Assú RN; “Só lidamos com dados oficiais”, diz promotor sobre supersalário de Larissa


Larissa-Rosado-21-211x300

O promotor de Justiça Paulo Carvalho Ribeiro disse que o Ministério Público Estadual não agiu de “má fé” e muito menos houve “falha de digitação” quando cita que a ex deputada estadual Larissa Rosado ganhava R$ 205.958,00 mil da Associação de Proteção e Assistência à Maternidade e à Infância de Mossoró – APAMIM, no período de 2000 a 2003. “Nós só lidamos com dados oficiais”, garante o promotor.

O promotor de Justiça Paulo Carvalho explicou ainda que se houve um erro de “digitação” ou “má fé”, e/ou ainda por alguma outra razão esta foi feito pela então presidência da APAMIM no período de 2000 a 2003, que é quem compete informar ao CAGED os dados dos servidores. Nesta época, a APAMIM já era controlada pela família da ex deputada Larissa Rosado.

O caso da lista com 34 supersalários da APAMIM, a qual Larissa Rosado faz parte, deve ser investigado pelo Ministério Público Estadual, até como forma de esclarecer as razões destes salários, que vão de R$ 24 mil a R$ 384 mil. Os 34 somam, juntos, R$ 4,6milhões/mês, quando que a folha dos 300 servidores reais da APAMIM ganhavam menos de R$ 600 mil/mês.

Do Jornal de Hoje



Levany Júnior

Levany Júnior é Advogado e diretor do Blog do Levany Júnior. Blog aborda notícias principalmente de todo estado do Rio Grande do Norte, grande Natal, Alto do Rodrigues, Pendências, Macau, Assú, Mossoró e todo interior do RN. E-mail: [email protected]

Comentários com Facebook




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.