FOTOS IMAGENS-Ministra Damares homenageia promotores que apuram denúncias contra João de Deus


Ministra Damares Alves homenageia promotores que atuam no caso João de Deus — Foto: Sílvio Túlio/G1

A ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, participou de uma sessão solene nesta quarta-feira (19), em Goiânia, em homenagem aos promotores de Justiça que atuam na força-tarefa que investigam os crimes atribuídos a João de Deus.

Ele, que tem 77 anos, é acusado de abusos sexuais durante atendimentos espirituais que realizava, além de posse ilegal de armas e coação de testemunhas. João de Deus sempre negou os crimes.

Damares esteve na Assembleia Legislativa para lançar oficialmente um projeto contra suicídio e automutilação de jovens e crianças. Antes, ela condecorou os promotores, a quem chamou de “jovens guerreiros”. A ministra disse ainda estar encantada com o trabalho realizado pelo grupo.

“Desde o início, o ministério esteve acompanhando o trabalho e conheci alguns deles. Creio que o Brasil ganhou tanto com a persistência de vocês. Eles não orgulham só Goiás. Eles orgulham o Brasil. Nós estamos andando pelo mundo e por onde passamos estamos falando de vocês. Falamos de vocês na ONU, no Mercosul, do trabalho que vocês fizeram”.

“Não fizeram um trabalho para colocar um criminoso na cadeia. Vocês fizeram um trabalho para salvar vidas”, disse Damares na tribuna do plenário.

Ao todo, nove promotores de Justiça que atuaram na força-tarefa, além do procurador-geral de Justiça do MP, Aylton Vechi, receberam, como homenagem, a medalha do Mérito Legislativo Pedro Ludovico Teixeira, com a qual Damares também foi agraciada. Um a um, eles foram chamados até o plenário. Dois promotores que também participam da investigação não puderam comparecer.

A ministra disse ainda que os promotores mudaram vidas não apenas das mulheres que foram vítimas de João de Deus. Ela revelou que o grupo se reuniu recentemente com o ministro da Justiça, Sergio Moro, onde propuseram “profundas mudanças na legislação brasileira”.

“Com as mudanças que eles apresentaram, criminosos e abusadores vão para a cadeia. Elas são tão importantes para proteger mulheres e crianças. E foram bem acolhidas [as sugestões de mudanças]”, relata.

Campanha contra o suicídio

Damares também lançou, oficialmente, a campanha de prevenção ao suicídio e automutilação de crianças e adolescentes, batizada de “Acolha a vida”. Ela explicou que os Conselhos Tutelares serão orientados sobre como tratar do assunto. O programa também vai ser estendido a professores, comunidades religiosas e para a população em geral que queira trabalhar com o assunto.

Ela disse que os números de suicídio e automutilações em Goiás chegam muito rápido ao Ministério por causa da região do Entorno do DF, mas não apresentou dados oficiais.

“Meninos e meninas, jovens e adolescentes se machucando, se ferindo e se suicidando. Estamos diante de uma tragédia na nossa nação. E vamos ter que ter a coragem de falar sobre isso”, afirmou.

Ela disse que foi aprovada recentemente uma lei que torna obrigatória não só a notificação do suicídio, mas também da tentativa e da automutilação, uma vez que não se tinham esses números. Mesmo assim, ela afirmou que há dados preliminares de alguns órgãos sobre suicídios.

“Segundo os números que nós temos, 120 mil pessoas tentam suicídio por ano no Brasil. É muito. Mais 12 mil pessoas tentaram suicídio.

João de Deus

João de Deus foi preso no dia 16 de dezembro de 2018. No dia 22 de março deste ano, a Justiça autorizou que ele fosse transferido para o hospital, atendendo a um pedido da defesa, que alegava risco à vida do cliente em razão do seu estado de saúde.

Inicialmente, o período de internação era de 30 dias, mas foi prorrogado duas vezes pelo ministro Nefi Cordeiro, do STJ. No dia 6 de junho, ele deixou a unidade e voltou para o presídio.

Ele já foi denunciado dez vezes, sendo que uma das denúncias ainda não foi analisada pela Justiça. Ele é réu nas outras nove, que foram aceitas:

  • Cinco por crimes sexuais: dessas, duas já tiveram audiência realizada e outras duas estão com audiência marcada;
  • Uma por crimes sexuais, corrupção de testemunha e coação: ainda não teve audiência;
  • Uma por crimes sexuais e falsidade ideológica: atualmente está em fase de citação (comunicação ao réu);
  • Duas por posse ilegal de armas de fogo e munição. Uma de já teve audiência realizada. O TJ não deu detalhes sobre o outro caso.

Veja outras notícias da região no G1 Goiás.

Promotores são condecorados pela ministra Damares Alves, em Goiânia — Foto: Sílvio Túlio/G1Promotores são condecorados pela ministra Damares Alves, em Goiânia — Foto: Sílvio Túlio/G1

Promotores são condecorados pela ministra Damares Alves, em Goiânia — Foto: Sílvio Túlio/G1

Veja também



Comentários com Facebook




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *