NATAL RN-Presidente do PCdoB em Natal afirma que aliança com Álvaro Dias seria “bem-vinda”


PCdoB lançou nas últimas semanas a pré-candidatura do auditor fiscal Fernando Freitas à Prefeitura do Natal em 2020

O presidente do Diretório Municipal do PCdoB em Natal, Christian Vasconcelos, afirmou nesta segunda-feira (2) que seria “bem-vinda” uma aproximação política entre o campo da esquerda e o atual prefeito de Natal, Álvaro Dias. Segundo o líder partidário, o prefeito seria “um aliado importante” de legendas como o PCdoB caso assumisse uma postura mais “progressista”.

“O prefeito Álvaro Dias poderá ser um aliado importante das forças populares e progressistas? Eu acredito que sim, mas tudo vai depender da forma como ele vai se posicionar politicamente nos próximos meses”, disse Christian, em entrevista ao programa Manhã Agora, da Rádio Agora FM (97,9).

Segundo o presidente do PCdoB Natal, o partido está disponível para conversar com “todas as forças políticas” que se disponham a defender o programa da legenda – que projeta Natal como uma cidade “moderna, democrática e garantidora de direitos”.

“Ele (Álvaro Dias) poderia compor esse campo, fazendo um enfrentamento à política do governo Bolsonaro, que corta recursos e transfere a conta-gotas recursos para as cidades. Há possibilidade de o prefeito vir para o nosso campo. Se acontecer, será bem-vinda”, complementou Christian.

Apesar de defender uma aliança com Álvaro Dias, o líder do PCdoB em Natal fez críticas à gestão do atual prefeito. “Do ponto de vista da educação, da saúde, da cultura e do desenvolvimento econômico, tem deixado a desejar”, afirmou Christian, que é jornalista de formação.

O PCdoB lançou nas últimas semanas a pré-candidatura do auditor fiscal Fernando Freitas à Prefeitura do Natal em 2020. A notícia surpreendeu, pois, historicamente, o partido é aliado do PT – que, por sua vez, também anunciou que pretende ter candidatura própria nas eleições deste ano. Segundo Christian, é possível que as duas legendas defendam projetos distintos na próxima eleição.

“Não é o mais desejado pelo partido (não se aliar). O partido sempre busca aglutinar forças do campo popular, democrático e progressista em torno de um programa. Lançamos uma pré-candidatura que está defendendo esse programa e estamos partindo para a discussão com os partidos tradicionalmente aliados, com o objetivo de construir um projeto único. Se não for possível, entre julho e agosto estaremos avaliando que caminho tomar”, emendou o presidente do PCdoB.

Além de uma pré-candidatura a prefeito, o partido também tem formado uma lista de pré-candidatos a vereador, com o objetivo de obter pelo menos dois assentos na Câmara Municipal de Natal. A última representação da legenda no Legislativo da capital foi perdida em 2016, quando o então vereador George Câmara não conseguiu ser reeleito.

Discussão Metropolitana

O presidente do PCdoB Natal, Christian Vasconcelos, defendeu ainda que a discussão de temas de interesse da cidade – como planejamento urbano e mobilidade – não aconteça de forma isolada. Ele pregou que os gestores da capital potiguar dialoguem com os gestores de cidades vizinhas, como Parnamirim, São Gonçalo do Amarante e Extremoz, para resolver problemas comuns.

“Natal não pode tratar os seus problemas de forma isolada em relação aos demais municípios da região metropolitana. Natal tem problemas comuns que só podem ser solucionados se houver entendimento com Extremoz, Parnamirim, São Gonçalo… O problema da mobilidade é um problema metropolitano. Além disso, a discussão sobre o Plano Diretor precisa ser feita em sintonia com os demais municípios”, argumentou.

Sobre o Plano Diretor – cuja revisão está em discussão em Natal –, Christian Vasconcelos manifestou preocupação com o projeto da Prefeitura de autorizar a construção de prédios maiores na cidade. Ele registrou que Natal já tem o 6º maior adensamento entre as capitais brasileiras mesmo com parte significativa do território (de acordo com ele, cerca de 70 km²) ocupada por zonas de proteção ambiental.

“Por outro lado, Natal é uma cidade ambientalmente muito frágil. É construída sobre dunas, tem o Rio Potengi, os mangues. Então, tem que ter preocupação com nossos mananciais. O adensamento deve ser feito com uma preocupação muito grande com relação ao esgotamento sanitário e à capacidade efetiva de oferta de água”, ressaltou.

O presidente do PCdoB pediu, ainda, cautela na análise desses assuntos. “Eu acredito que é possível ampliar o adensamento em muitas áreas, mas isso precisa ser feito com calma e profundidade. É uma discussão que não pode ser feita, em hipótese alguma, a toque de caixa”, complementou.

ÚLTIMAS



Comentários com Facebook




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.