MACAU RN -Candidaturas dos filhos de Garibaldi, Robinson Faria e Agripino são as mais ricas


atores-fabio-faria-2d3c68

Jovens, filhos de políticos influentes e cheios de dinheiro na conta da campanha. É assim que estão os candidatos a deputado federal Walter Alves (PMDB), Fábio Faria (PSD) e Felipe Maia (DEM), que aparecem, nesta ordem, como os detentores das campanhas mais caras para a Câmara Federal. Segundo dados do portal do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a campanha dos três, juntos, já ultrapassou a casa dos R$ 2,7 milhões.

Novato na disputa, o deputado estadual Walter Alves, filho do ministro da Previdência Social Garibaldi Alves Filho, tem a campanha mais rica até o momento. Já foram doados para ele, exatos, R$ 1,089 milhão, e há, pelo menos, 10 grandes empresas nacionais e internacionais nesta lista de doadores. A Alpargatas, por exemplo, doou R$ 200 mil; o banco Itaú, R$ 75 mil; o Safra, 30 mil; a CRBS, R$ 80 mil; a Prada, mais R$ 300 mil; e a Vale, R$ 50 mil, mesmo valor doados pela Alesat, Gerdau e pelo banco BTG.

Deputado federal, Fábio Faria, filho do candidato ao Governo do RN, Robinson Faria, não ficou muito atrás. Até agosto, ele já havia recebido R$ 915 mil de doações. Teve menos doadores que Walter Alves, mas as quantias recebidas foram maiores. A JBS, grupo dona da marca Friboi, por exemplo, doou R$ 500 mil para a campanha do peessedista vice-presidente da Câmara Federal. O banco BTG “chegou junto” com outros R$ 250 mil; a construtora MRV, R$ 100 mil e o banco Itaú, mais R$ 50 mil.

Também deputado federal e filho do senador José Agripino, presidente nacional do DEM, Felipe Maia é o terceiro da lista de maiores arrecadadores da disputa pela Câmara Federal. O parlamentar recebeu, segundo o Tribunal Superior Eleitoral, R$ 740 mil em doações. A principal doadora foi a empresa Koleta Ambiental, que doou R$ 350 mil para o democrata.

A Koleta Ambiental Ltda se coloca como a maior empresa da América Latina no seu segmento: a coleta, transporte e destinação final de lixo e resíduos sólidos. Além dessa empresa, a JHV doou R$ 100 mil; a Arosuco, R$ 90 mil; e a potiguar Guararapes, R$ 50 mil.

PRÓPRIO BOLSO

Enquanto os filhos de Garibaldi, Robinson e Agripino têm as campanhas mais ricas, na disputa pela Câmara Federal há também aqueles que gastam dinheiro do próprio bolso para sustentar suas candidaturas. O principal exemplo é a médica Zenaide Maia, irmã do deputado federal João Maia, do PR. Ela, sozinha, já doou R$ 114 mil para a própria candidatura.

E, além disso, Zenaide contou com a ajuda do marido, o atual prefeito de São Gonçalo do Amarante, Jaime Calado, para viabilizar os gastos da campanha. Calado doou outros R$ 50 mil para a candidatura da mulher que, ao todo, soma um total de R$ 325 mil.

Além dela, há também registros de doações próprias para as candidaturas de Sandra Rosado (doou R$ 40 mil para a campanha); Paulo Wagner (se doou R$ 60 mil); e Rafael Motta (se doou R$ 38 mil). Fafá Rosado, candidata a federal pelo PMDB, estava em um momento de dificuldade na primeira parcial da prestação de contas, contudo, agora, ficou mais folgada.

Antes, ela tinha apenas os R$ 40 mil doados pelo marido, o deputado estadual Leonardo Nogueira, do DEM. Agora, já chegou a casa dos R$ 391 mil, com a ajuda do PMDB. Rogério Marinho, do PSDB, também tem doações de familiares na prestação de contas: do pai, Valério Marinho, que doou R$ 7 mil para ele.

 

Avalie esta postagem



Levany Júnior

Levany Júnior é Advogado e diretor do Blog do Levany Júnior. Blog aborda notícias principalmente de todo estado do Rio Grande do Norte, grande Natal, Alto do Rodrigues, Pendências, Macau, Assú, Mossoró e todo interior do RN. E-mail: levanyjunior@blogdolevanyjunior.com

Comentários com Facebook




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *