GUAMARÉ RN-Com queda no preço do petróleo, Petrobras corta produção, jornada e até 30% do salário


A Petrobras vai reduzir produção, cortar jornada e até 30% de salário de funcionários para fazer frente à queda de receita decorrente do tombo no preço do petróleo. As medidas visam a alcançar a diminuição de US$ 2 bilhões nos gastos em 2020 com o objetivo de enfrentar o que a empresa classifica como “a pior crise da indústria do petróleo nos últimos 100 anos”.

Já a BR Distribuidora, que tem a estatal como sua controladora, pretende adiar pagamento de dividendos a acionistas.

De acordo com a Petrobras, o corte de salário vai permitir à empresa poupar cerca de R$ 700 milhões com despesas de pessoal. Essa meta será alcançada com o adiamento de 10% a 30% da remuneração mensal de funcionários da empresa que têm funções gratificadas, como gerentes e supervisores.

Também haverá redução temporária da jornada de trabalho, de 8 horas para 6 horas, de cerca de 21 mil empregados e mudança temporária de regimes de turno e de sobreaviso para regime administrativo de cerca de 3,2 mil empregados.

Ainda segundo a companhia, o corte na produção será de 200 mil barris diários, incluindo a redução de cem mil barris já anunciada no último dia 26.

Para decidir quais campos sofrerão cortes na produção, a Petrobras informou que analisará condições mercadológicas e operacionais. A produção das refinarias também estão sendo adequadas à demanda por combustíveis.

Em comunicado, a petrolífera diz que “a combinação inédita de queda abrupta do preço do petróleo, excedente de oferta no mercado e uma forte contração da demanda global por petróleo e combustíveis” exige não só a redução da produção, como a postergação de desembolso de caixa e redução de custos.

A guerra de preços entre Rússia e Arábia Saudita, somada à queda na demanda causada pelo freio na atividade econômica imposto pela pandemia do novo coronavírus, levou a cotação do barril de petróleo para abaixo de US$ 20 pela primeira vez desde fevereiro de 2002.

Segundo a Agência Internacional de Energia (AIE), paralisação da atividade econômica por causa da pandemia do novo coronavírus pode levar a demanda por petróleo no mundo despencar em até 20 milhões de barris diários.

Nesta quarta-feira, a BR Distribuidora também informou que apresentará em assembleia de acionistas proposta para postergar o pagamento de juros sobre o capital próprio já declarados, no valor de R$ 540,3 milhões, para até 30 de dezembro, o prazo anterior até 30 de junho.

A companhia também propõe adiar dividendos de R$ 49,8 milhões que seriam pagos até 30 de dezembro, enquanto aponta que R$ 534 milhões, originalmente previstos como dividendo adicional referente a 2019, seriam retidos temporariamente como reserva especial de dividendos não distribuídos. A assembléia está marcada para 30 de abril.

Entenda: Por que a queda de 40% do preço da gasolina em 2020 nas refinarias não chegou ao seu bolso

A Petrobras também já tinha anunciado a alteração a data de pagamento de dividendos remanescentes aos acionistas.

A Transpetro, outra subsidiária da Petrobras, também aprovou plano de redução de custos de R$ 507 milhões este ano, o que inclui tanto corte de gastos operacionais quanto de investimentos, postergando ou otimizando desembolsos.

O Globo



Comentários com Facebook




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.