MOSSORÓ RN-Dois corpos encontrados numa vala; um atentado com morte e uma criança de 2 anos bealada


Crédito da foto: Reprodução/Fim da LinhaEquipe do Itep recolheu corpos que estavam em galeria de esgoto

No primeiro dia de paralisação dos policiais militares e bombeiros, a violência se agravou em Mossoró, segunda maior cidade do Rio Grande do Norte. Pela manhã e início da tarde foram registrados mortes em duas áreas urbana.

Por volta das 10h, um atentado próximo à praça Wilma Maia, no bairro Belo Horizonte (zona sul), terminou com uma morte e três pessoas feridas.

No início da tarde, corpos de duas mulheres foram encontrados numa vala de esgotos no bairro Paredões (zona norte). As vítimas ainda não foram identificadas.

No caso do bairro Belo Horizonte, segundo registros, Lucas Pereira Gomes de 19 anos de idade, morreu a caminho da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro. Rui Mauricio de Oliveira de 22 anos, levou três tiros nas costas, foi socorrido por uma equipe do Samu; Maria Paula, de 56 anos, tia de Mauricio, também foi baleada de raspão no braço e uma menina de apenas dois anos levou um tiro transfixante no braço e também foi levada pelos seus pais, numa moto para o Hospital Regional Tarcísio Maia.

Ainda não há informações sobre a motivação para o atentando, mas segundo informações, duas das vítimas estavam conversando quando foram surpreendidas por elementos que chegaram num carro escuro.

As outras vítimas foram atingidas por balas perdidas.

 

A GREVE DA POLÍCIA

O presidente da Associação dos Praças da Polícia Militar de Mossoró e Região (APRAM), Tony Fernandes, informou que a paralisação dos PM’s na segunda maior cidade do Rio Grande do Norte atingiu 100%. A declaração foi dada na Associação dos Servidores da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Assufersa) onde os policiais estão concentrados.

Segundo Fernandes, nenhuma viatura está circulando pela cidade neste primeiro dia de paralisação da categoria. Ele disse ainda que o movimento é por tempo indeterminado.

Em Natal, policiais e bombeiros amanheceram o dia Centro Administrativo e ocuparam a rampa da Governadoria, sede do Governo do Estado, conforme mostra o vídeo abaido:

“A parada é por tempo indeterminado. Nenhuma viatura saiu as ruas hoje para o patrulhamento. Mossoró está parado. O governo não apresentou nada de concreto e não há nenhuma previsão de pagamento. Está faltando sensibilidade do governo. Quando ele negociar a conversa tende a avançar”, disse Tony aos presentes.

Tony Fernandes confirmou que, além de Mossoró, o efetivo em Apodi, Baraúna, Governador Dix-Sept Rosado e Tibau também paralisou as atividades.

A orientação da Associação dos Subtenentes e Sargentos Policiais Militares e Bombeiros Militares do Rio Grande do Norte (ASSPMBMRN) é que devem ficar aquartelados efetivos suficientes apenas para garantir a segurança do patrimônio das próprias corporações.

A interrupção das atividades por parte dessa área da segurança pública potiguar foi confirmada nesta semana. Na última terça-feira (11), a Associação dos Subtenentes e Sargentos Policiais Militares e Bombeiros Militares do RN (ASSPMBMRN) reafirmou que a suspensão dos serviços estava mantida.

A entidade informou, na ocasião, que a categoria tinha decidido manter a mobilização, após uma reunião com representantes do Governo do Estado. Segundo a Associação, o encontro ocorrido no início desta semana não teve avanço na negociação das demandas reivindicadas, principalmente no tocante à atualização salarial.

A ASSPMBMRN disse que, diante da falta de acordo, a categoria realizou uma assembleia que deliberou por unanimidade pela interrupção das atividades a partir deste de hoje. Nas últimas semanas, a categoria realizou uma série de assembleias por todo o estado que caminhavam para a paralisação.

Ainda de acordo com a Associação dos Subtenentes e Sargentos Policiais Militares e Bombeiros Militares do RN, a principal reivindicação da categoria é a atualização salarial e o pagamento das folhas salariais em atraso, além de pagamento das promoções já efetivadas, efetivação das promoções e atualização dos níveis remuneratórios.

Militares estaduais falam em déficit salarial de mais de 60%

Responsáveis pelo policiamento ostensivo, com patrulhamento de rua e atendimento de ocorrências, os policiais e bombeiros militares do Rio Grande do Norte enfrentam um déficit salarial de mais de 60%. A informação é da Associação dos Subtenentes e Sargentos Policiais Militares e Bombeiros Militares do RN (ASSPMBMRN).

Segundo o presidente da entidade, o subtenente Eliabe Marques, o déficit salarial dos militares atualmente chega a 60,49%. Ele informou nesta semana que a categoria não recebe ao menos a reposição inflacionária há cinco anos.

A ASSPMBMRN afirma que os militares do RN possuem o pior salário inicial da Federação na carreira policial e uma diferença extrema entre as demais forças de segurança. A entidade defende que a tão aclamada redução na violência estadual é resultado do trabalho policial.

“Os índices de violência têm diminuído em todo o RN, vemos isso sendo noticiado pelos institutos de pesquisa, jornais e até mesmo pelo próprio Governo. Esse resultado se dá graças ao sacrifício e abnegação dos militares estaduais, que merecem uma contrapartida do Governo pelo seu bom trabalho”, ressaltou o presidente da Associação dos Subtenentes e Sargentos Policiais Militares e Bombeiros Militares do RN.

Representantes da categoria voltaram a se reunir com o Governo do Estado nesta sexta-feira (14). Mas, até o fechamento desta matéria, não havia informação sobre qualquer suspensão da parada anunciada no decorrer desta semana. Confira na página seguinte matéria completa sobre essa reunião.

Tags:

Polícia Militar
paralisação
APRAM
policiais
bombeiros

VOLTAR



Comentários com Facebook




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.