Pai de Bernardo contrata novos advogados e recebe visita na prisão


bernardo_300

O advogado Jader Marques já tem novos advogados para o processo do assassinato do filho Bernardo em abril deste ano no Rio Grande do Sul. Ele será representado por Ezequiel Vetoretti e Rodrigo Grecellé Vares. Na tarde deste domingo (31), o acusado de planejar a morte do menino recebeu os dois profissionais em visita na Penitenciária de Alta Segurança de Charqueadas, onde está preso. Grecellé disse à RBS TV que eles ainda não tiveram acesso ao processo, portanto não há estratégia de defesa definida.

O corpo de Bernardo foi achado no dia 14 de abril enterrado em um matagal na área rural de Frederico Westphalen, a cerca de 80 quilômetros de Três Passos, no noroeste do estado, onde ele residia com a família. O menino estava desaparecido desde 4 de abril. Além de Boldrini, são réus no processo a madrasta, Graciele Ugulini, a amiga Edelvânia Wirganovicz e o irmão Evandro Wirganovicz. Eles estão presos e respondem pelos crimes de homicídio qualificado e ocultação de cadáver.

Vetoretti e Grecellé substituem Jader Marques, que na tarde de sábado (30) comunicou que teve os poderes para representar o acusado revogados devido a “divergências” na defesa. “Por divergências com Leandro Boldrini sobre a condução da sua defesa técnica, recebo com naturalidade a revogação dos poderes para atuar em nome deste nos procedimentos em que é parte”, declarou o advogado.

A decisão foi tomada um dia após a divulgação de dois novos vídeos de 2013 mostrando brigas de Graciele e Leandro com a criança. As gravações foram feitas pelo celular do médico e recuperados pela perícia após terem sido apagadas. As imagens são fortes. Em um trecho, o garoto aparece com uma faca e depois, com um facão, na mão (assista ao vídeo). Os arquivos foram obtidos pelo jornal Zero Hora.

Em um dos vídeos, de junho de 2013, o médico provoca o filho. “Isso aqui vai ser mostrado para quem quiser ver. Vamos lá, machão”, afirma. Com uma faca na mão, Bernardo pede que o pai pare de gravar imagens suas com o celular. De acordo com a polícia, Leandro e Graciele fizeram as imagens para mostrar que o menino tinha comportamento agressivo.

Imagens mostram nova briga entre pai e menino (Foto: Reprodução/G1)Imagens mostram nova briga entre pai e
menino (Foto: Reprodução/G1)

De acordo com o Instituto Geral de Perícias, seis equipamentos de propriedade do casal foram analisados: quatro aparelhos celulares, sendo que um deles estava danificado, um GPS e um tablet. O trabalho foi desenvolvido em duas semanas entre processamento e geração de laudos e anexos.

A reação do menino às gravações demonstra que essa era uma prática do casal. Várias vezes, Bernardo pede que o pai pare de gravar ou apague o vídeo. Na segunda gravação, Bernardo chora, escondido dentro de um armário.

Veja a transcrição do vídeo
Leandro: Abre a porta aqui, eu quero te mostrar uma coisa.
Bernardo: Não quero escutar nada.
Leandro: Não seja tão agressivo.
Bernardo abre a porta do banheiro: Porque tu é um idiota.
O menino pega uma faca
Leandro: É contigo. Tu tá agindo pelos teus próprios atos. Vamos, vai. Vamos ver se tu é corajoso. Isso aqui vai ser mostrado para quem tu quiser saber. Vamos, machão.
Bernardo vai para outro cômodo e abre um armário.
Bernardo: Não tem o que eu quero.
Leandro: O quê
Bernardo: Álcool.
Leandro: Para quê?
Bernardo: (inaudível). Não te interessa.
Em seguida, ele aponta a faca na direção do pai.
Leandro: Baixa essa faca. Baixa essa faca, rapaz.
Bernardo: Não abaixo.
Leandro: Faz alguma coisa comigo com essa faca comigo que tu vai ver.
Bernardo: Tá bom, então segura esse telefone.
Leandro: Larga isso, rapaz.

Bernardo: Não largo.
Leandro: Larga, tu tá me ameaçando?
Bernardo: Tô.
Leandro: Tu tá me ameaçando?
Bernardo: Tô
Leandro: E o que tu vai fazer comigo?
Bernardo: Não te interessa.
Leandro: E o que tu vai fazer comigo?
Bernardo: Não te interessa. Te odeio igual.
Leandro: Para com isso, rapaz. Para
Bernardo:(inaudível) Medroso…
Leandro: Para com isso. Para, rapaz. Tira essa faca.
Bernardo: Não, então dá o telefone.
Leandro: Não, o telefone é uma coisa minha. Inventa de fazer uma coisa comigo. Faz, faz!
Bernardo: Medroso.
Leandro: Tá, encerrou? Encerrou?
Bernardo: Não.
(Bernardo sai e pega um facão)
Leandro: Terminou teu show? Terminou teu show?
Bernardo: Não.
Leandro: Baixa esse facão, rapaz.
Bernardo: Não.
Leandro: Baixa essa merda, ai rapaz! Baixa essa merda, ai rapaz!
Bernardo: Então apaga o vídeo.
Leandro: Então tu primeiro larga essa coisa no chão.
Bernardo: Então para o vídeo. Senão eu não vou parar.
Leandro: Eu mando em você. Eu mando.
Bernardo: Tira o vídeo!
Leandro:  Tirei.

Na quinta-feira, vídeo de briga com casal e menino foi divulgado

Na quinta, o G1 teve acesso a outro  vídeo que mostra uma briga entre Bernardo, o pai, Leandro Boldrini, e a madrasta, Graciele. As imagens foram gravadas no celular do pai do menino em agosto de 2013.  O vídeo capta os pedidos de socorro de Bernardo, de 11 anos, assassinado em abril deste ano(assista ao vídeo ao lado e leia a íntegra da transcrição aqui).

O vídeo começa com a sombra de Leandro no chão do quarto da casa onde a família morava, em Três Passos, na Região Noroeste do Rio Grande do Sul. O pai de Bernardo liga a câmera e passa para Graciele enquanto o menino grita por socorro de um outro cômodo. É possível ver o rosto do médico neste momento das imagens. A madrasta pega o celular e o ajeita na cama do casal.

É possível ouvir Bernardo em outro cômodo gritando por socorro por mais de três minutos. Em seguida, o menino se aproxima para pedir o telefone emprestado para “denunciar” o pai. Leandro chama a atenção, pedindo que Bernardo cuide a irmã, que está no mesmo cômodo. Depois começa a discussão entre o menino e a madrasta, em que ocorrem as ameaças.

GNews - Menino Bernardo (Foto: globonews)Bernardo Boldrini foi encontrado morto em uma
cova  (Foto: Reprodução)

Entenda 
Conforme alegou a família, Bernardo teria sido visto pela última vez às 18h do dia 4 de abril, quando ia dormir na casa de um amigo, que ficava a duas quadras de distância da residência da família. No dia 6 de abril, o pai do menino disse que foi até a casa do amigo, mas foi comunicado que o filho não estava lá e nem havia chegado nos dias anteriores.

No início da tarde do dia 4, a madrasta foi multada por excesso de velocidade. A infração foi registrada na ERS-472, em um trecho entre os municípios de Tenente Portela e Palmitinho. Graciele trafegava a 117 km/h e seguia em direção a Frederico Westphalen. O Comando Rodoviário da Brigada Militar (CRBM) disse que ela estava acompanhada do menino.

O pai registrou o desaparecimento do menino no dia 6, e a polícia começou a investigar o caso. No dia 14 de abril, o corpo do garoto foi localizado. Segundo as investigações da Polícia Civil, Bernardo foi morto com uma superdosagem de um sedativo e depois enterrado em uma cova rasa, na área rural de Frederico Westphalen.

O inquérito apontou que Leandro Boldrini atuou no crime de homicídio e ocultação de cadáver como mentor, juntamente com Graciele. Ainda conforme a polícia, ele também auxiliou na compra do remédio em comprimidos, fornecendo a receita Leandro e Graciele arquitetaram o plano, assim como a história para que tal crime ficasse impune, e contaram com a colaboração de Edelvania e Evandro.

veja também



Levany Júnior

Levany Júnior é Advogado e diretor do Blog do Levany Júnior. Blog aborda notícias principalmente de todo estado do Rio Grande do Norte, grande Natal, Alto do Rodrigues, Pendências, Macau, Assú, Mossoró e todo interior do RN. E-mail: [email protected]

Comentários com Facebook




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.