A PALAVRA DO DIA-DESPIR-SE DE SI E REVESTIR-SE DE CRISTO (Comentário Ef 4.20-24)


Mas não foi assim que aprendestes a Cristo, se é que, de fato, o tendes ouvido e nele fostes instruídos, segundo é a verdade em Jesus, no sentido de que, quanto ao trato passado, vos despojeis do velho homem, que se corrompe segundo as concupiscências do engano, e vos renoveis no espírito do vosso entendimento, e vos revistais do novo homem, criado segundo Deus, em justiça e retidão procedentes da verdade.

Ef 4.20–24

20       Mas não foi assim que aprendestes a Cristo,

O que os cristãos aprendem de Cristo não encontra paralelos em outras religiões universais. E tudo o que os efésios haviam aprendido em sua antiga vida pagã deveria ser deixado agora. É de Cristo que os efésios aprenderiam como viver, e o que o Evangelho de Jesus os ensinaria entraria em profundo contraste com o que antigamente conheciam e com o que os falsos mestres estavam ensinando. A nova vida em Cristo os desafiaria a um novo modo de viver.⁠1

O apóstolo Paulo já os vinha desafiando quanto à nova vida, à nova forma de pensar, não mais na vaidade de seus pensamentos ou afeições carnais. Essa nova vida os faria parecidos com Deus e não mais com o que eram anteriormente. Cristo nos ensina a viver de um modo diferente.

Os cristãos devem ser diferentes dos “gentios”, segundo Paulo. Cristo os ensina a viver de um modo diferente. Cristo é nosso livro, nossa lição, nosso caminho e nossa grade curricular. Nós devemos aprender de Cristo, com Cristo e em Cristo.⁠2

21       se é que, de fato, o tendes ouvido e nele fostes instruídos, segundo é a verdade em Jesus,

Aqui, Paulo passa a exortá-los como faz com todos os demais cristãos. Seu desejo é fazê-los pensar em sua própria salvação. Todos devem pensar em sua salvação. Se, por um lado, o Espírito Santo testifica com nosso espírito de que somos filhos de Deus, há muitos que se professam cristãos, que estão no meio cristão, mas que não possui o testemunho interno do Espírito, e muito menos a alegria da vida eterna, além de não possuir nenhuma evidência dos frutos de uma nova vida, frutos de arrependimento e frutos do Espírito Santo.

Para estes, o auto-exame torna-se urgente. Obviamente, não só para estes. Todos devem realizar o auto-exame diariamente. E, sem dúvida, todos devem se questionar se é de Cristo que têm aprendido como viver.

Aos coríntios, Paulo escreveu algo parecido, porém de uma forma mais direta:

Examinai-vos a vós mesmos se realmente estais na fé; provai-vos a vós mesmos. Ou não reconheceis que Jesus Cristo está em vós? Se não é que já estais reprovados.

2Co 13.5

Todos devem constantemente se questionar se estão aprendendo de Cristo e se estão ouvindo a Cristo. É ele quem instrui os cristãos como viver. É dele que você e eu devemos buscar conselhos sobre como viver. Não apenas como viver na igreja, mas em todas as áreas e situações de nossa vida.

A verdade está apenas em Jesus, a verdade sobre o perdão, sobre o casamento, sobre o inferno, sobre o plano de Deus para sua vida, etc. Não queira conhecer verdades sobre qualquer coisa à parte de Cristo. Ele é o criador de todas as coisas e a verdade por traz de todas as coisas. A “verdade em Jesus” é usada em um sentido essencial. Ele é a essência da verdade e a mesma em sua mais alta perfeição.⁠3

Há alguns textos que nos ajudam a perceber um pouco mis da verdade em Jesus:

João 1.14: E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade, e vimos a sua glória, glória como do unigênito do Pai.

João 1.17: Porque a lei foi dada por intermédio de Moisés; a graça e a verdade vieram por meio de Jesus Cristo.

João 18.37: Então, lhe disse Pilatos: Logo, tu és rei? Respondeu Jesus: Tu dizes que sou rei. Eu para isso nasci e para isso vim ao mundo, a fim de dar testemunho da verdade. Todo aquele que é da verdade ouve a minha voz.

João 8.44: Vós sois do diabo, que é vosso pai, e quereis satisfazer-lhe os desejos. Ele foi homicida desde o princípio e jamais se firmou na verdade, porque nele não há verdade. Quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso e pai da mentira.

Os cristãos andam na verdade que aprenderam em Jesus.

22       no sentido de que, quanto ao trato passado, vos despojeis do velho homem, que se corrompe segundo as concupiscências do engano,

A principal palavra deste verso é despojeis (do grego ἀποτίθεμαι). Literalmente, esta palavra significa “por de lado”. Trata-se de uma figura de linguagem para nos ensinar que devemos parar de fazer o que antes estávamos acostumados, despindo-nos daquele antigo jeito ou forma de viver.⁠4

Quando Paulo fala sobre o velho homem, ele fala de algo que estava em nós, mas que agora não está mais. Assim como nos despimos de uma roupa, devemos nos despir do velho homem. Compare com estes versos:

Romanos 6.6: sabendo isto: que foi crucificado com ele o nosso velho homem, para que o corpo do pecado seja destruído, e não sirvamos o pecado como escravos;

Colossenses 3.9: Não mintais uns aos outros, uma vez que vos despistes do velho homem com os seus feitos

Algo que é instruído sobre o velho homem é que ele se corrompe. Ele se corrompe porque ainda existe. Nós nos despimos dele, mas ele não deixa de existir. E este velho homem que havia em nós se corrompia segundo as concupiscências do engano. O velho homem nada mais é do que o homem que sempre fomos e que, alguns, talvez ainda sejam. Por isso, Paulo os exorta a se auto-examinarem a fim de saberem se, de fato, foram revestidos do novo homem que não traz vícios ou mentiras como o antigo trazia.⁠5

Quando uma pessoa se converte a Cristo Jesus, experimenta uma profunda mudança em seu comportamento. Tal pessoa passa a viver uma nova posição diante de Deus. “O venho homem é posto fora, e nós podemos agora andar em novidade de vida através de Cristo.”⁠6

Não apenas nossa mente é mudada, mas nossa cidadania também. Passamos a nos ver mais como cidadãos do reino dos céus do que deste mundo. Nos vemos como peregrinos neste mundo. Somos uma “nova criação” em Cristo, feita por Cristo e para Cristo.

E, assim, se alguém está em Cristo, é nova criatura; as coisas antigas já passaram; eis que se fizeram novas.

2Co 5.17

Os desejos e as ideias da antiga criação, ou do velho homem, não devem controlar mais as nossas mentes. Como disse Wiersbe, como cristãos, não apenas tivemos nossas mentes mudadas, mas a nossa cidadania também mudou. Pertencemos a um outro reino, e nossas atitudes e desejos estão a cada dia sendo moldados pelos desejos e atitudes dessa nova vida.

Se você pertence a Cristo, você não pertence mais à corrupção que o pecado pode causar, mas você pertence a Cristo. Então, tanto os efésios quanto você e eu precisamos nos auto-examinar e continuarmos a nos despir de tudo o que está relacionado à corrupção do pecado. E como é que fazemos isso?

23       e vos renoveis no espírito do vosso entendimento,

Aqui está a resposta. Somente pela renovação de nosso entendimento das coisas é que poderemos viver despidos do velho homem. Enquanto nosso entendimento não form renovado, não conseguiremos nos despir da velha vida, dos velhos hábitos, dos velhos pecados.

Nosso “espírito” tem de se renovar. Paulo não está falando sobre o Espírito Santo, mas sobre o espírito de nosso entendimento. A palavra grega ἀνανεοῦσθαι (ananeoûsthai, ou seja, “[vos] renoveis”) implica “o renovar contínuo na fase inicial de um novo homem”. Isso é interessante, pois a língua grega possui outra palavra para a renovação continuada de um antigo estado, e não é isso que o texto está dizendo. A palavra aqui usada não trata de algo antigo que é renovado, mas de algo novo que continuará a ser renovado.⁠7

Além disso, é importante que entendamos que o espírito de nosso entendimento está em contraste com a “vaidade de nossos pensamentos” que acabam por “obscurecer nosso entendimento”. O homem que teve um encontro com Cristo possui um novo modo de pensar e de entender todas as coisas.

24       e vos revistais do novo homem, criado segundo Deus, em justiça e retidão procedentes da verdade.

Mais uma vez o texto usa a metáfora da roupa para nos ajudar a compreender o que significa nascermos de novo. Ser criado “de novo” segundo Deus (e não segundo os homens), o que traz verdadeira justiçam e retidão ao coração de quem nasceu de novo, faz com que o homem experimento o que é viver sem a “velha roupagem”, mas revestido com a misericórdia e a justiça de Cristo que o fazem um verdadeiro filho ou filha de Deus.

Todos nós poderemos ser usados por Deus para ajudar pessoas a caminharem para a santificação e para uma nova vida. Com estas palavras, Paulo demonstra sua preocupação em ajudar seus amigos e irmãos a crescer em sua santidade, a andarem em novidade de vida. Suas palavras demonstram o amor de alguém que se preocupa por que sabe que não há nada melhor para seus amigos do que ser renovado no entendimento e ver, dia após dia, Cristo sendo formado nos seus. O mesmo zelo Paulo demonstrou pelos gálatas:

Gálatas 4.19: meus filhos, por quem, de novo, sofro as dores de parto, até ser Cristo formado em vós;

Como escreveu Utley: “A nossa salvação é gratuita, mas nossa maturidade cristã custa tudo!”⁠8 Ser um verdadeiro cristão tem a ver com você morrer para poder nascer, você se despir e deixar tudo para que você possa se revestir e ser alguém totalmente novo, a cada dia mais novo.

 

1 Robert James Utley, Paul Bound, the Gospel Unbound: Letters from Prison (Colossians, Ephesians and Philemon, then later, Philippians), vol. Volume 8, Study Guide Commentary Series (Marshall, TX: Bible Lessons International, 1997), 114.

2 Matthew Henry, Matthew Henry’s commentary on the whole Bible: complete and unabridged in one volume (Peabody: Hendrickson, 1994), 2314.

3 Robert Jamieson, A. R. Fausset, e David Brown, Commentary Critical and Explanatory on the Whole Bible, vol. 2 (Oak Harbor, WA: Logos Research Systems, Inc., 1997), 351.

4 Johannes P. Louw e Eugene Albert Nida, Greek-English lexicon of the New Testament: based on semantic domains (New York: United Bible Societies, 1996), 657–659.

5 Marvin Richardson Vincent, Word studies in the New Testament, vol. 3 (New York: Charles Scribner’s Sons, 1887), 395.

6 Warren W. Wiersbe, The Bible exposition commentary, vol. 2 (Wheaton, IL: Victor Books, 1996), 40.

7 Robert Jamieson, A. R. Fausset, e David Brown, Commentary Critical and Explanatory on the Whole Bible, vol. 2 (Oak Harbor, WA: Logos Research Systems, Inc., 1997), 351.

8 Robert James Utley, Paul Bound, the Gospel Unbound: Letters from Prison (Colossians, Ephesians and Philemon, then later, Philippians), vol. Volume 8, Study Guide Commentary Series (Marshall, TX: Bible Lessons International, 1997), 114.



Levany Júnior

Levany Júnior é Advogado e diretor do Blog do Levany Júnior. Blog aborda notícias principalmente de todo estado do Rio Grande do Norte, grande Natal, Alto do Rodrigues, Pendências, Macau, Assú, Mossoró e todo interior do RN. E-mail: [email protected]

Comentários com Facebook




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.