GUAMARÉ RN-Guamaré em entrevista prefeito Adriano Diógenes fala de complicações na gestão e da queda na arrecadação


Guamaré em entrevista prefeito Adriano Diógenes fala de complicações na gestão e da queda na arrecadação

19 de novembro de 2019 

Em entrevista ao blogueiro Josivan Dantas, editor do blog Guamaré em Dia, o prefeito Adriano Diógenes do município de Guamaré, conversa sobre vários temas de sua administração desde complicações com corte de energia de órgão públicos no inicio de seu governo, como, a queda na arrecadação do município, e aproveita para tranquilizar servidores quanto atrasos em salários que não acontecerá.

Eis a entrevista na integra:

Blog Guamaré em Dia: Prefeito Adriano como está sendo o desafio de administrar Guamaré e suas peculiaridades?

Adriano Diógenes: Josivan costumo dizer nas nossas reuniões juntamente com os secretários municipais, que parece que fui eleito para gerar crises. Digo isso, porque no meu primeiro dia de prefeito, meu primeiro desafio foi negociar com a Cosern para evitar o corte de energia de todos os prédios públicos do município que estavam em atraso e, como naquele momento, se quer, tínhamos acesso às contas da prefeitura, tendo em vista, que o banco precisa de, aproximadamente, uma semana para liberar as senhas bancárias da prefeitura, não tinha como efetuar nenhum pagamento.

Logo, naquele momento, a Cosern já tinha cortado a energia de cinco prédios públicos, incluindo escola. Assim sendo, fiz contato com a Cosern, explicando a situação, onde me foi dado um prazo de sete dias para resolver o problema. Quando pedi ao financeiro da prefeitura para levantar o débito, me surpreendi com o valor que se aproxima de um milhão de reais em débitos com a Cosern. Essa foi a nossa primeira crise, ainda em dezembro. Lembrando que assumimos no dia 17 de dezembro de 2018.

Blog Guamaré em Dia: Você disse “que parece que fui eleito para gerar crises”, depois deste problema que você resolveu junto a Cosern ainda surgiram mais?

Adriano Diógenes: O problema com as contas de energia foi o menor entre todos até agora. Ainda em dezembro, após reunião com a equipe econômica da Prefeitura, fui informado que o índice do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) de Guamaré havia caído de forma bem significativa e, que isso, geraria uma queda no orçamento de, aproximadamente, três milhões por mês. Josivan, traduzindo literalmente os aspectos que esta queda no orçamento representa, significa dizer, que o município não teria mais condições de manter serviços que foram implantados ao longo do ano, a não ser, que conseguisse de forma austera, reduzir custos da máquina pública, a ponto de suportar uma queda de 3 milhões/mês, ou seja, economizar três milhões por mês. Parece um desafio fácil, mais na prática não é, porque toda e qualquer redução afeta alguma coisa ou alguém, que claro não ficará satisfeito, porém é necessário.

Blog Guamaré em Dia: Diante este senário Prefeito o que você fez? Reduziu serviços ou reduziu despesas?

Adriano Diógenes: Os dois. Na prática tivemos que reduzir os dois. Cancelamos vários contratos administrativos e de prestação de serviços que entendíamos ser capazes de ser absolvidos pela própria máquina pública e que não gerava nenhum problema a população.

Blog Guamaré em Dia: Prefeito você acredita que o problema que o município vem passando com constantes quedas de receita é devido ao fato das mudanças de gestão ocorrida ano passado em Guamaré.

Adriano Diógenes: Absolutamente não. A queda da receita de Guamaré, nada tem haver com o aspecto político. Independente de quem estivesse à frente da prefeitura neste momento, seria obrigado a enfrentar os problemas que hoje vivenciamos e seria obrigado a reduzir as despesas para poder governar o município.



Comentários com Facebook




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.