A PALAVRA DO DIA-A morte: uma reflexão à luz da Bíblia


Pela fé, um crente deve sobrepujar a morte, confiando no sacrifício e vitória de Cristo, crendo de todo o seu coração que ela foi aniquilada em Sua vida.

1. Introdução

A Bíblia ensina que a morte é o término da vida. Não fosse pela segurança da ressurreição (I Co 15:18), com a morte terminaríamos a nossa existência. Todavia, a ressurreição faz a morte ser um sono temporário.

Assim sendo, a morte é um fim para todo o pecado e uma porta aberta para a glória. Pela fé, um crente deve sobrepujar a morte, confiando no sacrifício e vitória de Cristo, crendo, de todo o seu coração, que ela foi aniquilada em sua vida!

Porque convém que isto que é corruptível se revista da incorruptibilidade, e que isto que é mortal se revista da imortalidade. E, quando isto que é corruptível se revestir da incorruptibilidade, e isto que é mortal se revestir da imortalidade, então cumprir-se-á a palavra que está escrita: Tragada foi a morte na vitória ” ( I Co 15. 53-54).

Para termos uma base bíblica mais precisa sobre todo o contexto da morte, creio ser importante um entendimento mais abrangente sobre o que a Bíblia nos ensina em relação aos 3 (três) tipos de morte existentes.

Vamos em frente!

2. Os tipos de morte

Morte espiritual: todos nós nascemos assim, pois nascemos ligados a Adão e à sua herança. Por isto precisamos nascer de novo em Cristo Jesus.

Base bíblica: I Co 15:21,22; Jo 3: 3-6.

Morte física: é a morte do corpo, o qual veio do pó e ao pó voltará, assim como o espírito que nos dá a vida volta para Deus.

Base bíblica: Gn 3:19; Gn 2:7; Ecl 12:7; Jó 34:14,15.

Morte eterna: também chamada de 2ª morte. Será a morte que ocorrerá depois do Juízo Final, onde haverá a separação definitiva dos justos e dos ímpios. Para esta morte não há solução.

Base bíblica: Ap 20:11,15.

3.Para onde vão os mortos?

Para responder a esta pergunta temos que entender a revelação que Deus nos fez conhecer no livro mais antigo que Ele revelou para a humanidade. A passagem está descrita em Jó 10: 20,22. Aqui Deus não fala de céu ou inferno, mas simplesmente de “uma terra de escuridão e sombra da morte, sem ordem alguma e onde a luz é como a escuridão”. O céu, assim como o inferno existem mas, para nós, devem ser entendidos como um acontecimento após o Juízo Final, visto que apenas o diabo, seus anjos e os demonios irão ser lançados no Tartarus (inferno) antes do Juízo Final (Ap 20:10). Nós abordaremos isto mais adiante e, por hora, vamos entender esta importante e reveladora passagem do livro de Jó.

1º) O princípio da existência e da vida é a luz, pois este foi o primeiro ato de Deus em Sua criação ( Gn 1:3); assim como a luz está relacionada com a vida, a escuridão está relacionada com a morte. Por isto, “terra de escuridão e sombra da morte” é o local onde os mortos ficam após esta vida. Este local é de suprema soberania do Senhor Deus, pois é um local sobrenatural – de existência espiritual -, pois quem está neste local são as almas daqueles que partiram deste mundo.

2º) A expressão “sem ordem alguma” significa sem lei, sem natureza, sem modo, sem método e sem disciplina. Isto demonstra claramente a ausência de qualquer tipo de atividade no reino dos mortos. Por isto é comum a expressar “dormir”, ao invés de morrer. Seja para salvos ou ímpios. Analise esta grande revelação recebida pelo profeta Daniel:

E naquele tempo se levantará Miguel, o grande príncipe, que se levanta a favor dos filhos do teu povo, e haverá um tempo de angústia, qual nunca houve, desde que houve nação até àquele tempo; mas naquele tempo livrar-se-á o teu povo, todo aquele que for achado escrito no livro. E muitos dos que dormem no pó da terra ressuscitarão, uns para vida eterna, e outros para vergonha e desprezo eterno ” ( Dn 12:1,2)

.3º) Outra passagem importantíssima foi revelada por Deus através do rei Salomão, no Livro de Eclesiastes, no capítulo 9. Salomão foi o homem que recebeu a mais pura sabedoria da parte do Senhor. Os versículos 5 e 6 dizem o seguinte: “Porque os vivos sabem que hão de morrer, mas os mortos não sabem cousa nenhuma, nem tampouco eles têm jamais recompensa, mas a sua memória ficou entregue ao esquecimento. Até o seu amor, o seu ódio, e a sua inveja já pereceram, e já não têm parte alguma neste século, em cousa alguma do que se faz debaixo do sol “. Aqui nos é mostrado claramente que o reino dos mortos está sob a direta autoridade do Senhor Deus e a transição da vida para a morte representa uma passagem para um mundo estritamente espiritual e reservado para a soberania da manifestação do Senhor.

Complementando esta passagem, também devemos observar o que diz o versículo 10: “Tudo quanto vier à mão para fazer, faze-o conforme as tuas forças, porque na sepultura, para onde vais, não há obra, nem indústria, nem ciência, nem sabedoria alguma “. Observe que a palavra sepultura quer dizer voltar ao pó, como descrito em Gênesis ( cap 3; vs 19) e que depois, a alma da pessoa morta vai para um lugar sem ordem alguma, como Deus revelou a Jó séculos antes. Sem ordem alguma porque não há obra, indústria, ciência ou sabedoria alguma.

Temos que ter muito temor e prudência antes de falarmos sobre o reino dos mortos, visto que não há sabedoria alguma( nem para Salomão que recebeu-a do próprio Deus) capaz de definir o que acontece no local onde Deus reservou para Si uma exclusiva e absoluta autoridade.

No prosseguimento deste artigo, o Espírito Santo continuará a nos revelar outros aspectos importantes. Vamos adiante!

4. Como é a passagem desta vida para o reino dos mortos?

1º) Quem professa a fé judaica e faz parte da aliança de Deus com Abraão através da Lei, vai para o seio de Abraão.

“Ir para o seio de Abraão” significa que a alma desta pessoa é recebida pelo Senhor e fica no local que Ele designou para os judeus, como parte da herança recebida por Abraão. Analise esta passagem, a qual relata os últimos instantes da vida do rei Davi:

E Davi dormiu com seus pais, e foi sepultado na cidade de Davi (I Rs 2:10).

Neste versículo, a palavra “pais”, significa aqueles que viveram antes de Davi e professaram a fé no Deus Vivo, através da aliança feita com Abraão.

2º) Quem professa a fé no Senhor Jesus é recebido pelo próprio Senhor, pois aquela alma foi entregue a Ele e, por isto, o Senhor Jesus encarrega-se de receber aquela alma e colocá-la em descanso junto de Si.

Um exemplo maravilhoso foi a vida de Estevão, o primeiro mártir da Igreja:

E, ouvindo eles isto, enfureciam-se em seus corações, e rangiam os dentes contra ele. Mas ele, estando cheio do Espírito Santo, fixando os olhos no céu, viu a glória de Deus, e Jesus, que estava à direita de Deus; E disse: Eis que vejo os céus abertos, e o Filho do homem, que está em pé à mão direita de Deus. Mas eles gritaram com grande voz, taparam os seus ouvidos, e arremeteram unânimes contra ele. E, expulsando-o da cidade, o apedrejavam. E as testemunhas depuseram as suas capas aos pés de um jovem chamado Saulo. E apedrejaram a Estêvão que em invocação dizia: Senhor Jesus, recebe o meu espírito. E, pondo-se de joelhos, clamou com grande voz: Senhor, não lhes imputes este pecado. E, tendo dito isto, adormeceu ” (At 7: 54-60).

Observe que Estevão, nos últimos instantes de sua vida, viu o Senhor em Sua Glória. Assim também acontecerá conosco, quando chegar a hora de partirmos. Isto porque o Senhor Jesus conhece todos aqueles que tem a Sua marca ( Gl 6:17) e virá buscá-los para que durmam em paz!

3º) Quem não faz parte da aliança com Abrãao ( povo judeu) e nem faz parte da Igreja de Cristo(crentes) também vai para o reino dos mortos.

Já mostramos isto em Dn 12:2. O Senhor Jesus também deixou isto claro:

Não vos maravilheis disto; porque vem a hora em que todos os que estão nos sepulcros ouvirão a sua voz. E os que fizeram o bem sairão para a ressurreição da vida; e os que fizeram o mal para a ressurreição da condenação ” (Jo 5: 28,29).

Jesus diz “os que estão nos sepulcros” e isto quer dizer “os que estão no reino dos mortos”. Aqui fica claro que todos estão no reino dos mortos e que não há distinção alguma. Somente após a ressurreição, que significa o Juízo Final.

O apóstolo Paulo também deu este testemunho ao governador Félix:

Mas confesso-te isto que, conforme aquele caminho que chamam seita, assim sirvo ao Deus de nossos pais, crendo tudo quanto está escrito na lei e nos profetas. Tendo esperança em Deus, como estes mesmos também esperam, de que há de haver ressurreição de mortos, assim dos justos como dos injustos. E por isso procuro sempre ter uma consciência sem ofensa, tanto para com Deus como para com os homens (At 24: 14-16).

ATENÇÃO: a Bíblia não relata como eles ficam no reino dos mortos, visto que não são judeus e nem fazem parte da Igreja de Cristo. Mas, como dissemos no início, no reino dos mortos não há “ordem alguma”. Isto significa que somente Deus, que nos criou e nos formou e nos nos deu corpo, alma e espírito, sabe como é o “dormir” destas pessoas.

Ninguém, biblicamente pode negar a realidade do inferno para o castigo dos ímpios, mas sempre aprendi que, muitas vezes, Deus não revela totalmente seus mistérios. Isto porque sempre haverá um abismo entre o nosso entendimento e o entendimento de Deus. Entre a nossa sabedoria e a dEle. Se alguns ficam no reino dos mortos e sofrem antes do julgamento no Juízo Final, como se estivessem em um “inferno intermediário” ( que a religião católica define como purgatório), o Senhor Deus é o único que tem autoridade para decidir sobre isto, pois repito que o reino dos mortos é de total e completa soberania e autoridade do Senhor Deus.

4º) Assim, todos os que morrem vão para o reino dos mortos e dormem a espera do dia da ressurreição.

Os mortos na aliança de Abraão ( judeus) serão justificados e salvos pela Lei, os mortos em Cristo Jesus ( crentes) serão justificados e salvos pela Graça, enquanto aqueles que dormem sem estarem nestas condições aguardarão o julgamento por seus atos e, alguns, pelos atos da sua fé (aqueles que criaram religiões falsas e contrárias a Palavra de Deus ou que foram motivos de escândalo para prejuízo do Evangelho).

Para você entender melhor este final, releia e medite em tudo o que já leu até aqui. Faça isto e lembre-se de 2(dois) pontos importantes:

1º) Nunca saia fora da Palavra de Deus. Por melhor que seja um pastor, por mais abençoado que seja o livro de algum escritor ou mais revelador que seja um filme, não saia da soberania absoluta da Palavra de Deus.

2º) Antes de ler a Bíblia, ore com sinceridade e peça ao Espírito Santo para dirigir seu entendimento na revelação da vontade de Deus.

5. Conclusão

CUIDE SUA VIDA. DEUS CUIDARÁ DE SUA MORTE!

No amor de Cristo Jesus

Pr Ronaldo Didini

Ronaldo Didini   é pastor, jornalista, radialista, escritor e apresentador. Ficou conhecido em todo Brasil por apresentar o programa de televisão 25ª Hora, na década de 90, na Rede Record. Atualmente, é gestor e apresentador do Canal 21.

A PALAVRA DO DIA-A morte: uma reflexão à luz da Bíblia
Avalie esta postagem



Comentários com Facebook




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *