FOTOS IMAGENS-Vítima de massacre, Marilena é velada em igreja de Suzano e será enterrada nesta sexta



Marilena Ferreira Umezu era catequista e seu corpo foi levado para a Igreja São Sebastião, em Suzano — Foto: Natan Lira/TV DiárioMarilena Ferreira Umezu era catequista e seu corpo foi levado para a Igreja São Sebastião, em Suzano — Foto: Natan Lira/TV Diário

Marilena Ferreira Umezu era catequista e seu corpo foi levado para a Igreja São Sebastião, em Suzano — Foto: Natan Lira/TV Diário

O corpo de Marilena Ferreira Umezu, coordenadora pedagógica e vítima do massacre da Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano, será enterrado nesta sexta. O enterro foi adiado, pois a família esperava a chegada de um filho da vítima, que mora na China. A previsão é que o corpo seja enterrado às 10 horas da manhã no Cemitério São Sebastião.

00:00/00:00

Erro ao carregar o recurso de vídeo.

Ocorreu um problema ao tentar carregar o vídeo. Atualize a sua página para tentar novamente.

Acesso gratuito

Faça seu login grátis e tenha acesso ilimitado às exclusividades G1

Corpo da coordenadora pedagógica Marilena Umeza é velado nesta sexta (15) em Suzano, SP

Corpo da coordenadora pedagógica Marilena Umeza é velado nesta sexta (15) em Suzano, SP

O filho chegou acompanhado da mulher e do neto da vítima na Igreja Matriz de Suzano onde o corpo é velado em Suzano, por volta das 7h40. O filho veio escoltado por um carro da Polícia Civil do aeroporto.

Filho da coordenadora pedagógica Marilena Ferreira Umezu chega da China para enterro da mãe — Foto: Reprodução TV GloboFilho da coordenadora pedagógica Marilena Ferreira Umezu chega da China para enterro da mãe — Foto: Reprodução TV Globo

Filho da coordenadora pedagógica Marilena Ferreira Umezu chega da China para enterro da mãe — Foto: Reprodução TV Globo

De acordo com a polícia, a coordenadora da escola foi a primeira pessoa a ser baleada. Marilena, de 59 anos, era uma defensora dos “livros como melhor arma para salvar o cidadão”. Os dois autores do massacre, um rapaz de 17 anos e outro de 25, eram ex-alunos da escola. A professora sorriu ao revê-los cruzando o portão de entrada do colégio onde trabalhava há mais de 10 anos. Mas eles responderam com tiros.

Marilena Umezu foi uma das vítimas do massacre na Escola Estadual de Suzano — Foto: Reprodução Facebook.Marilena Umezu foi uma das vítimas do massacre na Escola Estadual de Suzano — Foto: Reprodução Facebook.

Marilena Umezu foi uma das vítimas do massacre na Escola Estadual de Suzano — Foto: Reprodução Facebook.

Assim como outras cinco vítimas, o velório de Marilena começou na Arena Suzano, por onde passaram 15 mil pessoas ao longo da quinta-feira (13) e foi transferido para a Igreja São Sebastião. Todas as outras vítimas foram enterradas ainda na quinta.

Segundo Camile Rocha, Marilena usava a experiência de vida para ouvir e aconselhar os jovens.

“Ela tratava todos nós alunos como se fosse mãe, como se fosse a mãe da gente. Educada, carinhosa, se tivesse qualquer tipo de problema podia conversar com ela. Elas eram incríveis mulheres maravilhosas e hoje são estrelinhas que vão brilhar no céu”, disse.

Corpos dos adolescentes assassinados são levados do velório, na Arena Suzano, para enterro — Foto: Roberto Casimiro/ Fotoarena/ Estadão ConteúdoCorpos dos adolescentes assassinados são levados do velório, na Arena Suzano, para enterro — Foto: Roberto Casimiro/ Fotoarena/ Estadão Conteúdo

Corpos dos adolescentes assassinados são levados do velório, na Arena Suzano, para enterro — Foto: Roberto Casimiro/ Fotoarena/ Estadão Conteúdo

Enterros



Comentários com Facebook




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.