NATAL RN-XENOFOBIA: Torcedores do São Paulo abusam de preconceito em redes sociais contra abecedistas


Nesta quarta-feira (15), acontecerá no estádio Frasqueirão o jogo de volta entre ABC x São Paulo, válido pela terceira fase da Copa do Brasil. O primeiro jogo no Morumbi o resultado foi positivo para a agremiação paulista, vencendo por 3×1.

Infelizmente, se repete um problema antigo nas redes sociais. A ação de um grupo isolado de são paulinos têm manchado de forma triste a história do confronto.

Ataques xenofóbicos são realizados diariamente, onde tentam desmerecer o time do ABC e seus torcedores simplesmente pelo fato de ser nordestino. Por mais retrógrado que isso possa parecer, esse não é um caso isolado e acontece quase sempre quando existe algum confronto entre times NORDESTE x Sul ou Sudeste.

É importante que não haja uma generalização e que todos os torcedores são paulinos sejam responsabilizados por esse ato, mas é necessária sim uma cobrança contra a impunidade e uma severa punição contra quem ainda faz isso.

Veja abaixo:

Comentários (10) enviar comentário
  1. Adriano Jr

    Eu fico imaginando que tipo de gente é essa que xinga outras pessoas dessa forma. O único sentimento que tenho por gente assim é DÓ e PENA

  2. ARRAIAMIUDASP

    Filhos de goiamum , cabeças compridas quem será o pai !!!

  3. E Chamar de bambi pode?

  4. Márcio

    E muita ignorância não vale a pena nem responder esses babacas, os que podem viajar para o nordeste quando chegam aqui ficam maravilhados com a qualidade de vida que temos, pra cima deles Mais querido.

  5. Lutemberg

    Não diria xenofobia, está mais pra ignorância mesmo. Conheço um pouco de SP, tanto capital quanto arredores, e sem duvidas, a imensa maioria dos que fizeram esses comentarios ridiculos moram em favelos imundas, guetos, “quebradas” e se vangloriam de “morar” em São Paulo, quando, na verdade, gostariam, e muito, de terem o privilégio de morar em uma cidade linda como a nossa capital. A eles, apenas o silêncio, a melhor resposta a ser dada aos ignorantes.

  6. @brasil

    As Bambi paulista estão em polvorosa. Podem malhar pq vcs são acostumados a fazer isso com os nordestinos, depois se matam de trabalhar pra juntar dinheiro e inteirar um pacote da CVC e vir curtir Ponta Negra, bairro do Mais querido, o maior campeão estadual do Brasil. Deve ser a raiva do timão que também é alvinegro. Kkkkkkk

  7. henrique

    Coitados! vergetão em São Paulo e vem tirar onda com o Nordeste, ainda mais não sabem geografia pesão que o Nordeste é Norte,

  8. Filipe Araújo

    Quanto orgulho eu tenho de ser cabeça chata, ter os pés rachados e morar nessa aldeia. Oh terrinha veia boa. Tudo doido querendo vim passar as férias na “aldeia” mas infelizmente o dinheiro não dá. Kkkkkk.

    • Dr. Thiago (com doutorado)

      Pense numa preocupação nossa, aqui pelo menos tem cabra macho, lá é só bambi.
      Já dizia meu avô: “quem desdenha, quer comprar”

  9. César Rodrigues

    Obs preconceito generalizado contra os nordestinos

Publicidade

Vasco tropeça no Macaé, que perdeu tudo na Taça GB, e pressão aumenta

O Vasco voltou com Pikachu e Guilherme Costa nos lugares de Gilberto e Wagner. A equipe voltou disposta a partir para cima e quase empatou aos quatro minutos, quando Rodrigo, de cabeça, carimbou o travessão. Aos 11, Douglas assustou em cobrança de falta. Marquinho respondeu em chute defendido por Martín Silva. No escanteio, a zaga do Vasco novamente falhou, e Alan, livre, cabeceou para fora, com muito perigo.

Cristóvão então sacou Kelvin para a entrada de Muriqui, o que significava que Luís Fabiano ficaria em campo até o fim do jogo. E ele participou do gol de empate. Cabeceou para defesa de Milton Raphael, mas o rebote serviu para Rodrigo mandar para a rede: 2 a 2. E o time logo relaxou de novo. Hudson teve mais duas grandes chances. Aos 36, falta na entrada da área, e quem mandou na trave foi Nenê. A partir daí, o Macaé conseguiu administrar o resultado. Muitas vaias e gritos de “fora” para Cristóvão Borges.

 

Globo Esporte

enviar comentário
Publicidade

De olho em 2018, Lula anda obcecado com as redes sociais

Em campanha para 2018, Lula anda obcecado com as redes socias. Ele passou a acompanhar avidamente a audiência de cada postagem que faz.

 

Veja

Comentários (2) enviar comentário
  1. Celia

    Que absurdo esse homem livre. Moro cadeia nesse político ladrão. O Brasil só marginal.. drogados e esses ladrões é esse o legado desse PT.

  2. paulo martins

    De Curitiba ou da Papuda ele terá mais tempo para se dedicar à audiência e interagir com seus seguidores.

Publicidade

Nova regra do cartão restringe pagamento mínimo da fatura a 1 mês; entenda

As regras para o uso do rotativo do cartão de crédito vão mudar. A partir do dia 3 de abril, os clientes terão restrições para fazer o pagamento mínimo da fatura e acessar o crédito rotativo. A determinação foi divulgada pelo Banco Central no dia 26 de janeiro, e tem gerado dúvidas entre os consumidores. A principal mudança é que, ao contrário do que acontece atualmente, quem optar por fazer o pagamento mínimo da fatura não poderá fazer essa opção por vários meses consecutivos.

A novas regras foram criadas para coibir o uso do rotativo e obrigar os bancos a oferecer uma solução de parcelamento para o cartão de crédito com juros mais baratos. A taxa de juro do rotativo encerrou o ano passado em 484,6% ao ano, segundo dados do Banco Central que considera a média de todas as instituições financeiras.

A novas regras foram criadas para coibir o uso do rotativo e obrigar os bancos a oferecer uma solução de parcelamento para o cartão de crédito com juros mais baratos. A taxa de juro do rotativo encerrou o ano passado em 484,6% ao ano, segundo dados do Banco Central que considera a média de todas as instituições financeiras.

 

G1

enviar comentário
Publicidade

6 pensamentos comuns que arruinam os planos de quem quer perder peso

A pessoa começa a se alimentar de uma forma diferente e mais saudável, decide fazer exercícios físicos, deixa de ser sedentária, mas, mesmo assim, não emagrece. Ou então, até consegue perder peso, mas tempos depois ganha tudo de novo.

Segundo o psicólogo Odair Comin, o problema pode estar na mente . O especialista explica que perder peso depende de diversas etapas, entre elas, reeducação alimentar, criação de hábitos saudáveis com exercícios físicos e a mais importante: a ressignificação na forma de pensar e se relacionar com o alimento. Simplificando, isso quer dizer que alguns pensamentos do dia-a-dia podem arruinar tudo.
“A mente é uma ferramenta extremamente poderosa que pode ser aliada do ser humano, mas muitas vezes se coloca como principal inimiga. Grande parte das vezes que um paciente apresenta um ganho de peso significativo a causa está relacionada com algum tipo de transtorno psicológico e mental, por isso, mais importante que mudar o cardápio e assinar um plano de academia, é essencial que o fator do aumento dos ponteiros da balança seja investigado e tratado para aí, sim, obter sucesso no processo de emagrecimento”, explica Odair. Confira as ideias que devem ser repensadas AQUI

 

IG

enviar comentário
Publicidade

Preço do camarão dispara, e quilo já sai por R$ 300 no mercado

Como cantado no hit dos Originais do Samba, “assassinaram o camarão”. A presença de um vírus que mata o animal nos criadouros derrubou em 20% a produção do setor de cultivo em cativeiro em 2016. A essa retração foram adicionados temores de que poderia faltar o item no mercado, numa receita que salgou o preço do crustáceo.

O quilo vendido pelos produtores dobrou de preço de junho do ano passado até janeiro, para R$ 30, segundo a Associação Brasileira de Criadores de Camarão (ABCC). Com o defeso (período em que a pesca é proibida) do camarão do mar, de março até o fim de maio, a situação se agrava. Nos supermercados, há embalagens com porções dessa — por ora — rara iguaria congelada com preços que beiram R$ 300, o quilo. No Mercado São Pedro, mercado de peixes em Niterói, as vendas para o grande público caíram em 50%. Nos restaurantes, já há problemas de fornecimento e prejuízos. No cardápio do consumidor, o prato rareou ou saiu de cena.

— A mancha branca chegou ao Brasil por Santa Catarina em 2003/2004. Em junho do ano passado, ela chegou ao Ceará, que é o principal produtor de camarão do Brasil. A indústria está solucionando o problema e esperamos que, após a Semana Santa, o preço comece a ceder, podendo voltar a R$ 25 — conta Itamar de Paiva Rocha, presidente da ABCC, destacando que a produção de camarão cultivado é duas vezes maior que a da pesca extrativa.

No varejo, a chegada do camarão no pódio do preço alto foi freada pela turbulência da recessão.

— O preço que pagamos a fornecedores subiu 120%. Mas, com a crise, não dá para repassar isso ao consumidor. Reajustamos em 60% e absorvemos o resto, reduzindo margem, e apostamos em promoções de peixes para estimular as vendas. As de camarão encolheram em 30% — explicou Pietrangelo Leta, vice-presidente comercial dos Supermercados Zona Sul.

DOENÇA NÃO AFETA CONSUMIDOR

Está difícil, porém, convencer o consumidor a não retirar o camarão da empada. O preço do produto subiu 31,29% nos 12 meses terminados em fevereiro, segundo o IBGE. É sete vezes mais que a inflação dos alimentos nesse período, que foi de 4,34%.

 

O Globo

Comentário (1) enviar comentário
  1. Edu

    A solução é não comprar, a baixa procura faz com que baixem os preços, lembrando que essa alta é um suicídio para os produtores do crustáceo, pois o cidadão comum não costuma comprar camarão para o dia a dia, e sim, para datas festivas, e o preço estando elevado a tendência é a mudança dessa iguaria por outra menos cara.

Publicidade

Uma em cinco mulheres fará aborto até os 40 anos, diz estudo

A segunda edição da Pesquisa Nacional de Aborto (PNA), realizada em 2016 pelo Anis Instituto de Bioética e pela Universidade de Brasília (UnB), aponta que 20% das mulheres terão feito ao menos um aborto ilegal ao final da vida reprodutiva, ou seja, uma em cada cinco mulheres aos 40 anos terá abortado ao menos uma vez. De acordo com os dados, em 2015, 417 mil mulheres nas áreas urbanas do Brasil interromperam a gravidez, número que sobe para 503 mil se for incluída a zona rural. O tema volta ao debate depois que uma nova ação chegou ao Supremo Tribunal Federal (STF) pedindo a descrminalização do aborto até a 12ª semana de gestação, em qualquer situação.

Segundo a pesquisa, a mulher que aborta tem entre 18 e 39 anos, é alfabetizada, de área urbana e de todas as classes socioeconômicas, sendo que a maior parte (48%) completou o ensino fundamental e 26% tinham ensino superior. Do total, 67% já tinha filhos. A pesquisa aponta ainda que a religião professada não é impeditivo para o ato, pois 56% dos casos registrados foram praticados por católicas e 25% por protestantes ou evangélicas.
“Há tanto aborto no Brasil que é possível dizer que em praticamente todas as famílias do País alguém já fez um aborto – uma avó, tia, prima, mãe, irmã ou filha, ainda que em segredo. Todos conhecemos uma mulher que já fez aborto”, conclui o levantamento, que trata o tema como saúde pública.

A publicação do Ministério da Saúde” 20 anos de Pesquisa Sobre Aborto do Brasil”, de 2009, também traça um perfil de quem interrompe a gravidez no País. Segundo a pesquisa, são “predominantemente mulheres entre 20 e 29 anos, em união estável, com até oito anos de estudo, trabalhadoras, católicas, com pelo menos um filho e usuárias de métodos contraceptivos, as quais abortam com misoprostol [remédio abortivo popularmente conhecido como Cytotec]”.

Ao 38 anos, a professora Maria* mora em Brasília e relata que já fez aborto duas vezes, por razões diferentes, mesmo após já ter dois filhos. Com doutorado na área de ciências sociais, em 2003 se submeteu ao procedimento ilegal por estar em processo de separação.

“Ser criminalizado é péssimo, foi uma situação muito difícil. Tentei com Cytotec, mas não funcionou. Somente na terceira tentativa, com a inserção de um líquido em uma clínica, que doeu um absurdo, imediatamente começou a hemorragia. Conclui o procedimento com a curetagem na rede pública e consegui uma receita de benzetacil [antibiótico penicilina] para tomar todo dia por uma semana”, lembra.

Já em 2008, ela estava concluindo um mestrado quando engravidou e o pai da criança a acusou de “golpe da barriga”. Ele pagou pelo procedimento em uma clínica. “O pai forçou a barra, eu queria ter, já estava empregada e foi logo após perder uma amiga, que morreu por causa de um aborto mal sucedido. Mas aceitei porque precisa me concentrar para terminar o mestrado”, disse.

A artista plástica Ana*, também de Brasília, relata que não exitou quando teve uma gravidez indesejada e decidiu fazer um aborto. Na época com 28 anos e uma filha, havia descoberto uma traição do companheiro e decidido terminar a relação. “Eu sabia muito bem a dedicação que a criação de um filho exige. Morava com meus pais e não tinha condições de me sustentar. Fazia faculdade e trabalhava. Não sabia por onde começar, ou o que fazer. Contei para uma amiga, ela me acolheu e me ajudou muito. Contei para o parceiro e para a família e eles também me ajudaram. Com a indicação de uma médica, fui a uma clínica em Goiânia e o meu parceiro me acompanhou”.

Ela conta que o procedimento foi muito rápido, mas que teve medo de morrer. “A anestesia não fez efeito direito e eu senti aquele ‘aspirador’ sugar tudo. O médico, assim como apareceu, sumiu, parecia até alucinação. A enfermeira, em seguida, me empurrou antibiótico, anti-inflamatório e analgésico e me fez levantar da maca. Saí em seguida caminhando pela rua com meu companheiro, sem entender o que tinha acontecido. Nos dias que se seguiram fiquei com medo de acontecer alguma coisa, achei que não estivesse bem, nem conseguia dormir. Alguns meses depois, vi no jornal a clínica sendo descoberta pela polícia”, conta.

 

Terra

enviar comentário
Publicidade

“Duvido que vão continuar chamando o PT de corrupto”, disse Dilma

A presidente cassada Dilma Rousseff disse ontem, durante um festival de cinema em Genebra, que não negociou, pediu nem recebeu propina ou recurso ilegal na campanha de 2014, quando disputou a reeleição com o então vice e hoje presidente Michel Temer.

Segundo ela, as delações da Odebrecht mudam o cenário político. “Duvido que vão continuar chamando o PT de corrupto. Sabe por quê? Porque não sobra ninguém nos outros.”

A presidente cassada disse também que, depois que as denúncias atingiram outros partidos, notou uma mudança na forma de tratar o financiamento irregular de campanhas eleitorais. Nesta semana, o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (STF), Gilmar Mendes, disse que as empresas “optam” por doações via caixa 2 para evitar serem achacadas por outros políticos.

“Por que será que ele fala sobre isso agora? É muito interessante. Eu passei uma campanha eleitoral e não escutei nada disso. Agora, como o assunto não tem como deixar de chegar ao PSDB, e já chegou, falam essas coisas”, disse. Para ela, os grampos das conversas entre membros da oposição, que acabaram sendo publicadas pela imprensa em 2016, revelaram que havia uma “conspiração” que “envolvia o PSDB”.

O PSDB moveu ação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) contra a chapa Dilma-Temer sob a acusação de abuso de poder econômico e político. Marcelo Odebrecht, em depoimento ao TSE, afirmou que a presidente cassada tinha conhecimento de caixa 2 na campanha.

 

Época

Comentários (3) enviar comentário
  1. JOAO MARIA

    Vão chamar o PT de que?

  2. cabral

    Diz coisa com coisa e doida essa Louca

  3. osvaldo

    Com certeza a elite entre aspas e assim mesmo , vão achar que nós somos pobre.

Publicidade
Publicidade

Blog do BG associado

BG na rede

Blog do BG: http://blogdobg.com.br/#ixzz4bANq3xAn



Levany Júnior

Levany Júnior é Advogado e diretor do Blog do Levany Júnior. Blog aborda notícias principalmente de todo estado do Rio Grande do Norte, grande Natal, Alto do Rodrigues, Pendências, Macau, Assú, Mossoró e todo interior do RN. E-mail: [email protected]

Comentários com Facebook




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.