FOTOS IMAGENS-Igreja desaba durante passagem de ‘ciclone bomba’ em Garuva; ‘Foi efeito dominó’, disse pastor Imagens foram registradas no Norte catarinense. Quatro dias após passagem do fenômeno, cerca de 4,3 mil dos 7 mil imóveis permanecem sem energia elétrica na cidade.


Um vídeo registrou o momento em que uma igreja de Garuva, no Norte catarinense, desabou com a força do ‘ciclone bomba’ que atingiu Santa Catarina. As imagens foram registradas pelo pastor da Assembleia de Deus, localizada no centro da cidade.

“Foi efeito dominó, arrancando tudo. Depois, começou a ceder toda a estrutura das tesouras, são metálicas. Com o balanço, que continuou fazendo por alguns minutos, balançando toda essa estrutura do telhado, acabou puxando também a parede lateral do templo, vindo tudo abaixo”, lembrou Claudemir Marcelino.

Vídeo mostra igreja sendo destruída por 'ciclone bomba' em Garuva, no Norte catarinense — Foto: NSC TV/Reprodução

Vídeo mostra igreja sendo destruída por ‘ciclone bomba’ em Garuva, no Norte catarinense — Foto: NSC TV/Reprodução

Apesar do prejuízo financeiro, o pastor Gelmar de Moura conta que não havia fiéis na igreja no momento do acidente.

“Se fosse uma hora e meia mais tarde, teríamos aqui um encontro de mulheres, círculo de oração, onde sempre tem de 50 pessoas para mais”, disse.

Vários imóveis ficaram destelhados em Garuva, no Norte catarinense, após passagem de ciclone — Foto: NSC TV/Reprodução

Vários imóveis ficaram destelhados em Garuva, no Norte catarinense, após passagem de ciclone — Foto: NSC TV/Reprodução

A força dos ventos derrubou também plantações, fios elétricos e destelhou prédios e residências na cidade. A casa de Elizete Machado Fagundes foi uma delas.

Em meio ao ciclone, com a ameaça de o telhado cair, a dona de casa conta que precisou sair às pressas.

“Eu peguei meu filho e pulei o muro da vizinha para pedir socorro. O que a gente passou aqui, eu não desejo para ninguém, por foi horrível. A gente achou que ia morrer”, recordou.

A casa de Elizete Machado Fagundes foi uma das atingidas pela força dos ventos em Garuva — Foto: NSC TV/Reprodução

A casa de Elizete Machado Fagundes foi uma das atingidas pela força dos ventos em Garuva — Foto: NSC TV/Reprodução

Quatro dias após o fenômeno atingir o estado, até as 18h deste sábado, 4,3 mil dos 7 mil imóveis da cidade permaneciam sem energia elétrica, conforme o monitoramento da Celesc. Elizete conta que nem velas os moradores têm conseguido encontrar para comprar.

“Eu tive que mandar meu sobrinho trazer de Joinville [cidade vizinha], porque aqui já não tem mais nos mercados”, contou.

Imóveis foram destruídos pela força do 'ciclone bomba' em toda Santa Catarina — Foto: NSC TV/Reprodução

Imóveis foram destruídos pela força do ‘ciclone bomba’ em toda Santa Catarina — Foto: NSC TV/Reprodução

Pior desastre provocado por ventos, diz Defesa Civil

Dos 295 municípios catarinenses, 185 foram atingidos pela ‘ciclone bomba’ no estado, conforme balanço divulgado pela Defesa Civil de Santa Catarina na manhã deste sábado (4).

Em muitos deles, as rajadas passaram de 100 km por hora, conforme monitoramento de satélite. O maior registro ocorreu na cidade de Siderópolis, no Sul do estado, onde o vento chegou a 134 km por hora.

“Dados preliminares indicam que este é o pior desastre provocado por ventos da história do estado, superando o Furacão Catarina que atingiu o Litoral Sul em 2004 e o Tornado de Xanxerê em 2015”, afirmou o órgão estadual, por meio de nota.

Em Santa Catarina, dez pessoas morreram, nove ficaram feridas e uma está desaparecida. O fenômeno deixou 205 pessoas desalojadas e outras 25 desabrigadas no estado, segundo a Defesa Civil.

Ciclone bomba afeta clima no Sul e no Sudeste; veja 5 curiosidades sobre esse fenômeno

–:–/–:–

Ciclone bomba afeta clima no Sul e no Sudeste; veja 5 curiosidades sobre esse fenômeno

Veja outras notícias do estado no G1 SC



Comentários com Facebook




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.