A PALAVRA DO DIA-FILHOS DE CORÁ : ESQUECENDO O PASSADO E VIVENDO UMA NOVA HISTÓRIA.


FILHOS DE CORÁ : ESQUECENDO O PASSADO E VIVENDO UMA NOVA HISTÓRIA.
Corá ou Coré era primo de Moisés .
Transformando o fracasso em vitória!
Tx. Nm 16.1-7, 31-35. Nm 26.10,11
A rebelião de Corá é um dos episódios mais tristes da Bíblia. Exemplo de fracasso e derrota, porém, em meio a esta situação, Deus preserva os filhos de Coré, e os põe para louvar no Templo, como símbolo da misericórdia e amor de Deus.
1 – Uma triste rebelião. Nm 16.1,2
A – Perfil dos rebeldes. Nm 16.2:
– Príncipes da congregação
– respeitados nas solenidades
– homens de posição;
– Segundo Flávio Josefo, Coré e seus seguidores eram homens respeitados também pela grande riqueza que possuíam.
B- O mentor da rebelião: Coré ( ou Corá)
– Coré era filho de Jizar. Nm 16.1
– Jizar era filho de Coate. Êx 6.18: “E os filhos de Coate: Anrão, e Izar, e Hebrom, e Uziel…”
– Coate era um dos três filhos de Levi. Êx 6.16 : “E estes são os nomes dos filhos de Levi, segundo as suas gerações: Gérson, e Coate, e Merari…”
– Como levita, Coré já servia no tabernáculo. Nm 16.9,10.
– Coré e Moisés eram primos de 1º grau.
– Já Datã e Abirão eram da tribo de Rúben, e reinvidicavam o governo civil.
C- Motivos da rebelião.
– Inveja,
– Acusaram Moisés e Arão de se exaltarem diante do povo. Nm 16.3
– Acusaram Moisés de não levá-los a Terra Prometida, chamando o Egito de “terra que mana leite e mel”. Nm 16.13,14. O coração de Coré ainda estava no Egito!
– Queriam o governo civil de Moisés e religioso de Arão, dizendo que todo Israel era santo e capaz de exercer tais atividades. O fato de serem santos, não quer dizer que sejam escolhidos para o ministério. Não está acontecendo isto também em nossas igrejas? Nm 16.3
– O maior motivo, excluindo todos os pretextos, era a busca por poder e exibicionismo!
2 – Os resultados da rebelião. Nm 16.5-7
– Apresentaram-se perante o Senhor com incensários e incensos acesos,
– O desafio de Moisés: como prova de que Deus estava com ele, Coré não morreria de uma morte comum. Nm 16.29-30,
– Desceram vivos ao sepulcro (Sheol), com todos os seus bens. Nm 16.31-32. “Foram sepultados vivos!”
– Os outros 250 homens foram consumidos pelo fogo do Senhor. Nm 16.3. Josefo escreve que nunca se tinha visto fogo tão ardente, e que tais homens foram consumidos até não restar nada de seus corpos.
– Com os incensários foram feitas lâminas para recobrir a arca, como sinal a Israel. Nm 16.38.
3 – Em meio a este fracasso, surge uma prova do amor de Deus. Nm 26.10,11.
Ao fazer o censo do povo para guerra, chega-se a tribo de Rúben e lembra-se do incidente de Datã e Abirão, citando os filhos de Coré.
“MAS OS FILHOS DE CORÉ NÃO MORRERAM” Nm 26.11
– Quem eram os filhos de Coré? Êx 6.24: “E os filhos de Coré: Assir, e Elcana, e Abiasafe…”
– 1 Cr 6.31-32: “Estes são, pois, os que Davi constituiu para o ofício do canto na Casa do Senhor, depois que a arca teve repouso. E ministravam diante do tabernáculo da tenda da congregação com cantares, até que Salomão edificou a Casa do Senhor em Jerusalém; e estiveram, segundo o seu costume, no seu ministério.”
-Elcana, um dos filhos de Coré, foi antepassado de Samuel, não seu pai, de onde surgiu os músicos que serviam na Casa do Senhor. 1 Cr 6. 36-37 : havia um cantor de nome Hemã …“…filho de Elcana, filho de Joel, filho de Azarias, filho de Sofonias, filho de Taate, filho de Assir, filho de Ebiasafe, filho de Coré.”
4 – Como ficaram esses sobreviventes?
– Ficaram sem parentesco. Nm 16.32. Sem. Para os judeus, a genealogia é de grande valor; prezam pelas origens.
-Ficaram sem sua herança, seus bens materiais. Nm 16.32-33,
– Sua família era lembrada como um mau exemplo, até mesmo depois de muito tempo! Jd 11: “Ai deles! Porque entraram pelo caminho de Caim, e foram levados pelo engano do prêmio de Balaão, e pereceram na contradição de Corá.”
– Humanamente falando, era motivo de vergonha e fracasso! Se fôssemos alguns de nós, prefeririam ter morrido também, mas eles estavam no templo, louvando ao Senhor!
5 – Os filhos de Corá escreveram uma nova história em sua existência! Não se prenderam ao passado!
A – Serviram no templo. 1 Cr 6.31-37
B- Escreveram pelo menos 12 dos 150 Salmos, entre eles:
– Salmo 42.1,2: “Como o cervo anseia pelas correntes da águas, assim suspira a minha alma por Ti ó Deus. A minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo. Quando entrarei e me apresentarei ante a face do Senhor?”
– Salmos 44.23: “Desperta, ó Senhor! Por que dormes? Acorda! Não nos rejeites para sempre.”
Salmos 45: Salmo messiânico que retrata o casamento de Cristo com sua igreja.
-Salmos 46.1 : “ Deus é nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente na angústia.”
– Salmos 48.1: “Grande é o Senhor e mui digno de louvor, na cidade do nosso Deus, no seu monte santo.”
– Salmos 48.9: “Lembramo-nos, ó Deus, do teu constante amor no meio do teu templo.”
– Salmos 48.14: “Pois este Deus é o nosso Deus para todo o sempre; Ele será nosso guia até a morte.”
– Salmos 49: Expressa o grande valor de uma alma. Nem mesmo o dinheiro de fazendas poderia comprá-la.
CONCLUSÃO: Isaías 42.3: “A cana ferida não quebrará, e não apagará o pavio que fumega.”

By Melquesedeque Oliveira

Nenhuma descrição de foto disponível.
Nenhuma descrição de foto disponível.



Comentários com Facebook




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.