FOTOS IMAGENS-Ex-vice-prefeito de General Sampaio é preso suspeito de desviar mais de R$ 1 milhão Ex-motorista dele também foi preso temporariamente, por suspeita de participar como “laranja” do esquema de desvio de dinheiro público.


O ex-vice-prefeito da cidade de General Sampaio, e o ex-motorista dele foram presos temporariamente, na manhã desta quarta-feira (30), por suspeita de desvio de mais de R$ 1 milhão de dinheiro público, entre anos de 2013 a 2016. A ação faz parte de uma operação do Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE).

O ex-político Washington da Silva Marinheiro também teve os bens bloqueados no valor de R$ 1.035.605. As medidas foram determinadas pelo juiz e titular da Vara Única de Pentecoste, Wallton Pereira de Souza Paiva, após pedidos cautelares requeridos pelo promotor de Justiça Jairo Pequeno Neto, titular da comarca de Pentecoste e vinculadas de Apuiarés e General Sampaio.

Durante as investigações, o MPCE conseguiu a quebra do sigilo bancário das contas dos investigados e, analisando os registros de movimentações, constatou que o motorista Francisco Eudes Magalhães Oliveira foi usado como “laranja” em um esquema de desvio de dinheiro público promovido pelo então vice-prefeito, envolvendo empresas que prestavam serviços públicos, as quais pagavam vantagem indevida em forma de porcentagem sobre os valores com contratos públicos celebrados com o Município de General Sampaio.

G1 não localizou a defesa de Washington da Silva Marinheiro para comentar o caso.

Vice-prefeito usava de conta bancária de motorista

 

Conforme o Ministério Público, Washington abriu uma conta bancária com os dados repassados pelo motorista, com a finalidade de fazer transferências mensais.

O motorista na época, embora ganhasse R$ 678 mensais de salário, recebeu, entre fevereiro de 2013 e março de 2014, transferências que totalizam R$ 1.035.605, conforme o MPCE.

O dinheiro desviado, de acordo com órgão, era depositado na conta-corrente do funcionário e depois movimentado pelo político, com o propósito de não levantar suspeitas quanto à origem dos valores.

“Sem qualquer justificativa, diversas empresas que celebraram contratações com o Município de General Sampaio, das áreas de limpeza urbana, construções e transporte escolar, realizavam diretamente, ou por meio dos respectivos empresários, transferências vultosas para a conta do investigado Francisco Eudes Magalhães Oliveira. O valor repassado nada mais era que vantagem ilícita cobrada por Washington da Silva Marinheiro”, aponta o promotor de Justiça Jairo Pequeno Neto.

A investigação constatou, ainda, que o patrimônio do vice-prefeito aumentou durante o período e era totalmente incompatível com o que ele recebia enquanto vice gestor municipal, chegando a se tornar sócio e proprietário de algumas empresas.

Conforme o promotor Jairo Pequeno Neto, que coordenou a operação, as investigações seguem para identificar outras pessoas que participaram do esquema criminoso de corrupção.

Assista às notícias do Ceará no G1 em 1 Minuto:

Mais do G1



Comentários com Facebook




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.