A PALAVRA DO DIA-“E viu Deus que era boa a luz; e fez Deus separação entre a luz e as trevas


Gênesis 1 descreve os primeiros seis dias da semana da criação e os primeiros versículos do capítulo 2 relata o sétimo dia.

“E viu Deus que era boa a luz; e fez Deus separação entre a luz e as trevas. E Deus chamou à luz Dia; e às trevas chamou Noite. E foi a tarde e a manhã: o dia primeiro” (Gênesis 1:4-5). Vemos a partir deste relato que Deus estabeleceu o ciclo dia-e-noite desde o início. O dia e a noite são funções da rotação da Terra, uma vez que orbita o sol. É evidente que o texto de Gênesis descreve o período de 24 horas que todos estamos familiarizados. Observe, ainda, que Deus designou o sol para separar a luz das trevas e dividir o dia da noite (versículo 14).

Quanto tempo duraram os dias da criação?

Desde a descoberta dos cientistas de que a idade da terra pode ser de bilhões de anos, pessoas bem-intencionadas têm tentado conciliar o relato bíblico com tais descobertas científicas. Algumas têm teorizado que os sete dias de 24 horas da criação foram realmente muito mais longos—possivelmente épocas de milhares ou milhões de anos. Para apoiar esta ideia, outras têm argumentado que a palavra hebraica para “dia”, yom, significa uma medida de tempo não especificada em Gênesis 1.

É verdade que yom pode significar um período indefinido, como na frase em português: “Assim é como as coisas foram feitas naquele dia”. Mas o contexto de cada um dos seis dias de Gênesis 1, na verdade, deixa claro quanto tempo durou cada dia da criação. A expressão “E foi a tarde e a manhã: o dia primeiro” em Gênesis 1 é repetida para cada um dos outros cinco dias.

Aqui nós vemos “noite” se equiparando ao período noturno e “manhã” equiparada à luz do dia, e os dois juntos compõem um dia. A expressão “tarde e manhã” mostra claramente isso está se referindo aos dias de 24 horas.

Uma rotação da Terra sobre seu eixo é o significado inconfundível de dia no relato da criação. Ao longo da história do povo hebreu, a noite sempre significou o início de um novo dia, um período específico de 24 horas.

No entanto, visto que essa expressão particular não encerra o relato do sétimo dia (Gênesis 2:1-3), alguns tentaram prolongar o sábado da criação. Eles argumentam que o sétimo dia da criação ainda não acabou, mesmo depois de milhares de anos. Assim deduzem que os primeiros seis dias da criação duraram milhares ou até mesmo milhões de anos. Mas a Escritura apoia este ponto de vista?

Devemos notar, em Gênesis 1, que as plantas frutíferas foram criadas no terceiro dia, mas que os insetos que as polinizariam foram criados alguns dias depois. Se isso significa alguns milhares ou milhões de anos depois, como as plantas puderam sobreviver sem os seus parceiros simbióticos?

Precisamos entender que a Bíblia interpreta a Bíblia. Veja o que diz Gênesis 1:14-19: “E disse Deus: Haja luminares na expansão dos céus, para haver separação entre o dia [yom] e a noite; e sejam eles para sinais e para tempos determinados e para dias [yom] e anos … E fez Deus os dois grandes luminares: o luminar maior para governar o dia [yom], e o luminar menor para governar a noite … e para fazer separação entre a luz e as trevas. E viu Deus que era bom. E foi a tarde e a manhã: o dia [yom] quarto”. Não faz sentido para o significado de dia mudar de um dia de 24 horas ou da parte iluminada de um dia, para um período indeterminado que dure milhões ou bilhões de anos, dentro de algumas frases.

O relato da entrega dos Dez Mandamentos confirma quanto tempo durou cada um dos dias da criação, inclusive o Sábado do sétimo dia. Êxodo 20:8-11 resume seu significado:

“Lembra-te do dia do sábado, para o santificar. Seis dias trabalharás e farás toda a tua obra, mas o sétimo dia é o sábado do senhor, teu Deus; não farás nenhuma obra … Porque em seis dias fez o senhor os céus e a terra … e ao sétimo dia descansou; portanto, abençoou o Senhor o dia do sábado e o santificou [declarou santo]”.

Na definição de quando devemos observar um dos Sábados anuais de Deus, o Dia da Expiação, Deus nos diz que “duma  tarde a outra tarde [24 horas], celebrareis o vosso Sábado” (Levítico 23:32). O mesmo princípio aplica-se ao Sábado semanal e todos os dias de festa anuais. (Talvez você queira solicitar o nosso livro gratuito O Sábado: de Pôr-do-sol a Pôr-do-sol, O Dia do Descanso de Deus, para entender melhor esse  mandamento bíblico).

Compreendendo Gênesis 1:1-2

Os dois primeiros versículos da Bíblia são fundamentais nesta discussão. “O prólogo de Gênesis apresenta as verdades históricas que são conjecturas necessárias para o exercício válido do conhecimento humano” (O Novo Comentário Revisado da Bíblia, pág. 81). Portanto, vamos dar uma nova olhada em Gênesis 1:1-2.

Tanto a Bíblia Nova Versão Internacional como a Referência Bíblica de Scofield sugerem que a expressão “a terra era sem forma e vazia” (versículo 2) pode ser traduzida como “a terra tornou-se sem forma e vazia”. Em outras palavras, algo danificou a criação original descrita em Gênesis 1:1 e foi necessário que Deus restaurasse a ordem a partir do caos—e Ele o fez durante seis períodos de 24 horas seguido de um descanso sabático.

A Bíblia Companion assinala que, na versão do Rei James  tohu) “é usado de um evento posterior que, não sabemos quanto tempo após a criação, se abateu sobre a criação primitiva de Gênesis 1.1”.

(Para uma descrição detalhada da lógica e das fontes de referência que apontam para a possibilidade da tradução ser “tornou-se” em vez de “era”, ver “Idade da Terra: A Bíblia Indica Um Intervalo de Tempo Entre o Primeiro e o Segundo Versículo de Gênesis?” a partir da página 72).

Basta dizer aqui primeiramente que Deus não cria nada em estado de confusão (1 Coríntios 14:33). Deus disse ao querubim (anjo) Lúcifer: “Perfeito eras nos teus caminhos, desde o dia em que foste criado, até que se achou iniquidade [injustiça] em ti” (Ezequiel 28:15). Deus é o Deus de ordem, perfeição e beleza. Essa desordem foi causada pelo reino angelical ou pelo mundo do homem .

Comparando estas diferentes passagens, podemos deduzir que uma criação original (Gênesis 1:1) foi precedida a uma gigantesca devastação causada por Satanás (o ex-Lúcifer) e um terço dos anjos (Apocalipse 12:4), que haviam se tornado demônios. Algum tempo depois, Deus realizou uma restauração completa durante seis dias de 24 horas, seguido pelo dia de descanso, onde criou o Sábado do sétimo dia (Êxodo 20:11).

O intervalo de tempo entre Gênesis 1:1 e 1:2 é um período indeterminado que pode incluir uma extensão incalculável de anos, que representa o “vasto tempo” que os geólogos e outros cientistas descobriram nos últimos dois séculos. Assim, a própria Bíblia resolve o enigma. Nós não precisamos aumentar artificialmente os sete dias de 24 horas da criação para resolver o problema.

A Bíblia Cronológica de Reese, por exemplo, começa Gênesis com a relato de João 1:1, em seguida, vai para o Salmo 90:2, e depois para Gênesis 1:1, e no próximo, para os versículos da Bíblia que descrevem a rebelião angelical. Somente depois é que ele continua em Gênesis 1:2, onde menciona a devastação deixada por aquela insurreição.

Em seguida, a partir do versículo 3, temos o início da renovação da Terra em uma semana. Culminando com a criação de Adão e Eva, a semana aqui descrita ocorreu cerca de seis mil anos atrás.



Comentários com Facebook




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.