FOTOS IMAGENS-Quatro empresários são presos por suspeita de furto de energia no Paraná


 

Quatro empresários são presos por suspeita de furto de energia no Paraná

Estimativa inicial da Copel é de que empresas tenham desviado R$ 434 mil.
Seis empresas foram autuadas pela polícia; empresários pagaram fiança.

Do G1 PR

Seis empresas foram autuadas por furto de energia em Curitiba e dois municípios da Região Metropolitana (Foto: Divulgação / Polícia Civil)Seis empresas foram autuadas por furto de energia em Curitiba e dois municípios da Região Metropolitana (Foto: Divulgação / Polícia Civil)

Seis empresas foram autuadas pela Polícia Civil do Paraná por suspeita de furto de energia. Além disso, houve a prisão de quatro empresários em flagrante. Contudo, eles foram liberados após pagamento de fiança.

O crime acontecia em Curitiba e em dois municípios da Região Metropolitana: São José dos Pinhais e Fazenda Rio Grande.

Além das prisões dos empresários, dois funcionários foram levados a uma delegacia para prestar depoimento. As empresas, segundo a Polícia Civil, atuam nos ramos alimentício e moveleiro. Entre elas, há ainda uma gráfica.

A operação que apura os indícios de fraude e de furto de energia ocorreu em conjunto entre a Polícia Civil e a Companhia Paranaense de Energia (Copel) e foi deflagrada nesta quarta-feira (25). As investigações duraram um mês.

Operação foi deflagrada nesta quarta-feira (25) (Foto: Divulgação / Polícia Civil)Operação foi deflagrada nesta quarta-feira (25) (Foto: Divulgação / Polícia Civil)

Prejuízo
A estimativa inicial da Copel é de que as empresas tenham desviado 678 mil kWh, cerca de R$ 434 mil, o equivale ao consumo mensal de quatro mil famílias.

Uma das empresas, que fica em Fazenda Rio Grande, desviava energia há mais de dois anos, de acordo com a Polícia Civil.

O delegado responsável pela operação, Emmanuel David, afirmou que o furto de energia é um crime grave pelo prejuízo financeiro que causa aos cofres públicos e à população, que acaba arcando com uma tarifa mais cara, e também pelos riscos que as ligações clandestinas podem causar nos imóveis do infrator e dos vizinhos.

Se forem condenados pela Justiça, os empresários podem pegar de um a quatro anos de reclusão pelo crime de furto de energia elétrica.

A Polícia Civil não divulgou os nomes das empresas suspeitas.

Operação foi realizada em conjunto entre a Copel e a Polícia Civil (Foto: Divulgação / Polícia Civil)Operação foi realizada em conjunto entre a Copel e a Polícia Civil (Foto: Divulgação / Polícia Civil)

Quer saber mais notícias da região? Acesse G1 Paraná.



Levany Júnior

Levany Júnior é Advogado e diretor do Blog do Levany Júnior. Blog aborda notícias principalmente de todo estado do Rio Grande do Norte, grande Natal, Alto do Rodrigues, Pendências, Macau, Assú, Mossoró e todo interior do RN. E-mail: [email protected]

Comentários com Facebook




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.