GUAMARÉ RN-Não se mede o preço que a população paga pela MOROSIDADE do serviço público em Guamaré


Toda gestão tem seus déficits, e aquela que não teve falhas seja a primeira a atirar a pedra neste canal de noticias local.

Entre alguns aspectos negativos que vem intrigando a população nos últimos meses, podemos destacar a deficiência no atendimento ao povo.

Em busca de resposta, este editor procurou um secretário de coturno alto, que tem passe livre nas dependências do legislativo e executivo, para fazer uma pergunta que todos gostariam de fazer.

“Porque a secretaria considerada uma das mais importantes do governo e para o desenvolvimento do município, vem trabalhando a passos de tartaruga?”.

A resposta não veio a galope, foi The Flash.

“Demoras de pareceres e travamento nos processos está deixando que os serviço público sejam melhor prestados a nossa população por falta de compromisso por parte daqueles que foram nomeados para resolver o problema, e não puxar o feio de mão da máquina, é preciso uma reforma administrativa para que a eficiência sufoque a morosidade”. Comentou o secretário sem querer se identificar.

Acreditem…

Programas importantes de secretarias ainda não foram ativados por falta de um parecer, alguns que foram, mas não estão funcionando pela burocracia ou falta de interesse por secretário que foram nomeados por compromisso politico, e não por competência de gerenciar uma pasta.

O que se ver é uma morosidade atrelada à falta de sintonia na equipe, isto vem incomodando muita gente que trabalha dia e noite para a locomotiva andar. Sem ação em tempo, o trabalho não flui e os resultados não chegam.

Um dos responsáveis por essa morosidade não é a preocupação com a tal da legalidade, um dos pilares de toda gestão.

A legalidade tem que ser essencial em toda gestão, só que ela se não for bem operada, leva a burocracia e está, por sua vez, pode corroer outro pilar importante a Eficiência.

Mas será que as duas podem caminhar juntas em uma gestão sem uma servir para correr a outra? É possível sim.

No entanto, é preciso um trabalho em equipe que exige concentração e sintonia de todos os membros para dá mais agilidade aos processos.

Como funciona?

Para o processo de empenho de negibilidade ou dispensa, por exemplo, o secretário (a) da prefeitura protocola o pedido da secretaria no setor de protocolo. De lá, é encaminhado ao gabinete do prefeito.

Do gabinete segue para a contabilidade, feito o processo, volta para o gabinete do chefe do executivo, depois é encaminhado para procuradoria para fazer a máquina andar dentro da legalidade.

Depois de passar por este departamento, o processo volta para a secretaria de origem para conclusão, e depois volta para prefeitura ao setor de finanças para em fim efetuar o pagamento.

O processo é extenso, é cansativo, não seria tão estressante se não fosse à morosidade de alguns setores.

Já no caso de solicitação de pagamento ou licitação de alguma secretaria, o processo segue outro caminho, no caso da licitação, o processo passar pela comissão da CPL para o parecer onde já dispõe de outros advogados somente para este fim.

Onde está de fato o erro para tantas reclamações quanto à morosidade?

Quando um secretário chega a procurar o blog para reclamar, é sinal que sua voz não tem sido ouvida, imagine o povo que precisa diariamente do departamento da prefeitura?.

Nota do Blog

Como foram sábias as palavras de Linartt Vieira, ao dizer: “Por Falta de um Grito, Se Perde uma Boiada”. Enquanto o grito não ecoa por parte daquele que tem a caneta azul na mão, a população continua pagando o preço pela MOROSIDADE do serviço público.

Oremos Irmãos!!!



Comentários com Facebook




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.