A PALAVRA DO DIA-Para o cristão… a morte não é o fim da vida


 da vida

01/11/2002

Para o cristão…
…a morte não é o fim da vida

No dia de Finados muitos vão ao cemitério. Como sinal de consideração e gratidão pelos que um dia estiveram conosco, porém já partiram, costuma-se levar flores para colocar sobre o túmulo. Com este gesto, afirma-se a fé e a esperança na ressurreição da vida. Flor é vida. Ao colocarmos flores sobre o túmulo estamos afirmando que a morte não é o fim. Em Cristo, há vida eterna! Cremos na ressurreição!

Certa vez fiz uma experiência interessante. Caminhei entre os túmulos de um cemitério para ler as epígrafes nos túmulos. Em muitos túmulos encontrei mensagens de fé e esperança, através do símbolo da cruz, de pensamentos e textos bíblicos.

Como nesses dias estamos mais intensamente lembrando dos nossos entes queridos que já partiram, quero compartilhar com você dois pensamentos que encontrei em túmulos e alguns textos da Bíblia que falam sobre a questão da morte. Eles servem para uma reflexão pessoal. Os pensamentos são os seguintes: Saudade não quer dizer que estamos longe, mas que um dia estivemos perto; a dor de tê-lo perdido, não deve fazer-nos esquecer a alegria de tê-lo tido conosco e a esperança de reencontrá-lo. Esses dois pensamentos nos lembram de que se perdemos alguém é porque um dia o tivemos conosco. E muitos não tiveram essa felicidade. Por isso, não devemos sentir só a dor da perda, mas devemos ser agradecidos pela graça de termos tido quem perdemos.

Entre os muitos textos que existem na Bíblia, destaco os seguintes: Há tempo de nascer e há tempo de morrer Ec 3.2. Portanto, assim como por um só homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens porque todos pecaram… Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus nosso Senhor (Rm 5.12; 6.23).

Aos homens está ordenado morrerem uma só vez e, depois disto o juízo (Hb 9.27).Não temas, quando alguém se enriquecer, quando avultar a glória da sua casa; pois, ao morrer, nada levará consigo, a sua glória não o acompanhará (Sl 49.16-17). Que aproveitará o homem se ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma? Que dará o homem em troca de sua alma? (Mt 16.26). Se a nossa esperança em Cristo se limita apenas a esta vida, somos os mais infelizes de todos os homens (1 Co 15.19).

Preciosa é aos olhos do Senhor a morte dos seus santos (Sl 116.15). Porque estou certo de que nem a morte poderá separar-nos do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor (Rm 8.38-39). Porque nenhum de nós vive para si mesmo, nem morre para si. Porque, se vivemos, para o Senhor vivemos; se morremos, para o Senhor morremos. Quer, pois, vivamos ou morramos, somos do Senhor. Foi precisamente para esse fim que Cristo morreu e ressurgiu; para ser o Senhor, tanto de mortos como de vivos’ (Romanos 14.7-9).

Disse Jesus: Quem ouve a minha palavra e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna, não entra em juízo, mas passou da morte para a vida… Se alguém guardar a minha palavra, não verá a morte, eternamente (Jo 5.24; 8.51). Disse Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, ainda que morra, viverá; e todo o que vive e crê em mim, não morrerá, eternamente. Crês isto (Jo 11.24-25)

Ora, se é corrente pregar-se que Cristo ressuscitou dentre os mortos, como, pois, afirmam alguns dentre vós que não há ressurreição de mortos? E, se não há ressurreição de mortos, então Cristo não ressuscitou. E se Cristo não ressuscitou, é vã a nossa pregação e vã a nossa fé, e somos tidos por falsas testemunhas de Deus… Porque se os mortos não ressuscitam, também Cristo não ressuscitou. E, se Cristo não ressuscitou, é vã a nossa fé, e ainda permaneceis nos vossos pecados (sem o perdão dos pecados). E ainda mais: os que dormiram (morreram) em Cristo, pereceram (1 Co 15.12-18).

O último inimigo a ser destruído é a morte (1 Co 15.26). Porque é necessário que este corpo corruptível se revista de incorruptibilidade, e que o corpo mortal se revista de imortalidade… Jesus Cristo não só destruiu a morte, como trouxe à luz a vida e a imortalidade, mediante o Evangelho
(1 Co 15.53; 2 Tm 1.10).

Eis a morada de Deus com os homens. Deus habitará com eles. Eles serão povos de Deus e Deus mesmo estará com eles. E lhes enxugará dos olhos toda lágrima, e a morte já não existirá, já não haverá luto, nem pranto, nem dor, porque as primeiras coisas passaram (Ap 21.3-4).

——————————————————————————–

Eldo Krüger é Pastor da Igreja
Evangélica de Confissão Luterana de Rio Claro, SP



Comentários com Facebook




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.