estavam assentados no cenáculo, foi e se assentou na janela (Pv 7: 6; Dn 6: 10; II Co 11: 32- 33; Atos 9: 22- 25). Lucas fez questão mencionar o nome de deste jovem no livro; por quê? Uma obra do Espírito Santo para que venhamos a tirar alguns entendimentos (Jo 14: 26; Is 48: 17; Is 54: 13). Primeiro: Êutico só estava na janela por que chegou atrasado ao culto e encontrou a igreja lotada (Jr 12: 5; Rm 12: 11). Segundo: Mesmo chegando atrasado; janela não é lugar de se assentar (Pv 27: 8; Jó 31: 9).

Terceiro: Culto não é lugar de dormir (I Co 11: 29- 30; Lm 3: 39). Dormir sentado em uma janela no terceiro andar de um prédio é coisa que se faça? (Is 43: 8; Lc 4: 9- 11). Quarto: Ele estava cultuando ao Senhor, portando era dever dele estar atento o tempo todo ao que Deus estava falando (Ap 3: 6; Mt 7: 24- 27). Quando Deus está falando, o culto não tem hora para acabar, e as ovelhas sabem disso (Jo 10: 27; Ez 34: 31; Sl 23: 1). Quinto: Êutico poderia estar cansado, ter trabalhado o dia todo e mesmo assim ter ido ao culto. E não achando lugar para se assentar, sentou na janela e dormiu (Sl 13: 3; Sl 127: 2).  Êutico não vigiou! Dormiu no lugar errado, caiu da janela e morreu (Pv 10: 5; Ml 1: 12- 14; Amós 3: 8a). Culto não é lugar de oba-oba (I Co 11: 17- 22), nem lugar de dormir (I Co 11: 30; Rm 13: 11; Ef 5: 14). Culto é o lugar de oferecer o melhor a Deus (Rm 12: 1- 2; I Pd 2: 3- 5; Lv 20: 7 e 23- 24; Tg 4: 4- 5). Por ser em lugar, dia e horário determinado; o inimigo de Deus também se faz presente (Jo 13: 2- 27; Jo 10: 10a; Mt 26: 14- 16 e 47- 47; Mt 27: 3- 5; Mc 13: 37). Lembre- se: Era uma noite de santa ceia (Atos 20: 7; I Co 11: 23- 29; Gl 6: 7- 8) e o poder de Deus estava caindo na igreja (Atos 20: 8; Ez 28: 13- 14). Fica um alerta: Com o diabo não se brinca (Jó 1: 6- 7; Ef 4: 27; II Co 2: 11; I Pd 5: 8).

Atos 20: 10— Paulo desceu, inclinou sobre- se sobre ele e, abraçando- o, disse: Não vos perturbeis, que há vida nele.

O rapaz morreu! (Atos 20: 9; Hb 9: 27; I Co 15: 51- 57; I Ts 4: 13- 17; Is 25: – 9; I Co 15: 58). A vida já havia se retirado do seu corpo quando Paulo o abraçou (Ec 12: 1- 7; Rm 5: 12; Gn 5: 5; Gn 6: 1- 3; Dt 34: 1- 7; Sl 90: 1- 10). Por que Paulo abraçou o jovem morto? A morte do rapaz punha por terra tudo que estava acontecendo no culto (Jo 10: 10a; I Rs 4: 8- 28; Is 61: 7; I Rs 4: 29- 37; Sl 60: 12; Sl 77: 13). Havia alegria, reconciliação, louvores, profecia, poder de Deus, palavra poderosa, e alegria no Espírito Santo (Jo 10: 10b; Ef 5: 18- 20; Sl 122: 1; Sl 133: 1). Satanás queria perturbar o culto e a mente dos irmãos (Nm 13: 17- 33; I Pd 5: 8; Sl 34: 7; I Jo 4: 4), e com isso desacreditar a pregação do apóstolo Paulo (Atos 14: 12; Atos 26: 13- 18; II Co 1: 21; II Co 3: 5; Gl 1: 11- 12; Atos 19: 13- 15). O poder de Deus estava em Paulo (Atos 1: 8; Is 44: 8). Quando Paulo abraçou o jovem Satanás foi envergonhado (Is 43: 13; Jó 42: 2). Pois maior era aquele que estava em Paulo (Atos 19: 11- 12; I Jo 4: 4; I Co 3: 16; Ef 1: 13). Em Paulo estava aquele que é maior do que a morte e o inferno (Gl 2: 20; Atos 18: 9- 10; Atos 23: 11; Ap 1: 17- 18). Com o jovem estava à morte (Rm 5: 12; I Co 15: 55- 56; Rm 5: 13- 21; Jo 11: 25- 26; Jo 14: 6; Rm 8: 1- 2; Jo 14: 12). O poder de Jesus, e a obra do Espírito Santo, têm objetivo (Mc 16: 15- 16; Atos 8: 29- 38; Atos 10: 29- 48; Atos 16: 6- 33). Deus não perde tempo fazendo sinais que não tem nada a ver com a sua misericórdia (Lm 3: 22; Lc 4: 18- 19; Mc 16: 17- 18) somente para agradar ás multidões (Gl 1: 10; I Ts 2: 4- 5; Ef 6: 6). Porque que estes mesmos que sopram, que jogam paletó sobre os crentes não faz os milagres que os discipulos de Cristo faziam? (Hb 2: 3- 4; I Co 12: 1- 7; I Co 14: 6- 19; II Co 11: 13- 15; I Jo 4: 1; Mt 24: 4- 5 e 24- 25).

Porque que estes realizam “os milagres do dente de ouro” não faz o paralitico andar (Atos 14: 8- 10; Atos 9: 32- 35), o mudo falar, e o surdo ouvir? (Is 35: 1- 8; Atos 8: 5- 8). Porque estes mesmos que são considerados homens de Deus por fazer estes sinais que nada edifica a igreja (), não ressuscitam os mortos?  (Atos 9: 36- 42; Mt 11: 4- 5). A igreja pegou o caminho das trevas (Jó 37: 19; Jr 2: 12- 13; Is 28: 15; Is 29: 13) e retrocedeu (Is 3: 12; I Co 13: 11; I Co 14: 20). A igreja não cresceu no conhecimento (Os 4: 6a; Os 6: 3; II Pd 3: 18). Como crescer no conhecimento? Aprendendo com a igreja primitiva (Jr 6: 16; Ap 2: 4; Jó 4: 7- 9; Sl 1: 1- 3).

Atos 20: 11— Então subiu de novo, partiu o pão e comeu. Ainda falou por longo tempo até o amanhecer. Depois, partiu.

Tudo concorria para que a noite de culto terminasse em uma tragédia: (Mc 13: 37; Jó 6- 7; Ef 4: 27; II Co 2: 11). O ato inconseqüente do jovem e a astucia de Satanás concorreram para a sua queda (Atos 20: 9; I Co 10: 12; Tg 1: 13- 15; II Pd 2: 20- 22; Mt 12: 43- 45a; Pv 23: 29- 35). Satanás estava em busca de uma oportunidade para bagunçar a cabeça dos irmãos com dúvidas e tirar a alegria do culto (Jo 1: 29; Mt 3: 13- 17; Mt 11: 1- 3; Lc 22: 31- 32 e 54- 62; Mt 11: 4- 11a). Por um momento ouve alegria no inferno e silencio na igreja (Lm 1: 15- 16; Lm 3: 29- 31; Sl 27: 14; Atos 16: 31). Mas Paulo tomado pelo Espírito da Vida (Rm 8: 11; Mq 3: 8a; Atos 13: 9) derrubou a morte como se derruba uma árvore seca (I Co 15: 55; Jó 40: 23; Ec 11: 3a; Jl 2: 23; Ec 11: 3b; Os 6: 3; Dt 20: 19) e rasgou o inferno como se rasga uma folha de papel (Jz 14: 1- 6; Jr 32: 27; Lc 1: 37). Paulo nem tomou conhecimento da morte, orou ao Senhor, ressuscitou o rapaz e subiu para o cenáculo e continuou o culto (Atos 9: 15; Ap 1: 17- 18; Mt 28: 18- 20). Se o culto já estava sendo maravilhoso; imagina depois desse milagre? (Is 29: 14; I Co 1: 19; I Co 2: 9). O mais interessante era que a santa ceia, ainda não tinha ocorrido: (Jo 13: 7; Atos 20: 7). A vida devolvida ao rapaz demonstrava que o pão vivo estava presente (Jo 6: 50- 51; Jo 11: 23; Jo 6: 48; Jo 10: 11; Jo 8: 12; Jo 10: 9; Jo 14: 6; Jo 15: 1). Aquele último dia do culto foi marcado por acontecimentos, que nos faz enxergar a presença de Jesus movimentando a igreja todo aquele dia (Mt 11: 1- 5; Is 35: 1- 8; Jo 11: 4- 5; Atos 19: 23; Atos 22: 1- 4; Atos 26: 9- 12; Atos 9: 1- 4; Atos 24: 10- 14; I Tm 1: 11- 14). Era o primeiro dia da semana; culto de despedida do apóstolo Paulo; noite de santa ceia; o poder caiu, o culto se alongou até a meia noite (Atos 20: 7); o rapaz caiu da janela e morreu (Atos 20: 9); Paulo ressuscitou o rapaz (Atos 20: 10). O culto que tinha tudo para ser um culto trágico, se transformou em uma noite de vigília, onde o Filho do Deus vivo ministrou a noite toda (Atos 20: 12). Realmente uma noite inesquecível; pra ficar na história (Is 25: 6- 9; I Co 15: 51- 52; Is 26: 19; Dn 12: 1- 2; I Ts 4: 13- 17; Ap 22: 12). Depois daquela noite maravilhosa, Paulo partiu pra nunca mais voltar (Atos 21: 8- 34; Atos 28: 30- 31; II Tm 4: 6- 8).

Atos 20: 12— Levaram o rapaz vivo e se sentiram grandemente consolados.

Paulo passou por Trôade e deixou a marca do poder de Deus (Mt 10: 1- 8; I Co 4: 20; Rm 15: 18- 19). Onde havia a morte o Senhor trouxe a vida (Is 35: 7; Is 58: 11; Is 54: 2- 3). Através da vida do apóstolo Paulo Jesus se manifestou em Trôade (Is 44: 8; II Co 4: 5- 10; Gl 2: 20). O Senhor se manifestou não com palavras, mas com poder (I Co 4: 20; II Co 3: 6; Jo 6: 63). Os sinais manifestados pelo o apóstolo Paulo não deixa nenhuma dúvida de que ele era um enviado do Senhor (Rm 15: 18- 19; Atos 13: 9- 12; Atos 14: 8- 12; Atos 16: 16- 18; Atos 19: 11- 12). Paulo não deixou os irmãos cheios de dente de ouro, ou andou derrubando alguns pelo sopro ou pelo paletó (I Tm 4: 1; Mt 7: 15; Atos 20: 28- 29). Paulo não deixou dúvida de seu ministério (II Co 2: 17; I Co 2: 1- 5; Jo 3: 29- 30). A cidade ficou com uma prova viva de que realmente um homem de Deus passou por lá (Atos 20: 10; II Co 3: 6; I Co 12: 1- 10; Hb 2: 3- 4). Êutico não foi mais mencionado na palavra de Deus, mas com certeza este rapaz ficou conhecido em toda aquela região (Nm 14: 21; Jo 3: 29- 30; Fp 2: 13). Provavelmente este rapaz passou a ser convidados pelas igrejas para dar testemunho daquilo que Jesus fez por ele (Sl 23: 1- 4; Sl 116: 3- 6; Lm 3: 29; I Ts 5: 17; Lc 18: 1- 8; Jr 33: 3). Satanás tinha determinado um fim para aquele rapaz (I Jo 5: 19; Tg 4: 4- 5; I Jo 2: 15- 17). Tristeza, dor, e saudade eram o que esperava aquela família (Jo 10: 10a; Lm 1: 16; Jo 15: 5), mas Jesus tinha outros planos para o rapaz (Jo 10: 10b; Is 44: 8). Aquele rapaz, que aos olhos de Satanás era a oportunidade que ele tinha para desacreditar o apóstolo Paulo e o poder de Deus, se transformou em umas das poucas testemunhas, de que igreja de Cristo continua ressuscitando os mortos (Lc 4: 18- 19; Atos 9: 36- 42; Co 15: 1- 9). Em Deus faremos proezas, e ele pisará os nossos inimigos (Sl 60: 12). Os teus caminhos, ó Deus, são santos. Que Deus é tão grande como o nosso Deus? (Sl 77: 13).

Paulo embarca em Assôs e chega a Mileto

 Atos 20: 13— Nós porem fomos, embarcamos e navegamos para Assôs, onde iríamos receber Paulo a bordo, porque ele assim nos tinha determinado, tendo preferido ir por terra.

Lucas e a equipe foram pelo mar (Sl 104: 25; Gn 1: 10; Jó 38: 8; Sl 98: 7; Sl 114: 1- 3; Ex 14: 15- 29; Js 3: 1- 17). Paulo tinha pressa e queria chegar o mais rápido a Jerusalém para a festa de Pentecoste (Atos 20: 16; Atos 2: 1- 4; I Co 12: 7- 10; Atos 2: 5- 12; Os 4: 6a; Ap 1:18; Atos 1: 4- 9; Sl 110: 1; Ef 4: 7- 8). Paulo se despediu de Carpo e dos irmãos de Trôade, mas não foi com Lucas e a equipe pelo mar, preferiu ir por terra até Assôs (Is 40: 31; Jr 10: 23- 24; Lm 3: 22; Sl 25: 6- 7; Is 54: 8- 13). Porque Paulo preferiu percorrer por terra mais o menos trinta quilometro de Trôade até Assôs, do que fazer a viagem com a equipe pelo mar? No mar tem peixe (Lc 5: 1- 6; Jo 21: 1- 11; Sl 104: 25), mas não tem os peixes que Jesus falou (Mt 4: 18- 19; Mc 1: 17; Lc 5: 1- 10). Quem você encontraria para evangelizar no meio do mar? (Jn 1: 1- 17; Gn 1: 26a; Nm 11: 5a). Os peixes que Jesus falou, na sua grande maioria estão em terra (Hc 1: 14a; Ez 47: 1- 10). Paulo sabia que a chance de ganhar alma para Cristo por terra era maior do que pelo mar (Pv 11: 30; Tg 5: 19- 20; Lc 14: 15- 23). Paulo vivia Cristo vinte quatro horas (Gl 2: 20; II Co 4: 7- 10; II Co 2: 14- 15). Falar de Jesus saciava o seu espírito (I Co 2: 2; II Co 10: 4- 5; Cl 2: 2- 3). Por isso o crente se sente bem quando está evangelizando (Mt 10: 32- 33; Mt 28: 18- 20; Ex 33: 14; Atos 18: 9- 10). Evangelizar faz bem, e edifica a vida do crente (Is 52: 7; Mc 16: 15; Rm 1: 16- 17). Era a ultima viagem de Paulo (Atos 20: 22- 23; Atos 21: 8- 14; Amós 3: 7; Atos 21: 17- 34). Paulo não perdia oportunidade de ganhar alma para Cristo (Atos 28: 30- 31; II Tm 2: 9; Fp 1: 22; Mq 2: 10a; Ed 10: 4). Paulo não perdeu o foco da missão nem quando o Espírito lhe dizia que a sua obra estava chegando ao fim (II Tm 4: 6- 8; Atos 28: 30- 31; Ap 2: 9- 10). Eu tenho uma missão, nós temos uma missão, você tem uma missão (Jo 15: 16; I Jo 4: 19; Jr 31: 3). A missão de levar Cristo até os confins da terra é minha, é sua, é nossa, é da igreja de Cristo (Mt 16: 13- 18; Is 58: 11- 12; Is 54: 2- 3). Está missão só não é sua se você não fizer parte da igreja de Cristo (I Co 2: 14; Ap 3: 20; Jo 10: 1- 23; Pv 3: 26).

Atos 20: 14— Quando nos alcançou em Assôs, o recebemos a bordo prosseguimos até Mitilene.

Depois de uma longa caminhada fortalecendo as igrejas e ganhando muitas almas para Cristo, Paulo chega a Assôs onde embarca até Mitilene. Paulo queria aproveitar o momento e usar cada segundo, minuto e hora de sua vida para testemunhar Cristo (I Co 2: 2; I Co 3: 10- 11; Sl 118: 20- 22; Is 28: 16; Mt 21: 33- 42; Atos 4: 12; Rm 11: 33; Ef 2: 19- 20; I Pd 2: 3- 10). Em Mitilene isso não foi possível (Jo 13: 7; Atos 21: 17- 34; Atos 23: 11; Atos 28: 11- 14). Chegaram à noite e seguiram viagem na manhã do dia seguinte. O tempo era curto, o dia pentecoste estava chegando, e antes de seguir para Jerusalém Paulo iria despedir- se dos anciãos de Éfeso (Is 34: 16; Atos 18: 12- 21; Atos 19: 23- 31; Atos 20: 16- 17; Ef 2: 11- 18; Atos 2: 37- 39; Ef 1: 13). Todos os dias e todas as noites aqueles irmãos que faziam parte da equipe de Paulo (Atos 20: 4; Atos 13: 1- 5 e 13; Atos 15: 36- 40; Atos 16: 1- 3; Atos 18: 1- 3; Atos 19: 29) se alegravam ao ouvir Paulo falar de Cristo com tanta ciência e sabedoria (Ef 3: 8- 10; I Co 2: 6- 7; Cl 2: 2- 3; I Co 1: 18- 24; I Co 2: 1- 5; I Co 3: 10- 17; Rm 5: 1- 21; I Co 15: 1- 57), mas ao mesmo tempo temiam em perder o seu grande líder (Rm 11: 13; Gl 2: 8; II Co 1: 21; II Co 3: 5; Gl 1: 11- 12). Paulo era como pai para aqueles obreiros que o acompanhavam (I Co 4: 14- 15; I Ts 2: 11; II Co 10: 4- 5). Muitos deles eram realmente seus filhos na fé (I Tm 1: 2; Atos 18: 7- 8; I Co 1: 14). Todos eles eram dotados de dons ministeriais e espirituais: Entre eles havia profetas (Atos 15: 31- 32; Amós 3: 7; Nm 12: 6; Jó 33: 15), evangelistas (II Tm 4: 1- 5; II Tm 1: 6; Rm 1: 16- 17), pregadores eloqüentes (Ef 6: 21; Sl 45: 1; Ec 12: 10- 11). Sem contar que Paulo e Silas também louvavam. E quando eles louvavam; coisas aconteciam (Atos 26: 25- 26). A equipe era completa (I Co 1: 7). Todos foram escolhidos a dedo pelo mesmo que escolheu Paulo (Jo 15: 16). O Espírito Santo colocava no caminho do apóstolo Paulo aqueles que deveriam fazer parte de sua equipe (Atos 15: 22 e 36- 40; Atos 16: 1- 3; Atos 18: 1- 3 e 24- 26). O Espírito Santo era o líder da equipe, e era ele quem estava conduzindo Paulo até Jerusalém (Atos 23: 11; Atos 21: 8- 13; Atos 20: 22- 23).

Atos 20: 15— No dia seguinte, navegando dali, passamos diante de Quios; no outro dia, aportamos em Samos e, um dia depois, chegamos a Mileto.

Bem cedo Paulo e sua equipe parte pelo mar em direção a Mileto onde iria ter um rápido encontro com os anciãos de Éfeso (Atos 20: 17; I Sm 15: 30- 31; Pv 30: 10- 23). Antes de chegar a Mileto Paulo e sua equipe chegaram a Samos onde o barco atracou e eles passaram a noite (Gn 1: 5; Jo 11: 9- 10; Jó 7: 4; Jó 35: 10; Jó 33: 14- 15; Atos 16: 9- 10). No dia seguinte o barco partiu levando Paulo e sua equipe em direção a Mileto. Propositalmente, o grupo não desembarcou em Éfeso para não se demorarem (Atos 20: 16; Atos 19: 23- 31; Rm 8: 36). O coração de Paulo ardia de desejo de chegar a Jerusalém (Sl 137: 5- 6; Sl 122: 6; Is 52: 1). Paulo não tinha certeza o que iria acontecer quando lá chegasse (Atos 20: 22; Dt 29: 29), mas estava alegre por passar as festas de pentecostes em Jerusalém (Atos 20: 16; I Co 16: 8; Atos 18: 18- 22). A festa de pentecostes era festa da colheita (Ex 23: 14- 16; Dt 16: 9; Jo 4: 35). Paulo sonhava com está festa (Atos 2: 1- 41; Atos 4: 4). Paulo sempre soube que o seu chamado era para iluminar os gentios (Atos 13: 47; Is 49: 5- 6; Rm 11: 13), mas ele também tinha uma promessa de que um dia também testemunharia em Jerusalém (Atos 23: 11). Paulo sentia no seu coração que tempos difíceis viriam pela frente (Atos 20: 22- 23; Atos 21: 8- 14). Lutas e provas, o esperava (Atos 9: 16; II Tm 3: 12; Atos 21- 13). Você pode perguntar: Mais? O descanso dos servos de Cristo não é aqui (Mq 2: 10a; Ed 10: 4; I Co 15: 58). Ser filho de Deus é uma escolha do homem (Rm 10: 8- 13; Rm 8: 15- 17), mas servo de Cristo quem escolhe é o próprio Cristo (Jo 15: 16; I Co 9: 16). Paulo foi escolhido por Cristo (Atos 9: 1- 15; I Tm 1: 12- 14) e cumpriu bem o seu ministério (II Tm 4: 6- 8; Atos 28: 30- 31). Paulo desembarca na praia em mileto onde ele faz a sua ultima pregação para seus queridos irmãos de Éfeso (Sl 1: 1- 2; Atos 19: 23- 31; Ef 1: 3- 7; Ef 2: 1- 8; Ef 3: 1- 6; Rm 8: 14- 17).

Atos 20: 16— Paulo decidiu não aportar em Éfeso, para não se demorar na Ásia, porque tinha pressa em chegar a Jerusalém, para, se possível, passar lá o dia de pentecostes.

 A pressa de Paulo em chegar a Jerusalém foi o motivo pelo o qual ele mandou chamar os anciãos de Éfeso até a praia de Mileto (Atos 20: 17). Mas isso não combina com fato de ele ter ido por terra de Trôade até Assôs (Atos 20: 7- 13). Acredito que alem da pressa para chegar a Jerusalém no dia de pentecostes, Paulo foi prudente não indo até Éfeso (Pv 22: 3; Pv 13: 16; Pv 14: 15; Pv 16: 21). Paulo tinha se tornado um terror para os fabricantes de imagens de Éfeso (Atos 19: 23- 25; Atos 17: 29; Atos 19: 26; Is 40: 18- 20; Jz 17: 1- 4). Os anos que Paulo passou pregando e ensinando em Éfeso muitos idólatras, feiticeiros e mágicos se converteram a Cristo (Atos 19: 8- 20; I Co 4: 20; I Co 2: 2; I Co 1: 18; I Co 3: 10- 11). Uma grande e populosa igreja havia surgido em Éfeso (Ap 2: 1; Ap 1: 9- 16; Sl 149: 6; Hb 4: 12; Ef 6: 12- 17; Lc 4: 1- 12). Paulo colecionou muitos inimigos na cidade (Atos 9: 16; Jo 15: 21; II Tm 3: 12). Além de ter, como inimigos os comerciantes mais influentes da cidade (Atos 19: 26- 28; Sl 115: 2- 7; Sl 135: 15- 18; Is 43: 8; Is 2: 18; I Co 10: 14; I Jo 5: 21), ele também não tinha um bom relacionamento com os judeus da cidade (Atos 19: 1- 9 e 32- 34; Fp 3: 18; Atos 9: 22- 23; Atos 14: 19; Rm 8: 36). Éfeso era uma cidade muito perigosa para Paulo e nela ele tinha sentença de morte (II Co 1: 8- 9; Atos 19: 23- 31; Rm 11: 36). Paulo acreditava que poderia ser possível passar o dia de pentecostes em Jerusalém (Atos 20: 22; Pv 16: 1; Tg 4: 13- 15). De fato ele passou o dia de pentecoste em Jerusalém (Atos 21: 27), mas, não do jeito que ele pretendia (Atos 21: 28- 34; Atos 21: 8- 11; Amós 3: 7; Atos 11: 27- 28). Porque o ministério de Paulo foi tão atribulado? Porque ele era inimigo da mentira (Jo 8: 44b; Jo 15: 18- 21; Atos 9: 10- 16) e íntimo da Verdade (Jo 14: 6; Jo 16: 7- 13; II Co 13: 8; II Tm 3: 12).

O discurso de Paulo aos anciãos da igreja de Éfeso

Atos 20: 17—De Mileto mandou chamar os anciãos de Éfeso.

Observamos que Paulo mandou chamar somente os anciãos da igreja. Quem era os anciãos da igreja? Os anciãos da igreja eram os mais velhos de idade (I Tm 3: 1- 5; Sl 128: 1- 4; Ed 3: 10- 13) e de igreja (I Tm 3: 6; Is 14: 11- 14; Ez 28: 13- 15; Ap 12: 7- 9; Mc 13: 37; Ef 4: 27; I Pd 5- 8; Mt 16: 20- 23). Eram eles que ocupavam o os principais ministérios da igreja (Atos 20: 28; Ef 4: 1- 14; Ef 6: 10- 11; Ap 2: 1- 2; Atos 20: 29- 30; Ap 2: 4; Atos 20: 37; Mt 24: 12). Os mais antigos foram os responsáveis pelo fortalecimento da igreja (Atos 18: 24- 26; Rm 16: 3- 16; Atos 18: 18- 21). Foram eles os que deram continuidade no trabalho que o apóstolo Paulo havia começado (Ef 1: 3- 18; Ef 4: 1- 4; Rm 12: 4- 8). Os crentes nesse tempo não desistiam com facilidade (Rm 12: 11- 12; Atos 1: 14; Atos 3: 1; Atos 12: 5 e 11- 12; I Ts 5: 17; Lc 18: 1- 8). Eles eram como vara verde, envergava mais não quebrava (Lc 23: 29- 31; Pv 11: 31; I Pd 4: 18). O relacionamento dos crentes naquele tempo era muito profundo (Atos 4: 34- 35; Atos 2: 44- 47). O coração de um, com o outro, se fundiram e tornaram um só (Atos 4: 32; Sl 133: 1- 3; Sl 122: 1; Hb 10: 25). A comunhão era verdadeira e o amor não estava nas emoções, mas sim nos corações (Atos 20: 36- 37; I Jo 3: 18; Rm 12: 9; Ez 33: 31). A amizade entre os irmãos permaneciam (Tg 4: 7; Mt 5: 38- 48; Rm 12: 17- 18). Havia divergências (Atos 15: 36- 38; Atos 13: 13), discutição e até separação (Atos 15: 39- 40; Gn 13: 1- 11), mas havia o perdão (Mt 6: 14- 15; Hb 12: 15) e a obra continuava (II Tm 4: 11; Cl 4: 7- 12; Fm 24; Atos 12: 11- 12). O olhar da igreja primitiva era para cima (Sl 34: 5; Hb 12: 1- 2; Sl 110: 1; Atos 7: 55- 56; Sl 94: 9). Os pensamentos dos irmãos primitivos estavam nas coisas de cima (Cl 3: 2- 4; Ef 1: 18- 20; Fp 3: 4- 8). O crente da igreja primitiva seguiu o conselho de Jesus: “Buscou as coisas de cima a vida toda” (Mt 6: 25- 33; Cl 3: 1; Cl 2: 2- 3).

Atos 20: 18— Quando se encontraram com ele, disse- lhes: Vós bem sabeis como foi minha conduta entre vós em todo tempo, desde o primeiro dia em que entrei na Ásia.

Os anciãos de Éfeso que ocupavam o presbitério da igreja pensavam que ao encontrar com o apóstolo Paulo em Mileto fossem ouvir uma mensagem profética com muito conhecimento e sabedoria (Ef 3: 1- 10; Ef 2: 1- 22; Ef 4: 17- 32; Ef 5: 1- 17; Ef 6: 10- 19). Quando foram informados que Paulo estava em Mileto e os chamavam eles preparam o espírito para se embriagar com o Espírito Santo (Ef 5: 18- 20; Atos 20: 6- 12; I Co 4: 20; II Co 3: 6; Jo 6: 63). Mas se enganaram (Is 55: 8; Sl 94: 11; Sl 139: 2). Aquilo que eles iriam ouvir da boca do apóstolo Paulo eles nunca gostariam de ter ouvido (Atos 20: 29- 37; Is 61: 1- 3; Zc 9: 12). O tom das palavras do apóstolo Paulo já dava o sentido de uma despedida (I Co 2: 15; Pv 15: 23; Pv 25: 11). Quando chegaram, Paulo olhou no olho de cada um deles e começou o seu discurso: Durante os anos que Paulo pregou e ensinou em Éfeso (Atos 18: 18- 21; Atos 19: 1- 10) a marca da sua pregação e ensino era Cristo (Ef 3: 8- 10; Ef 4: 7- 12; Ef 5: 1-2), e o Espírito Santo (Ef 1: 3- 14; Ef 4: 1- 4; Ef 6: 17- 18). Aqueles homens que ali se encontravam aprenderam com o apóstolo Paulo tudo que eles precisavam saber sobre Cristo e sobre o Espírito Santo (Ef 1: 3- 13; Ef 4: 1- 16; I Co 12: 1- 11). A palavra que Paulo pregava por si só o justificava, mas só isso para ele não bastava (Mt 5: 13- 16; Ef 5: 1; I Co 11: 1). Paulo não só pregava e ensinava sobre Cristo e o Espírito Santo como ela carregava dentro do seu coração a presença viva de Cristo e do Espírito Santo (Jo 14: 23; Gl 2: 20; II Co 4: 6- 10). Paulo sabia que os irmãos de Éfeso jamais haviam duvidado do seu ministério (Rm 15: 18- 19; Atos 19: 11- 20; Atos 1: 8). A conduta de Paulo não só justificava a sua pregação e os seus ensinos em Éfeso (Atos 20: 1- 9), como justificava a sua vida em todas as cidades da Ásia menor onde ele pregou e ensinou (Atos 19: 10 e 26; II Tm 1: 15; Jo 15: 20- 21; Jo 6: 60- 66).

Atos 20: 19— Servi ao Senhor com toda humildade, e com lagrimas, e em meio a provações que me sobrevieram, pelas ciladas dos judeus.

Paulo era servo de Cristo (Rm 1: 1; I Tm 1: 12- 13; Jo 15: 16; Atos 9: 1- 15; II Co 1: 21; Gl 1: 11- 12). Paulo servia ao Senhor com humildade (II Co 4: 6- 7; Gl 1: 13- 16; I Co 9: 16- 17; Lc 17: 5- 10). Como saber se aquilo que Paulo estava falando era verdade? A sua dedicação a igreja e o seu amor a obra mostravam isso (II Co 11: 2- 28; II Co 12: 11- 15; Fp 1: 21- 24). Veja no texto o que Paulo diz: “Servi ao Senhor com humildade”. Isto significa que existe servo que não serve ao Senhor com humildade (I Co 8: 2; Mt 5: 38- 41; I Pd 5: 6). Quais são estes? São que aqueles que estão a serviço da igreja, mas não são humildes na sua conduta (Fp 1: 12- 18; Jo 3: 30- 31; Is 14: 13- 15). Onde não há humildade na conduta, não há o amor de Deus (Is 14: 11; Amós 5: 21- 23; Jl 2: 13). O amor que Paulo tinha pela igreja e pelas ovelhas (II Co 12: 14- 15) demonstravam a presença do Deus verdadeiro em sua vida (I Jo 4: 8; Jo 15: 9- 14). Com lagrimas: Aquele que leva a preciosa semente andando e chorando (Sl 126: 6a; Atos 14: 12), voltará com cânticos de alegria, trazendo consigo os seus molhos (Sl 126: 6b; Atos 20: 37- 38). É com lagrimas que se prega o verdadeiro evangelho (II Co 2: 4a; Atos 20: 31; Sl 6: 6). A porta é estreita (Mt 7: 13- 14; Lc 14: 33; Lc 9: 57- 62; Hb 10: 38- 39). Todos que desejam viver e pregar o verdadeiro evangelho padecerá perseguições (II Tm 3: 12; Jo 15: 21; Atos 4: 12- 13). São com muitas tribulações que se alcança o reino de Deus (Atos 14: 22; I Co 10: 13; Tg 1: 13- 14).  Paulo fala de suas provações: Provações estas sofrida na Ásia por causa dos judeus (II Co 1: 8; Atos 19: 23- 31). Os judeus tinham como objetivo matar o Apóstolo Paulo (Atos 9: 22- 24 e 26- 29; Rm 8: 36). Depois de Jesus, o apóstolo Paulo foi o que mais incomodou os judeus (Mq 3: 8; Atos 23: 12- 21; Gl 1: 13- 24). Paulo traduziu a linguagem espiritual do evangelho (Jo 5: 39; Is 34: 16)´. Paulo demonstrava dentro das escrituras que Jesus era Cristo do qual os profetas falaram (Atos 17: 1- 3; II Pd 3: 15- 18; Ef 3: 1- 10).

Atos 20: 20— Jamais deixei de vos anunciar e ensinar, em publico e nas casas, qualquer coisa que fosse proveitosa.

Paulo foi um grande pregador (Atos 14: 12; I Co 2: 4; I Co 4: 20), e um exemplo a ser seguido (I Co 11: 1; Atos 21: 13b); II Tm 4: 6- 7). Assim como ele foi uma grande testemunha de Cristo (Is 44: 8; Is 49: 5- 6; Atos 13: 44- 47; Atos 26: 13- 18) deveriam ser todos aqueles que são chamados para o evangelho (Jo 15: 16; Mc 16: 15; Rm 1: 16- 17). Desde o momento em que Paulo entendeu o chamado (Gl 1: 13- 16; Atos 9: 17- 18) e que o chamado era para anunciar a salvação através do Cristo crucificado (I Co 2: 2; I Co 1: 18; Ef 2: 11- 16; Cl 2: 8- 15) ele não parou mais (Atos 9: 19- 22; Atos 17: 1- 3; Atos 18: 1- 4). Paulo não foi somente um grande evangelista (Rm 1: 16- 17; I Co 2: 1- 5; I Co 3: 10- 17), mas ele também foi o maior mestre que a igreja gentílica teve (I Tm 2: 1- 7; Atos 20: 7- 11; Tg 3: 1; Lc 12: 42- 48). Paulo ensinava a palavra de Deus (Rm 10: 8; Dt 30: 11- 14; Rm 10: 9- 13; Jo 11: 40; Atos 16: 31). A palavra de Deus é a fusão do Velho Testamento e o Novo Testamento: Os dois juntos formam a Bíblia que nós temos (Js 1: 8; Sl 119: 11; Hb 8: 10- 13; Is 54: 13; Is 48: 17; Jo 14: 26). A bíblia é de Genesis e Apocalipse (Ap 1: 8; Jo 1: 1- 2; Gn 1: 26; Gn 3: 22; Is 6: 1- 8).

Ela tem tudo que você precisa, e nela você pode falar e ensinar sobre qualquer coisa (Is 34: 16; II Tm 3: 16). Mas Paulo não procedeu assim (Atos 20: 24; Ef 2: 1- 8). Paulo se dedicou a ensinar sobre o plano de salvação (Rm 1: 16; Rm 10: 10; Rm 11: 11- 13; Rm 13: 11; Ef 1: 13; Ef 6: 17). Plano de salvação que Deus cumpriu em Jesus (Jo 19: 17- 30; Is 53: 7- 12; Ap 5: 6- 9) conforme escreveu os profetas do antigo testamento (Atos 17: 1- 3; Atos 2: 25- 36; Aos 3: 23- 26). Procure Jesus na Bíblia (Mt 28: 18- 20; Atos 18: 9- 10; Atos 23: 11); e com certeza você vai crescer muito na graça e no conhecimento (II Pd 3: 15- 18; Cl 2: 2- 3; Ef 3: 8- 10). A ousadia era a marca da unção que estava sobre Paulo (II Co 2: 12- 17; I Co 2: 4- 5; II Co 4: 6- 7). Paulo não se envergonhava de Jesus (Rm 1: 16; Mt 10: 32- 33). Paulo falava de Jesus Cristo nas ruas (Lc 14: 15- 23), nas praças (Atos 17: 16- 17), nas casas (Atos 16: 13- 15); em tempo e fora de tempo (II Tm 4: 2). Paulo não ficava jogando conversa fora (Pv 14: 23; Pv 17: 27). A palavra tem que servir para edificar a casa na Rocha (I Co 3: 10- 17; Mt 7: 24- 27). Se a palavra pregada não servir para edificar a vida do crente em Cristo Jesus (Jo 3: 16; I Co 2: 1- 5; II Co 10: 4- 5); então ela não serve para mais nada (Mc 8: 36- 37; Mt 6: 19- 21; Jr 17: 9).

Atos 20: 21— Testifiquei tanto a judeus como a gregos, o arrependimento para com Deus e a fé em nosso Senhor Jesus.

Paulo testificou de quem; dele? Não (I Co 2: 2; Jo 3: 30; Is 42: 8a). Por onde ele passou, ele testificou do poder de Deus (Rm 15: 18- 19; Atos 13: 9- 11; Atos 14: 8- 10; Atos 16: 16- 18 e 25- 26; Atos 19: 11- 12; Atos 20: 7- 12). Não tem como desfrutar do poder de Deus sem usar o nome de Jesus (I Co 12: 3- 11; Ef 4: 7- 12; Cl 2: 2- 3; Ef 3: 8- 10). Jesus representa o poder de Deus (I Co 1: 18- 24; Gl 3: 1- 28). Jesus é o poder de Deus que se manifesta através do Espírito Santo (Jo 14: 21- 26; Ef 4: 1- 8; Ef 2: 1- 22). Onde Jesus está presente (Mt 18: 20; Lc 24: 13- 32; Atos 16: 25- 26; Atos 18: 9- 10), o poder de Deus se manifesta (Atos 1: 8; Ef 1: 13; I Co 3: 16). Paulo pregou e ensinou sobre a necessidade do arrependimento (Rm 2: 14- 16; Lc 3: 1- 8; Rm 2: 17- 29; II Co 3: 3- 8). Como o crente pode desfrutar do Espírito Santo e do poder de Deus, se ele ainda não se arrependeu da sua natureza velha? (Hb 12: 1- 2; II Co 5: 17; Fp 3: 13- 14). A natureza adâmica (I Co 15: 45- 50) não pode experimentar o Espírito Santo (Rm 5: 12; Gn 3: 1- 19). Por quê? Os mortos não louvam a Deus (Sl 115: 17; Is 38: 18- 19). O arrependimento é um sinal de quebrantamento (Sl 51: 17; Atos 2: 37- 39; Atos 4: 8- 31). E, quebrantamento é um sinal de vida (Ef 2: 1- 9; Mt 1: 28- 30; Ap 3: 20; Pv 23: 26; Jo 10: 1- 2). Têm muitos dentro da igreja que estão preferindo ir para o inferno a arrepender- se (Ez 33: 11; II Pd 3: 9; Atos 7: 51; Jo 8: 43). Estão ensinando o crente a colocar a sua fé onde? Tem vários caminhos dentro da Bíblia, e o crente é livre pra pegar qualquer um deles (Pv 14: 12; Dt 30: 14- 15). Entre estes vários caminhos só existe um que nos coloca na presença do único Deus (Jo 14: 6; Jo 10: 9; Hb 10: 19- 21; Hb 4: 7- 16). Na Bíblia você vai encontrar motivação para conquistar riquezas (Ag 2: 8; II Tm 6: 9- 10; Lc 12: 13- 21), pessoas (II Tm 3: 1- 9), glória e honra diante dos homens (Atos 12: 21- 22; Is 42: 8a). “Que aproveita o homem ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma”? (Mc 8: 36). A fé no Senhor Jesus Cristo não é para coisas pequenas e destrutivas (Atos 20: 30; Ap 2: 5- 6; Tg 4: 4- 5; II Co 5: 7; II Co 4: 18; Rm 5: 1- 11; Jo 3: 16; Jo 11: 25- 26).

Atos 20: 22— Agora constrangido em meu espírito; vou para Jerusalém, sem saber o que me acontecerá ali,

Paulo sentia em seu coração uma profunda tristeza, pois sabia que estava sendo levado para um caminho que ainda não havia andado (Jo 21: 18; Is 43: 13; Jó 9: 11- 12; I Co 9: 16). Até na morte o ministério de Paulo foi semelhante ao ministério de Pedro (Gl 2: 8; Jo 21: 19; Atos 20: 11; Atos 28: 30- 31; II Tm 4: 6- 8). Pedro impôs as mãos sobre alguns samaritanos e o Espírito Santo veio sobre eles (Atos 8: 14- 17; II Rs 17: 24- 41; Mt 10: 5; Jl 2: 28a) Paulo impôs as mãos sobre alguns discípulos que estavam fora do Caminho (Atos 19: 1- 5 e 7), o Espírito Santo também veio sobre eles (Atos 19: 6; Atos 13: 47; Is 49: 5- 6). Pedro fez um paralitico andar (Atos 9: 32- 35), Paulo também fez (Atos 14: 8- 10). Pedro ressuscitou uma discípula (Atos 9: 36- 42), Paulo ressuscitou um jovem discípulo (Atos 20: 7- 12). Porque Paulo não fez o mesmo sinal que Pedro fez na casa de Cornélio? (Atos 10: 1- 44). Por que o que ocorreu na casa de Cornélio foi semelhante o que ocorreu em Jerusalém no dia de pentecoste? (Atos 2: 1-4). Na casa de Cornélio e em Jerusalém foram eventos únicos (Atos 11: 15a; Atos 10: 44; Atos 11: 15b; Atos 2: 1- 4; Atos 10: 45- 46; Atos 11: 16; Atos 1: 4- 5; Atos 11: 17; Atos 10: 47; Ef 1: 13; Atos 8: 36- 38). Em Jerusalém e na casa de Cornélio o Espírito Santo veio pela as mãos de Deus (Os 6: 3; Jl 2: 23; Ez 36: 25- 27; II Co 3: 3; Ef 1: 13) e não pelas mãos de homens (Ez 39: 29; Jl 2: 28- 29; Atos 2: 39; Atos 10: 1-43; Atos 2: 38- 39). Paulo iria, mas não tinha a certeza se passaria o dia de pentecostes em Jerusalém (Atos 20: 16). Por que ele não tinha a certeza que passaria o dia de pentecostes em Jerusalém? Por que ele tinha dúvidas se estaria vivo nesse dia (Atos 20: 23- 25; Atos 21: 8- 13; Atos 23: 11).

Atos 20: 23— Senão que, de cidade e cidade, o Espírito Santo me assegura que me esperam prisões e sofrimentos.

Jesus não desampara os seus escolhidos (Mt 28: 18- 20; Atos 18: 9- 10; Atos 23: 11). Aquele que ele chama ele capacita (Atos 19: 11- 12; II Co 3: 5; Atos 19: 13- 16). Deus capacita os seus ungidos (II Co 1: 21; I Sm 10: 1- 7; Jr 20: 11) até para entender o momento em que a carreira já está no final (Atos 20: 25; II Tm 4: 6- 7). Paulo andava com o Senhor Jesus (Atos 9: 1- 15; Gl 2: 20; II Co 4: 6- 7; I Co 2: 1- 5) e tinha intimidade com o Espírito Santo (Atos 13: 9- 11; Atos 1: 8; I Co 4: 20; II Co 3: 6). O Espírito Santo é Deus (Jo 4: 24; Ef 2: 11- 22; II Co 6: 16). O Espírito Santo habita dentro daqueles que crê no Senhor Jesus (Ef 1: 13; I Co 3: 16; I Co 6: 19- 20). Paulo era homem como qualquer um de nós, a diferença era a intimidade que ele tinha com aquele que lhe habitava (Atos 16: 6- 10; Tg 5: 17; I Jo 4: 4). Ter intimidade com o Espírito Santo é o que Deus quer de cada um de nós (Rm 8: 27; Jo 14: 26; Rm 8: 14; Jo 16: 12- 13). Quanto mais nós nos apartamos do mundo (Jo 15: 19; Tg 4: 4- 5; I Jo 2: 15- 17) e dos desejos da carne (Rm 8: 1; Gl 5: 16- 17; Tg 1: 13- 15) mais nós temos do Espírito Santo (Ef 5: 18; Jó 40: 23; Sl 45: 1). A santificação enche o crente do Espírito Santo (Hb 12: 14; Rm 6: 19- 22; I Ts 4: 3- 7). Por isso a palavra de Deus pede santidade (I Pd 1: 16; Nm 20: 7 e 23- 24; Sl 93: 5; I Co 3: 16). Paulo não se misturava e nunca se apartou daquele primeiro encontro (Atos 9: 1- 15; Gl 1: 13- 16; Atos 26: 9- 19). A vida com Cristo lhe fez compreender a vontade do Senhor para a sua vida (Gl 2: 20; Jo 14: 21). E, durante a sua viagem para Jerusalém Paulo foi entendendo através das revelações (Jl 2: 28- 29; Amós 3: 7) que Deus tinha outros planos para sua vida (Atos 23: 11). Paulo não sabia o que iria acontecer (Atos 20: 22), mas sabia que prisões e sofrimentos o esperavam em Jerusalém (II Tm 3: 12; Atos 21: 8- 13). Paulo não deu descanso a sua carne, não esteve a mercê do mundo, viveu para Cristo e morreu por causa de Cristo (II Tm 4: 6; Sl 116: 15; Jo 16: 1- 2). Quer ter a mesma intimidade que Paulo teve com o Espírito Santo? Faça como Paulo: Viva para Cristo, e se possível morra por causa de Cristo (Fp 3: 17; I Co 11: 1; I Ts 1: 5- 6).

Atos 20: 24— Porem em nada considero a vida preciosa para mim mesmo, contanto que complete a minha carreira e o ministério que recebi do Senhor Jesus, de testemunhar do evangelho da graça de Deus.

Paulo estava correndo atrás do eterno (Rm 8: 18; II Co 12: 2- 4; Ap 22: 1- 6). O crente pode, ou melhor, dependendo do plano de Deus ele pode usar a palavra de Deus e conquistar riquezas aqui neste mundo (Sl 115: 16; Ag 2: 8; Pv 14: 12). Mas aquilo que é benção não pode virar maldição (Jr 2: 13- 14; II Tm 6: 9- 10; II Pd 2: 19b). A riqueza na vida do crente não serve para que ele venha se diferente dos outros irmãos (Tg 2: 1- 4; Dt 10: 17; Aos 10: 34), mas sim para provar a sua fidelidade para com Deus (I Tm 6: 17- 19; Jó 34: 16- 19). A vida de Paulo, para ele tinha menos valor do que a obra que ele estava fazendo (Mt 13: 44- 46; Cl 2: 2- 3; Ef 3: 1- 10; I Co 2: 6- 7). Paulo não esperava Cristo só como auxilio para este mundo (I Co 15: 19; Mt 6: 25- 33).  Por trás daquilo que Cristo pode oferecer como benefício para este mundo (Jo 6: 1- 13; Lc 4: 4) encontra-se algo maior (II Co 4: 18; I Co 2: 9; Jr 33: 3). Paulo foi um dos maiores beneficiado pela graça (I Tm 1: 12- 15; Rm 3: 10; Ef 2: 1- 8), pois perseguiu a igreja (Atos 22: 1- 4; Atos 26: 9- 11; Atos 9: 1- 4; Atos 24: 14; Is 35: 1- 8; Atos 9: 5- 15). Paulo foi resgatado por Cristo, ou seja, foi comprado por Cristo (Cl 2: 4- 15; Gn 3: 1- 15; Is 6: 14; Lc 1: 31- 35; Hb 10: 15; Lc 2: 1- 11; Jo 4: 25; Ap 3: 20; Jo 4: 26; Jo 10: 1- 2; Pv 23: 26). Eu, você, nós fomos comprado por Cristo (Is 53: 1- 12; Jo 19: 17- 30; Ap 5: 6- 9; Rm 10: 8- 13). Antes nós éramos servos do pecado (Jo 16: 7- 8; Jo 8: 7, 24, 34; I Jo 3: 8), mas agora somos servos de Cristo (Jo 8: 35- 36; Rm 6: 1- 6; I Jo 2: 1- 2; Hb 10: 19- 21; Hb 4: 13- 15).

Antes nós pertencíamos ao príncipe deste mundo (Ef 2: 1- 3; I Jo 5: 19; Tg 4: 4- 5; I Co 3: 16), mas agora nós pertencemos a Deus (I Pd 2: 3- 10; I Jo 3: 9; Jo 1: 1- 13; I Jo 3: 2- 3; I Pd 1: 16).  Paulo pertencia ao Senhor Jesus (Jo 15: 16; I Co 9: 16; Gl 1: 13- 16; Is 49: 5- 6; Atos 13: 47) e tinha uma carreira a cumprir (I Co 4: 9- 13; I Co 9: 13- 16; II Co 12: 11- 15; II Co 9: 1- 5; II Co 8: 1- 4; II Co 9: 7). Eu, você, nós temos uma carreira a cumprir (Ef 4: 1; Mt 25: 14- 15; Ef 4: 8; I Co 12: 4- 5; Ef 4 : 10- 11; I Co 12: 6- 11; Ed 10: 4; Fp 2: 13). Paulo recebeu do Senhor Jesus um ministério (Gl 1: 11- 12; Atos 9: 1- 17; Atos 13: 1- 4; Mt 3: 13- 15; Mt 5: 14). O mistério que Paulo recebeu foi um ministério glorioso (II Co 3: 6- 8; II Co 5: 11- 20; Atos 16: 31). Cheio de conhecimento (Ef 3: 1- 10; Cl 2: 2- 3; I Co 1: 18- 24; I Co 3: 10- 17), revelação (I Co 2: 6- 16; Cl 4- 18; Ef 2: 11- 22) e poder (Rm 15: 18- 19; Atos 19: 11- 12; Atos 20: 7- 12; Atos 16: 16- 18; Atos 14: 8- 12; Atos 9: 9- 12). Paulo abraçou, amou até a morte aquilo que Jesus lhe entregou sob sua responsabilidade (Rm 8: 35- 39; Mt 25: 14- 28; Lc 17: 5- 10). Paulo era uma testemunha das boas novas do Reino de Deus (Is 52: 7; Na 1: 15; Rm 10: 15). Foi chamado para trazer luz para aqueles que estavam em trevas (Atos 26: 13- 18; Atos 13: 47; II Co 4: 3- 4). Como ele fez isso? Pregando o evangelho do Senhor Jesus Cristo (Rm 1: 16- 17; Mt 24: 14; II Tm 4: 6- 8). Eu, você, nós fomos chamados para pregar o evangelho de Cristo (Mc 16: 15; Mt 10: 32- 33; Mc 8: 35; II Tm 4: 2).

Atos 20: 25— Agora sei que nenhum de vós, entre ao quais passei pregando o reino verá mais o meu rosto.

Paulo tinha certeza do que estava falando (Atos 28: 30- 31; II Tm 4: 6- 8; Rm 8: 31- 39). Paulo tinha conhecimento do seu futuro e revelação profética (Atos 20: 22- 23; Atos 21: 8- 13). O relacionamento que Paulo tinha com Senhor Jesus não foi especifica para o apóstolo Paulo (Sl 25: 14; I Co 2: 9; Jr 33: 3). Vida do apóstolo Paulo está neste livro para servir de exemplo a ser seguido por todos que desejam uma vida sob o comando total do Senhor Jesus (I Co 11: 1; Atos 20: 24; II Tm 4: 6). Quem tem a vida debaixo do comando do Senhor Jesus certamente é guiado pelo Espírito Santo (Jo 14: 23; Jo 16: 7- 13; Rm 8: 14). Paulo tinha intimidade com Espírito Santo, porque ele deixou ser guiado por ele (Atos 16: 6- 7; Jo 14: 26; Is 48: 17; Atos 16: 8- 33; Mt 28: 19). A dificuldade de entender o Espírito Santo não está na palavra de Deus (Is 55: 11; Jo 11: 40), também não está no Espírito Santo (Ap 22: 17- 20; I Pd 1: 19- 21). O Espírito Santo está disponível para todos os crentes no Senhor Jesus (Ef 1: 13; Atos 5: 32; I Co 3: 16); portanto ele também não é difícil de entende – lo (II Co 3: 3; Rm 2: 14- 15; Ef 5: 8). Então onde está o problema? O problema está no próprio crente (Os 4: 6a; Os 6: 3; II Pd 3: 18). O crente pode ter se convertido dos seus pecados, se arrependido de sua natureza velha, mas se ele não se render a palavra de Deus (Js 1: 8; Sl 1: 1- 2; Sl 119: 105; Sl 39: 6) ele não vai conseguir entender o Espírito Santo (Jó 33: 14; II Sm 23: 2; Tg 4: 5; Ef 4: 30; Mq 2: 7; I Ts 5: 19). O Espírito Santo e a palavra andam junto (Is 34: 16; Atos 8: 26- 30). O Espírito Santo levou Jesus ao deserto para um combate com Satanás (Lc 4: 1- 2). E qual foi à arma que Jesus usou nesse combate? (Lc 4: 3- 4; Ef 6: 10- 17; Sl 149: 6). Paulo aprendeu a ter comunhão com o Espírito Santo porque ele se rendeu a palavra de Deus (II Co 4: 6; Gn 1: 2- 3; Is 49: 5- 6; Atos 13: 47). A palavra de Deus é viva (Hb 4: 12; Jo 6: 63; II Co 3: 6). O temor de Deus é principio da sabedoria (Pv 9: 10). Como eu demonstro para Deus que eu tenho temor dele? Obedecendo a sua palavra (Jo 14: 21; Jo 7: 16- 17). A obediência a palavra de Deus trás a comunhão profunda com o Espírito Santo (Jo 14: 26; Is 54: 13; Jr 31: 34; Jo 2: 20).

Atos 20: 26— Portanto, eu vos declaro hoje, que estou limpo do sangue de todos;

Paulo procurou ser um servo útil e fez mais do que foi mandado (Lc 17: 5- 10; Mt 25: 14- 29; I Co 15: 58). Cuidou da igreja como um servo cuida noiva do seu senhor (Gn 24: 1- 65; II Co 11: 1- 2; Jo 3: 29; Mt 25: 1- 6; I Ts 4: 13- 17).  O temor do apóstolo Paulo não foi exagerado, ele foi chamado para pregar a verdade e fez isso (II Co 13: 8; Mq 3: 8; I Co 4: 20). Têm muitos brincando com as coisas de Deus (I Co 3: 17; Ez 34: 7- 10). A responsabilidade daqueles que se consideram pregadores do evangelho é grande (I Co 3: 12- 15; Mc 8: 36). O pregador é comparado com um construtor (I Co 3: 10; Lc 14: 28; I Co 11: 30). Alguém que estudou se formou, ou seja, alguém que se preparou para construir e edificar casas (I Co 1: 19; I Co 8: 2; Rm 12: 22). O crente é a casa que esta sendo edificada pela palavra que o pregador está pregando (Ef 1: 13; I Co 3: 16; I Jo 2: 20). Agora, a casa, ela pode ser edificada na rocha (Mt 7: 24; Is 51: 1; Sl 34: 5; Hb 12: 1- 2), ou na areia (Mt 7: 26; Jr 17: 5; Jó 38: 38; Sl 103: 14; Jó 34: 12- 15). Paulo se considerava limpo do sangue dos crentes que foram edificados pela sua pregação (I Co 2: 2; I Co 1: 18; Ef 2: 11- 16; Cl 2: 2- 15). Paulo edificava as casas na Rocha (I Co 3: 11; Atos 4: 11- 12; Rm 9: 33; I Pd 2: 3- 10). A palavra da à certeza que a casa só permanece de pé se estiver edificada na rocha (Mt 7: 25; Lc 22: 31- 32 e 54- 62; Jo 21: 15- 17; Pv 24: 16a; Jó 14: 7- 9; Sl 1: 1- 3). A casa pode estar edificada na rocha, suportar a chuva o transbordar dos rios e os vendavais, mais ela pode não suportar o fogo (I Co 3: 13; Dn 3: 1- 21; Is 48: 10; Tg 1: 2- 4; I Pd 4: 12- 16). Para pregar Cristo é preciso ter conhecimento dele (I Co 3: 12- 13; II Pd 3: 15- 18; Ef 1: 18- 20; Sl 110: 1; Atos 7: 55- 56). Paulo tinha esse conhecimento (Ef 3: 3- 10; II Co 3: 6- 16; Rm 10: 8- 11). Só Jesus Cristo ajuda o crente a passar pelo fogo (Dn 3: 25; Is 43: 2). Paulo estava limpo do sangue de todos. Ele apresentou a todos aquele que estaria com eles no dia em que eles fossem passar pelo fogo (Atos 20: 29; Jd 12; II Co 11: 13- 15).

Atos 20: 27— Porque jamais deixei de vos anunciar a vontade de Deus.

Paulo esta falando direto para a igreja da época (Atos 20: 17; Rm 11: 13; Atos 13: 47). A igreja da época pela boca de Paulo conheceu a vontade do Senhor (Ef 5: 17; Rm 12: 1- 2). Paulo jamais escondeu qual era a vontade de Deus para a sua igreja (Cl 1: 9; Cl 2: 2- 3; Ef 1: 15- 18; Rm 12: 9- 21). E qual era a vontade do Senhor para a igreja da época? Que eles fossem cheios do Espírito Santo (Ef 5: 18; Jó 40: 23; Atos 13: 50- 52). Mas, para eles serem cheios do Espírito Santo era necessários que eles se esvaziassem de tudo que era contrária a vontade do Senhor (Pv 6: 16- 19; Pv 17: 1; Pv 18: 6). Havia muita contenda na igreja primitiva (I Co 1: 11; II Co 12: 20; Rm 13: 13). A contenda estava impedindo a verdadeira adoração (I Co 3: 1- 3; Rm 8: 1; Gl 5: 16- 26; Mc 14: 38). Paulo aconselha a igreja a substituir as contendas por salmos, hinos e cânticos espirituais (Lc 1: 46- 47; Jó 35: 10; Sl 42: 8). A contenda preenche o coração do crente (Hb 12: 15; Ef 4: 30- 31; Lm 1: 16; I Ts 5: 19; Ef 4: 27) e deixa-o seco da vontade de Deus (I Ts 4: 2- 4; Fp 4: 5- 8; Cl 3: 1- 3), com isso ele fica vazio do Espírito Santo (Jr 2: 12- 13; Tg 4: 4- 5; I Pd 1: 16). Como faço para se esvaziar da contenda e se encher do Espírito Santo? Substituir o pensamento que alimenta a contenda (Tg 3: 13- 15; II Co 11: 17- 19; Pv 14: 30) “cantando e louvando ao Senhor no vosso coração” (Ef 5: 19; I Co 14: 12- 15). E confessando a gratidão a Deus por tudo em momentos de louvor e oração (Ef 5: 20; Cl 3: 16- 17). Procurando fazer tudo para o beneficio da comunhão com os irmãos: (Sl 133: 1; Rm 12: 18; Mt 5: 38- 48) “sujeitando- vos uns aos outros no temor de Cristo” (Ef 5: 20; Hb 10: 25; Sl 122: 1). A vontade de Deus para a igreja da época era que ela fosse cheia do Espírito Santo (Atos 2: 4; Atos 4: 31; Atos 13: 52; Jó 40: 23). A vontade de Deus não mudou (Ml 3: 6; Hb 13: 8). Seja cheio do Espírito Santo e de sua alegria (Rm 14: 17; Rm 5: 5; Ef 1: 13).

Atos 20: 28— Cuidai de vós mesmos e de todo rebanho sobre o qual o Espírito Santo vos colocou como bispos, para pastoreardes a igreja de Deus, que ele comprou com seu próprio sangue.

Dois conselhos, Paulo deu para os anciãos de Éfeso (Pv 11: 14; Is 1: 26; Is 41: 27- 29; I Jo 5: 21; I Co 10: 14; II Co 6: 16- 17; Is 2: 18).  Duas coisas são necessárias para que a igreja permaneça firme e de pé: O pastor (Jr 3: 15; Jr 23: 4- 5; Jo 21: 15- 17) e as ovelhas (Ez 34: 31; Jo 10: 16; Jo 16: 7- 14; Jo 14: 26; Jr 31: 34; Is 48: 17; Is 54: 13). Você vai encontrar pastor sem rebanho (Jr 10: 21; Jr 23: 1) e rebanho sem pastor (I Rs 22: 17; Ez 34: 1- 5; Zc 10: 2; Mt 9: 36). Mas se não houver pastor e ovelhas não existe rebanho (I Sm 4: 1- 22; Lm 1: 16; Jo 15: 5; Hb 10: 26). As ovelhas precisam do pastor (Tg 5: 14- 15; Mc 6: 10- 13) e o pastor precisa das ovelhas (I Co 9: 7- 14; I Tm 5: 17- 18). Agora se o pastor, bispo, presbítero ou qualquer que esteja responsável pelo rebanho, não se cuidar; o que vai acontecer? Ele, e todo o rebanho vão sofrer (Zc 13: 7; I Co 12: 26). Lobos vão devorar o rebanho (Atos 20: 29; Mt 7: 15), e quem vai prestar conta para dono do rebanho? (Ez 34: 1- 11; Sl 23: 1). O importante é ter a certeza do chamado: (II Co 1: 21; II Co 3: 5; Gl 1: 11- 12). Se você não foi chamado por Jesus (Ef 4: 1- 10; Jo 15: 16); não foi colocado pelo Espírito Santo (Atos 13: 1- 4; Atos 16: 6- 7); o que você está fazendo ocupando um lugar tão importante para a o obra? (Rm 12: 4- 8; Gn 3: 9). Quem te colocou para pastorear a igreja de Deus? Você tomou o rebanho para você? Paulo é claro no ensino: É o Espírito Santo quem escolhe os crentes que vão ocupar o ministério na igreja (I Co 12: 4- 6; I Tm 4: 14; II Tm 1: 6- 7; I Tm 4: 1- 5; Fp 2: 13; Ef 4: 11- 17; I Co 12: 28). Na igreja de Cristo não existe nenhuma liderança acima da do Espírito Santo (Atos 15: 28; Ap 22: 17; Is 55: 1). Qualquer liderança que não passe pela vontade e escolha do Espírito Santo é um ato de rebeldia contra as ordens do Sumo Pastor das ovelhas (I Pd 5: 1- 4). Se não foi Jesus que te colocou na liderança, então foi Satanás (Jo 8: 44; Lc 4: 5- 6). Entregue este cargo depressa, e peça perdão a Deus (Lm 3: 29; Sl 51: 17). O Espírito que está na liderança da igreja (I Co 12: 1- 11) é o Espírito daquele comprou você e todo rebanho com seu próprio sangue (Atos 16: 7; Gl 4: 1- 6; Rm 8: 1-9).

Atos 20: 29— Eu sei que depois da minha partida, lobos vorazes penetrarão em vosso meio e não pouparão o rebanho.

Após a partida de Paulo, e o fim do seu ministério com a sua morte (II Tm 4: 6; Sl 116: 15; I Ts 4: 16- 17; I Co 15: 52), as igrejas foram provadas em seu fundamento (I Co 3: 10- 11; Sl 118: 20- 22; Is 28: 16; Mt 21: 33- 42; Rm 9: 33; I Pd 2: 6- 10). Aqueles que lideravam as igrejas na época de Paulo se firmaram naquele que ele pregava (Ef 3: 1- 10; I Co 2: 1- 5; I Co 1: 18- 24; Cl 2: 2- 3). Paulo foi o maior líder que a igreja gentílica teve (Rm 11: 13; I Co 9: 1- 2). Satanás se curvava diante da autoridade que estava sobre ele (Atos 26: 13- 18; I Co 5: 1- 5; I Tm 1: 18- 20). Isto para muitos servia como base de sua fé (Atos 19: 11- 20; Atos 20: 7- 12; Is 35: 1- 8; Jó 4: 3- 4). Paulo alerta a igreja sobre a entrada de homens cruéis. Homens sem piedade, egoístas, amante do dinheiro estariam infiltrados no meio do povo de Deus (I Tm 6: 3- 10; II Tm 3: 1- 8; II Co 11: 13- 15). Quando passou tempo de Paulo, e muitos dos anciãos também já haviam morridos os mais novos que ocupavam a lideranças das igrejas não atentaram totalmente para os ensinos dos antigos (Jz 2: 7- 15; Jo 6: 63). O que aconteceu? O mal realmente entrou (Ap 2: 4- 5; Jó 8: 8- 9; Jr 6: 16).

A igreja permaneceu trabalhando: Havia cultos, reuniões de oração. Os trabalhos continuavam normais (Mt 16: 18; Atos 15: 7; Ap 3: 8). Os lobos vorazes como falou o apóstolo Paulo realmente entraram na igreja (Amós 3: 7; Nm 12: 6; Atos 16: 6- 10; Jl 2: 28- 29). Como a igreja ainda vivia da poupança dos antigos (Ap 8: 3; Atos 10: 4b; Sl 112: 5- 6), logo estes não acharam lugar e foram expulsos (Ap 2: 1- 2; Is 8: 20). Por não deixar os enviados do maligno se apossar do púlpito eles foram perseguidos e espalhados (Zc 13: 7). Sofreram, mas não se entregaram (Ap 2: 3). E o que aconteceu então? Eles reconstruíram, mas não com a mesma pegada dos antigos (Jr 12: 5- 6). Abandonaram os ensinos de Cristo (Hb 6: 1- 3; Mt 28: 18- 20; Mc 16: 15- 18), e com isso deixaram as primeiras experiências com o todo poderoso (Ap 2: 4; Dt 4: 30; Ap 3: 20). Passaram a viver da fria religião (Mt 24: 12; Jr 2: 12- 13; I Co 11: 30). Não deixe as lutas e as provas esfriar você (Ef 5: 14; Lc 18: 1- 8; Jr 33: 3). As lutas e as provas têm que servir para o seu crescimento (II Pd 3: 18; II Tm 3: 12; Mt 11: 28- 30) e não para a sua derrota (Tg 1: 2- 4; I Pd 4: 12- 16). Cuidado! A religiosidade é a marca dos que estão mortos espiritualmente (Rm 12: 1- 2; Jo 10: 10; Gl 2: 20).

Atos 20: 30— E que, do vosso meio mesmo, se levantarão homens falando coisas pervertidas, para arrastarem atrás de os discipulos.

Apesar de estar vivendo da fria religião à igreja de Éfeso não se esqueceu das palavras do apóstolo Paulo (Ef 4: 1- 3; Sl 133: 1; Ef 4: 4). Com o crescimento do evangelho muitos enganadores surgiram (Mt 24: 24- 28; Lc 17: 37; Jó 39: 30). Falsos apóstolos tentaram se alojar na igreja de Cristo (II Co 11: 13- 15; II Co 2: 17; Is 8: 20), mas logo foram expulsos (Ap 2: 1- 2; Sl 1: 6; Na 1: 7). Mas não foram somente falsos apóstolo que surgiram (Mt 7: 15; I Jo 4: 1; I Co 14: 29; I Ts 5: 19- 21). Surgiram também outros tipos de enganadores com o objetivo de atrair discipulos, como profetizou o Senhor Jesus (Mt 24: 24- 25; Jo 4: 26). Surgiram aqueles que vendiam milagres, curas e libertação (Atos 19: 13- 14; Atos 8: 18- 19). Falavam em nome de Cristo mais nada tinham dele (Mt 7: 16; Lc 6: 43). Entre estes estavam Nicolau, um prosélito de Antioquia (Mt 23: 15a; Atos 13: 43). Nicolau foi um dos sete escolhidos pela igreja de Jerusalém como diácono (Atos 6: 1- 5). Nicolau se separou da igreja de Cristo e fundou o seu próprio ministério (Ap 2: 6). O tempo passou e nada mudou (Ef 6: 10- 12; II Co 11: 13- 15). Cristo permanece até hoje (Hb 13: 8; Mt 28: 18- 20) e a obra de Nicolau também (Dt 13: 1- 4; Atos 17: 10- 11; Sl 119: 11). Os lenços, os aventais, o óleo, a terra santa, continuam a venda (I Tm 4: 1; II Co 5: 7; Hb 11: 1). Nicolau continua enganando (I Pd 5: 8; Jo 10: 10a) e os nicolaítas continuam sendo enganados (Jr 2: 12- 13; Is 28: 15). Nicolau continua atraindo discipulos, dividindo igrejas e fundando o seu próprio ministério (Atos 5: 36- 37; Is 1: 5- 7), e os nicolaítas continuam sendo seus serviçais (Jr 2: 14; Sl 68: 6). Se você já foi seguidor de Cristo (Sl 122: 1) e agora é seguidor de Nicolau (I Tm 6: 9- 10); ainda dá tempo de voltar para Cristo? (Ap 2: 7; Mt 6: 19- 33). Se você já foi servo de Cristo e agora é servo de Nicolau; volte a ser servo de Cristo enquanto é tempo! (Mt 25: 1- 12; Ap 22: 12; Ap 3: 5; Ap 20: 15; Ap 3: 6).

Atos 20: 31— Portanto, vigiai e lembrai- vos que durante três anos, noite e dia, não cessei de admoestar, a cada um, com lágrimas.

Paulo aconselha os irmãos de Éfeso a estar vigilante (Lc 12: 37; Mt 25: 1- 10; Lc 12: 35- 36). Da mesma forma que a palavra de Deus exorta a todos á pregar o evangelho (Mc 16: 15; Mc 5: 18- 20; Jo 4: 28- 30 e 39; Is 44: 8); ela também exorta a todos a vigiar (I Co 16: 13; Mc 14: 38; I Pd 5: 8). Estar sobre vigilância, é dar proteção aquilo que você tem de mais precioso: A sua alma (Mt 16: 26; Sl 49: 7- 8; Cl 2: 13- 15; Is 53: 1- 12; Rm 5: 1- 21; Rm 10: 8- 13). O diabo quer roubar a sua alma (Ef 4: 27; II Co 2: 11; Mt 16: 20- 23; Ap 12: 10; Lc 22: 31- 32; Jó 1: 6- 7). Paulo estava ensinando a igreja a se proteger (Mt 10: 16; Atos 20: 29). A intenção de Satanás é destruir a igreja (Jo 10: 10a; Rm 16: 20; Jo 10: 10b; Ef 2: 1- 8). A igreja é a sua maior inimiga, pois ela arrebata das suas mãos aqueles que estão cativos (Lc 4: 18- 19; Is 35: 1- 8; Atos 8: 5- 8). Fazer o corpo entender esta forma de operar da igreja não é fácil (Rm 12: 5; I Co 12: 12; Fp 2: 13; I Co 12: 1- 6; Jo 14: 8- 11). Leva tempo (Atos 19: 8- 10; Atos 11: 25- 26). O tempo pode ser amigo ou inimigo (Mt 12: 13), suficiente ou insuficiente (Ex 2: 1- 9). Por três anos Paulo com lágrimas, ensinou e estruturou o corpo para enfrentar batalhas (Ef 6: 6: 10- 17; I Co 3: 10- 17; Gl 6: 7- 8). Paulo sabia que o tempo foi pouco, por isso ele batalhou por três anos admoestando com a palavra viva (II Co 3: 6; II Tm 4: 2; Is 34: 16; Js 1: 8; Jo 7: 16- 17; Jo 6: 63). A batalha espiritual não se aprende em uma faculdade teológica (I Co 1: 19; I Co 8: 2; Ec 12: 12), ou sentado no banco de uma igreja (Is 43: 8; I Co 11: 30; Ef 5: 14; Hb 12: 1; Mt 5: 14- 15; Is 60: 1). Batalha está relacionada com guerra (Is 13: 1- 4; Ez 37: 1- 10; II Tm 2: 1- 4). A guerra acontece no campo vinte e quatro horas por dia (Jo 13: 2; Jó 1: 6- 7; I Pd 5: 8). A igreja primitiva não tinha os instrumentos de conhecimento que nós temos hoje: Quais? Todo conteúdo do Novo Testamento (Jo 7: 16- 17; Hb 1: 1- 2). A obra revelada pelo Espírito Santo (Lc 4: 18- 21; Jo 14: 26; Hb 4: 12; Sl 149: 6; Is 55: 2a; Lc 22: 35- 36). Três anos: Dois anos e três meses foram na segunda viagem (Atos 19: 1- 10) e os outros nove meses foram distribuídos entre a primeira (Atos 18: 18- 21) e a terceira viagem (Atos 19: 23- 31; Atos 20: 1).

Atos 20: 32— Agora, pois, entrego- vos a Deus e à palavra da sua graça, que tem poder para vos edificar e dar heranças entre todos os que são santificados.

Paulo não mais voltaria á Éfeso (II Tm 4: 6- 8; Atos 28: 30- 31; Sl 116: 15). Preocupado com a igreja ele deixa esta mensagem (Atos 20 28- 29; Mt 10: 16; Jd 12- 16). Paulo estava partindo, mais estava deixando a igreja em segurança (Ef 1: 3- 7; I Co 2: 2; I Co 3: 10- 11). O homem passa (Ec 12: 1- 7; Gn 5: 5; Gn 6: 1- 3; Dt 34: 1- 7; Sl 90: 1- 10), a palavra de Deus não (Mt 24: 35; Is 55: 11; Js 21: 45; Nm 23: 19). Paulo estava passando, mais estava deixando a palavra da graça (II Co 5: 17- 18; Ef 2: 11- 16; Ef 3: 1- 10). Satanás não tem ao seu favor nenhuma arma que possa anular a graça de Deus (Jo 3: 14- 16; Nm 21: 4- 9; Sl 34: 5; Is 42: 18; Is 51: 1; Hb 12: 1- 2; Sl 110: 1; Atos 7: 55- 56; Ap 1: 17- 18). Paulo estava através da sua palavra (Rm 2: 16) deixando a igreja debaixo da graça de Deus (Ef 2: 1- 8; Rm 1: 16- 17; Lc 2: 1- 11; Is 52: 7; Dn 12: 1- 3). Paulo estava deixando a igreja protegida pela esperança (I Co 15: 52- 54; Is 25: 6- 9; Sl 27: 14; Lm 3: 29). Quem está debaixo da graça, está protegido contra a maior arma que Satanás tem. Que arma é essa? A acusação (I Jo 2: 1; Jo 14: 15- 16; I Jo 4: 4; Rm 8: 22- 27).

Quem está debaixo da graça está protegido contra o acusador (Ap 12: 10; Jó 1: 6- 11; Lc 22: 31- 32; Zc 3: 1- 4). Satanás não tem nada haver com aqueles que Cristo comprou com o seu sangue (I Jo 2: 2; Hb 10: 19- 21; Hb 4: 14- 16). O crente está livre do jugo da lei e da escravidão de Satanás (Mt 11: 28- 30; Atos 15: 28- 29; II Co 3: 6- 17). O crente é livre (Jo 8: 36; Gl 5: 1; Gl 4: 1- 31). E qual era então a razão da preocupação do apóstolo Paulo? Que a igreja não conseguisse permanecer na graça de Deus (II Co 11: 2; Ap 2: 4; Jr 6: 16; Jó 8: 8). A palavra da graça edifica a vida do crente (Mt 28: 20b; Atos 18: 10; Jr 20: 11). É através da graça que o crente recebe o Espírito Santo (Ef 1: 13; Atos 5: 32; Ap 22: 17; Jo 7: 37- 39; Jo 4: 1- 14). Com o Espírito Santo o crente passa a ter acesso à presença de Deus (Ef 2: 11- 18; Hb 10: 19- 20; Hb 4: 16). A presença de Deus na vida do crente é a garantia que o crente está seguro (Sl 91: 1; Mt 8: 23- 26; Sl 30: 5). O crente é herdeiro do Reino de Deus (Rm 8: 16- 17; Gl 4: 7). O crente não é Santo por causa das suas obras, mas sim por causa da graça de Deus (Ef 2: 9; II Co 12: 1- 9). O Crente é santificado por Deus (I Ts 5: 23; Rm 5: 1- 10). O que o crente tem que fazer para se manter debaixo da graça? Permanecer santificado (Hb 12: 14; Tg 4: 4- 5; I Pd 1: 16).

Atos 20: 33— De ninguém cobicei prata, nem ouro, nem roupas.

Paulo não cobiçou riquezas e nem ensinou a igreja a cobiçar (II Tm 6: 9- 10; Jo 13: 21; Mt 26: 14- 16; Jo 13: 22- 27; Mt 47- 50; Mt 27: 3- 5). Paulo viveu da fé e ensinou a igreja a também viver (Rm 1: 16- 17; Hb 11: 6a; Sl 5: 3 Hb 11: 6b; II Co 5: 7; Sl 27: 14). A visão de Paulo era diferente da visão da maioria que estão na liderança da igreja hoje (II Co 11: 13- 15; Is 28: 14- 15; Ap 2: 4; Jr 6: 16; Jó 8: 8). Não podemos imaginar o apóstolo Paulo pregando sobre riquezas e montando sua pregação em cima das riquezas deste mundo (I Co 4: 9; Rm 8: 36; I Co 4: 10; Is 53: 1- 3; I Co 4: 11; Mt 8: 18- 20; Gl 2: 20). Se o príncipe deste mundo distribui riquezas para alguns (Lc 4: 5- 6; Gn 3: 1- 17; I Jo 5: 19) e miséria para a maioria? (Jó 6: 2; Jó 1: 6- 12; Dt 15: 11a). Não é inteligente que o pregador incentive o crente a exigir também riquezas como ouro, pratas, ou quaisquer outros bens materiais de Deus (Tg 2: 1- 5; Ag 2: 8; Ag 1: 7- 9; Ag 2: 9). A igreja de Éfeso era composta na sua maioria por gentios: (Rm 11: 13; Atos 15: 7; Gl 2: 8). Entre os membros havia muitos que possuíam posses, ou seja, havia muitos crentes que eram ricos e possuíam também belas roupas (I Tm 6: 17- 19; Jó 34: 18- 19). Paulo não tinha riqueza como muitos dos irmãos daquela época, mas ele foi o maior pregador e mestre daquele tempo (I Co 2: 6- 7; I Co 2: 2; I Co 2: 5; I Co 3: 10- 11; II Co 10: 4- 5; Atos 16: 31). Podemos dizer que depois dele não surgiu nenhum outro como ele (II Pd 3: 15- 18; I Co 11: 1; Rm 2: 16). Paulo estava acima de todos os mestres da época (Ef 3: 1- 10; II Co 1: 21; II Co 3: 5; Gl 1: 11- 12) e poderia exigir da igreja privilégios e uma vida confortável, como muitos em sua época tinham (I Co 9: 14). E porque ele não exigiu? (I Co 9: 15). Paulo estava garimpando algo mais precioso que ouro, prata, pedras preciosas, roupas, ou qualquer outra coisa relacionado com este mundo (Mt 13: 44- 46; Rm 8: 18; II Tm 4: 6- 8).

Atos20: 34— Vós mesmos sabeis que estas mãos serviram para suprir as minhas necessidades e dos que estavam comigo.

Paulo tinha uma enfermidade (Gl 4: 13- 15; II Co 12: 7; Nm 33: 35), mas sua saúde vinha da parte de Deus (II Co 12: 8- 9; Fp 4: 13; I Jo 4: 4; Fp 4: 12; Jo 14: 26). Quem escolheu Paulo foi Jesus (Atos 9: 1- 15; Atos 26: 13- 18; Jo 15: 16) e quem Jesus escolhe ele cuida (Is 43: 13; Atos 16: 25- 26; Mt 6: 25- 33). Jesus cuida não só da vida espiritual (Jo 7: 37- 39; Jo 4: 1- 14; Ap 22: 17), como também da vida física e material (Atos 18: 1- 3; II Co 3: 5; Sl 37: 25; Jo 11: 40). Para entender isso é preciso observar como era o relacionamento do apóstolo Paulo com o Senhor Jesus (Gl 2: 20; Jo 14: 21; Atos 18: 9- 10; Atos 23: 11). Paulo foi enviado (Atos 13: 1- 4; Ef 4: 4- 11; II Tm 2: 1- 5; II Tm 1: 6- 7; I Tm 4: 14- 15) e guiado pelo Espírito Santo (Atos 16: 6- 10; Rm 8: 14; I Co 3: 16; II Sm 23: 2; Tg 4: 4; Ef 4: 30; Mq 2: 7; I Ts 5: 19; Lm 1: 16). Deus não só capacitava o apóstolo Paulo a suprir as suas próprias necessidades como também da equipe que o acompanhavam (Atos 19: 23- 41; Is 58: 11- 12; Is 54: 2). O conceito que Paulo tinha sobre como é a vida de um líder de igreja é realmente exemplar (Ef 5: 1; I Co 11: 1). Paulo trabalhava (I Co 9: 13- 15; Ef 4: 28; I Ts 4: 11; II Ts 3: 10; Pv 6: 6- 10). Paulo não era folgado, ele trabalhava com as suas próprias mãos (I Ts 2: 9; I Co 4: 12; II Ts 3: 8). Paulo estava sendo guiado pelo mesmo Espírito que estava guiando a igreja (Atos 2: 44; Atos 4: 32; Ap 2: 4). Paulo trabalhava para o evangelho e o evangelho o sustentava (Mt 20: 1- 2; Jo 15: 16; Rm 1: 16- 17). Paulo foi perseguido durante todo o seu ministério (Atos 9: 16), mas foi muito abençoado (II Co 12: 1- 6). Na carona das bênçãos de Paulo iam todos que faziam parte de sua equipe (Zc 8: 23). Paulo experimentou coisas maravilhosas (Atos 24: 10- 14; Is 35: 1- 8; Atos 19: 11- 20), e os que estavam com ele também experimentaram (Atos 16: 25- 26). Paulo experimentou prisões terríveis e aqueles que com ele estavam também experimentaram (Atos 19: 23: 29; Jo 15: 19- 21; Jo 12: 25- 26; Atos 7: 55- 60; Sl 116: 15).

Atos 20: 35— Tenho – vos mostrado em tudo que trabalhando assim, é necessário socorrer os necessitados e recordar as palavras do Senhor Jesus: Mais bem – aventurado e dar do que receber.

A igreja não é banco, e nem a Bolsa de valores (Mt 6: 19- 20; Cl 3: 1- 2; Mt 6: 21). A igreja não é lugar de se investir esperanto lucrar (Mt 6: 25- 33; Lc 12: 13- 20; Mt 16: 26). A igreja é lugar de se doar, se entregar e socorrer (II Co 8: 1- 3; Atos 2: 42- 47; Atos 4: 32- 37). Paulo trabalhava: Primeiro para não ser mais um peso sobre a igreja (I Ts 2: 9; I Co 4: 12; II Ts 3: 8) e segundo, para socorrer os necessitados da igreja (I Tm 5: 8; Ez 34: 1- 5; Rm 12: 6- 8). A igreja é hospital para os enfermos (Atos 5: 11- 16; Mc 16: 15- 18; Atos 5: 16; Atos 8: 6- 7) e abrigo para os necessitados (Atos 6: 1- 5a; Mt 13: 31- 32; Jo 12: 32; Mt 11: 28- 30). A igreja é uma dispensa do Reino de Deus (I Co 4: 1- 2; Sl 101: 6; Atos 13: 22), e tem que estar abastecida (I Jo 3: 18; Atos 4: 32- 34; Atos 2: 44- 47). A igreja tem que ter para oferecer (Atos 4: 35- 37; Atos 6: 1; Atos 10: 34; Tg 2: 1). Segundo Jesus: “Aqueles que têm para oferecer são bem aventurados”. A igreja e um lugar dos bem aventurados (Mt 5: 3; Lc 18: 9- 14; Mt 5: 4; I Sm 1: 1- 17; Mt 5: 5; Mt 5: 5; Lm 3: 30- 31; Mt 5: 6; Lc 18: 1- 8; Mt 5: 7; Pv 19: 17; Mt 5: 8; Mt 18: 2- 3; Mt 5: 9; Rm 12: 18- 21; Mt 5: 10; Rm 8: 18; Mt 5: 11; I Pd 4: 12- 16; Mt 5: 12; I Pd 5: 6- 9). Paulo era um bem aventurado, pois ele trabalhava (Atos 18: 1- 3; Mt 17: 1- 4; II Sm 7: 2; Jo 14: 21- 23; I Co 3: 16) e sempre tinha o que oferecer aos necessitados (I Co 9: 14- 15; II Sm 6: 11; Gl 2: 20; Jo 6: 35).

A igreja é um lugar onde todos têm que contribuir (I Jo 3: 16- 18; Tg 2: 14- 20; Lc 17: 5- 10). Com a contribuição de todos os membros ela paga salário para aqueles que vivem integralmente na obra (I Co 9: 13- 14; I Tm 5: 17- 18; Gl 6: 6; Mt 10: 5- 10). Investe em missões e socorre os necessitados (Ef 4: 28; Atos 4: 34; Is 25: 3- 4). O que a igreja arrecada não pode servir para o deleite dos seus lideres (Ez 34: 1- 3). Enquanto os lideres estão se deleitando, as ovelhas estão passando necessidade (Ez 34: 4- 5). Se os lideres querem viver em deleites que vivam do trabalho das suas próprias mãos e não como dinheiro da igreja (Ez 34: 8- 10). O evangelho não é para os folgados (Pv 6: 6- 9; II Ts 10- 11), Paulo não era folgado (I Ts 2: 9; II Co 11: 18- 28).Paulo era um missionário e tinha uma missão: Ganhar almas para Cristo (Atos 26: 13- 18; Atos 13: 44- 48; Pv 11: 30; Tg 5: 17- 20; Mt 10: 32- 33). Paulo estava garimpando almas e não ouro pratas e pedras preciosas (II Co 12: 14; Fp 3: 12- 16). Ouro, prata, e pedras preciosas para Paulo tinham outros significados (Pv 16: 16; Cl 2: 2- 3; I Co 1: 18- 24; Cl 2: 4- 15). Ouro, prata e pedras preciosas para Paulo não serviam para enriquecer a vida física do crente, mas sim para edificar a vida do crente no Cristo crucificado (I Co 2: 2; I Co 3: 10- 11; Atos 4: 11- 12; I Pd 2: 3- 10).

Atos 20: 36— Quando acabou de dizer estas coisas, ajoelhou- se, e orou com todos eles.

Ninguém ajoelha por ajoelhar. As pessoas se ajoelham por algum motivo (Atos 7: 59- 60; Ez 22: 30; Jr 5: 1). Se colocar de joelho é um recurso para aqueles que estão atrás de misericórdia (Sl 95: 6; Lm 3: 29; Is 45: 23; Fp 2: 9- 11; Atos 16: 31). Paulo colocou-se de joelho diante do Deus vivo (Ap 1: 17- 18; Atos 7: 55- 56; Atos 18: 9- 10). Agora tem muitos que estão se colocando de joelho diante de ídolos mudos fabricados pelas mãos do próprio homem (Is 44: 13- 15; Sl 20: 8; Is 43: 8). Colocar-se de joelho é se humilhar, adorar e reverenciar alguém que está em um nível muito superior ao nível do homem (Atos 10: 25- 26; Sl 95: 6; Dn 3: 1- 18). Portanto aqueles que se dobram diante de ídolos mudos estão reconhecendo que estão em um nível bem inferior aos dos ídolos mudos (Rm 1: 22- 23; Is 44: 9; Sl 135: 15- 18; Sl 115: 4- 17). Porque Paulo se ajoelhou? Paulo se ajoelhou porque ele estava diante do todo poderoso (Sl 94: 9; Is 40: 22; Jr 23: 23- 24). A igreja de Cristo caminha sob os olhos do Todo Poderoso (Sl 101: 6; Atos 13: 22; Jo 4: 19- 24; Ez 22: 30). Portanto ela caminha de joelho e orando (Atos 1: 13- 14; Atos 3: 1; Atos 12: 1- 12; Atos 16: 13a e 16a). Enquanto eu estou de joelho orando, alguns estão descansando; enquanto eu estou descansando outros estão orando (Atos 16: 25; Pv 8: 17; Atos 16: 26; Mt 28: 1- 6). Jesus orava (Mc 14: 32; Lc 22: 39- 41; Mc 6: 45- 48). Jesus ensinou os seus discipulos a orar (Lc 18: 1; Mc 14: 32- 38).  E orar não é uma opção, mas sim um dever (Lc 18: 2- 8; Hb 11: 6; Tg 5: 17- 18). Para o apóstolo Paulo o crente deveria orar sem cessar (I Ts 5: 17; I Sm 1: 12- 15; Jó 40: 23; Ef 5: 18). Daniel, Davi oravam três vezes ao dia (Dn 6: 1- 10; Sl 55: 17; Jr 6: 16; Ap 2: 4). Davi levantava a meia- noite e colocava-se de joelho diante do Todo Poderoso (Sl 119: 62). Vida de oração é só para os íntimos do Senhor (Atos 13: 22; Sl 101: 6; Tg 1: 12; Mt 24: 13). Quer ser íntimo do Senhor? Comesse a caminhar de joelho (Jr 29: 11- 13; Jr 33: 3; I Co 2: 9).

Atos 20: 37— Houve grande choro entre todos, abraçando afetuosamente a Paulo, o beijavam.

O amor entre os irmãos da igreja primitiva era verdadeiro (I Co 13: 1- 8; Rm 13: 8; Mt 10: 25- 37; I Jo 3: 16- 18) e todos era uma família (Atos 2: 41- 47; Atos 4: 32- 37; Atos 9: 23- 27; Atos 11: 22- 26; Atos 13: 1- 4; Atos 14: 14; Ef 4: 7- 11; Mt 10: 2- 4; Dt 29: 29). A igreja é uma família, um corpo e também a noiva de Cristo. Paulo ensinou muito sobre o assunto (Rm 12: 4- 8; I Co 12: 12- 29; Ef 4: 11- 16). A igreja estava se despedindo daquele que por muitos anos foi o seu grande líder (Rm 11: 13; Atos 9:1- 15; Atos 13: 44- 48; Is 49: 5- 6). A igreja é a noiva de Cristo (Jo 3: 24- 29; Mt 25: 1- 6; Ct 2: 8; Mt 25: 7- 10; Ap 22: 7; Mt 25: 11- 13). Como imaginamos uma noiva? Moça linda e vestida de branco (II Co 11: 3), pura e sensível (II Co 11: 2; Ef 5: 25; Atos 20: 28; Ef 5: 26; Jo 19: 34; Ef 5: 27; Sl 119: 11; Ef 5: 28; Mc 10: 8; Ef 5: 29; I Co 7: 3; Ef 5: 30; I Co 6: 17- 20; Ef 5: 31; Mc 10: 7; Ef 5: 32; Cl 1: 15- 22). Como fica a noiva quando se sente desamparada? (Lm 1: 16; Zc 13: 7; Is 49: 15- 16). A igreja tinha a seus lideres (Atos 20: 17; Pv 11: 14; Ex 18: 1- 26), mas nenhum como o apóstolo Paulo (II Pd 3: 15- 18; Ef 3: 1- 10; Os 4: 6a; Os 6: 3). A igreja de Éfeso estava vivendo um dia de profunda tristeza (Is 26: 3; Is 61: 1- 3; Lc 4: 18- 19; Ap 1: 17- 18).

Uma profunda tristeza parecia querer invadir o coração daqueles irmãos (Jo 16: 21- 22; Ef 1: 15- 16; I Co 5: 3a). Paulo era o vaso que estava sendo usado pelo oleiro naquele momento (II Tm 2: 20; Rm 9: 23; II Co 4: 6- 7). A igreja tinha uma caminhada eterna á percorrer (I Pd 3: 1- 10; Sl 90: 4; Os 6: 1- 2; Ap 3: 20). Os anos passam; os homens passam (Ec 12: 1- 7; Gn 5: 5; Gn 6: Dt 34: 7; Sl 90: 10), mais a noiva não passa (I Ts 4: 13- 17; Ap 19: 1- 9; Ct 2: 16; Ez 34: 31). Paulo estava passando, mas o Espírito Santo estava ficando (Jo 14: 15- 16; Jo 16: 13; Jl 2: 28- 29; Atos 2: 1- 20). Quando o noivo voltou para a sua terra ele não deixou a noiva abandonada (Jo 14: 18). Ele deixou um acompanhante eterno com ela (Atos 15: 28- 29; II Co 3: 17; Ap 22: 17; Mt 11: 28- 30). O Espírito Santo é o verdadeiro responsável pela igreja (Jo 16: 14; Jo 14: 26; Jo 15: 26). A igreja caminha de acordo com o pensamento e desejo do Espírito de Jesus (Jo 14: 19- 23; I Co 3: 16; Atos 16: 6- 7). O homem pode mudar a doutrina, a maneira de pregar e de ensinar, pode alterar o rumo da igreja local, mas na caminhada da noiva não vai alterar em nada (Rm 11: 33- 36). No dia certo, na hora certa, no momento certo (I Co 15: 52) ela vai encontrar com o Noivo nas nuvens (I Ts 4: 13- 18; I Co 15: 58; Is 25: 6- 9; I Co 15: 53- 54).

Atos 20: 38— Entristecidos principalmente pela palavra que dissera: Não mais veriam o seu rosto. Eles o acompanharam até o navio.

Foi muito triste para os irmãos de Éfeso saber que não mais veria o apóstolo Paulo (Atos 20: 37). A tristeza deles era momentânea (Sl 30: 5; Sl 27: 14; Rm 12: 12). Da prisão Paulo fortalece as igrejas: (Ef 1: 15- 16; Fp 1: 3- 4; Cl 1: 1- 3; I Ts 1: 1- 2). Uma carta simples, mais com muitas revelações: Na havia razão para as tristezas dos irmãos, não havia mais razão para temer, agora eles também era povo de Deus (Ef 2: 11- 18; I Pd 2: 3- 10; Jo 1: 1- 13). Eles foram abençoados com todas as bênçãos espirituais nas regiões celestiais em Cristo (Ef 1: 3; Cl 2: 2- 3; Lc 10: 21). Ou seja, eles estavam revestidos de Cristo (Gl 3: 27- 28; Rm 13: 14; Rm 8: 1- 17) e selados com o Espírito da promessa (Ef 1: 13- 14; Gl 3: 13- 14; Rm 4: 1- 3; Gl 3: 6- 8; Gn 12: 1- 3; Atos 16: 31). Paulo inspirado pelo Espírito Santo trás para a igreja a revelação de como compreender o mistério da transformação pela obra de Cristo: (Ef 3: 3- 6; Ef 2: 1- 8; Rm 5: 12- 21). Não era hora de continuar chorando (Mc 16: 1- 6; Ap 1: 17- 18; Atos 7: 55- 56; Sl 110: 1). A igreja tem uma missão (Mc 16: 15; Atos 1: 8; II Tm 1: 6- 8). E igreja de Éfeso tinha que aprender sobre o assunto (Os 4: 6a; Os 6: 3; II Pd 3: 18). A igreja de Éfeso apesar dos seus lideres serem anciãos (Atos 20: 17; Pv 31: 10- 23; Pv 14: 1), ela era nova e não havia passado por grandes provas (Ef 5: 1- 16; Amós 3: 7; Nm 12: 6; Atos 16: 6- 10). Falsos apóstolos e lideres herético iriam se infiltrar no meio dela (Ap 2: 1- 6; Ef 4: 27- 30). A estrutura da igreja iria ser abalada: Ventos de doutrinas iriam soprar de todos os lados (Ef 4: 1- 14; I Co 13: 11; Ef 4: 15- 16). Imitar Deus (Ef 5: 1- 2; Jo 15: 12- 14; I Jo 3: 16- 18; Rm 13: 8) era a única formula para passar por cima das adversidades que viriam (Ef 5: 3- 18; Ef 5: 27- 32). E o perdão era a principal vitamina (Mt 6: 14- 15; Hb 12: 14- 15; Mt 5: 38- 48; Rm 12: 18- 21) para que eles permanecessem unidos (Sl 133: 1; Jo 10: 10), fortes (Ef 3: 8- 10; I Co 3: 10- 11; Cl 2: 2- 3) e invencíveis (Ef 6: 10- 12; Sl 122: 1; Hb 10: 25; Ap 22: 20).

Pr. Sergio Lopes

Pr. Ev. Sérgio Lopes Voltar para o mergulhando



Levany Júnior

Levany Júnior é Advogado e diretor do Blog do Levany Júnior. Blog aborda notícias principalmente de todo estado do Rio Grande do Norte, grande Natal, Alto do Rodrigues, Pendências, Macau, Assú, Mossoró e todo interior do RN. E-mail: [email protected]

Comentários com Facebook




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.